Abandonadas pelo RPG?

Um tema até polêmico no nosso hobby é envolver (ou não) as namoradas, namorados, maridos e esposas, que vou chamar de namoradas nesse post, mas com esse significado mais genérico. Até pensei em colocar isso como tema de um próximo podcast, mas vou levantando a bola por aqui.

Eu acho que existem três tipos de namoradas:

  • As que jogam com você, e gostam de RPG;
  • As que não jogam com você, mas não ligam;
  • As que detestam RPG.

Existem comunidades no Orkut das abandonadas pelo RPG, e o tema já foi comentado pelo Chatty DM e o engraçado acordo pré-nupcial para rpgistas na Living Dice, entre outros. Ou seja, existe uma polêmica.

Eu tenho uma namorada do tipo que não joga, mas não liga quando eu jogo. Ela até assiste uns jogos ocasionamente, mas não tem muito saco para fazer PCs e o jogo propriamente dito. Não é sempre que dá pra trocar o sábado à noite para ficar jogando, mas os sábados a tarde rola sem problemas. As vantagens desse tipo de namoradas é que eles entendem sua animação com o jogo, até entendem um pouco de seus comentários rpgísticos, e em geral não tem ciúmes dos seus amigos e amigas rpgistas. As desvantagens são poucas, mas basicamente é de não conseguir dividir o hobby com ela: será uma atividade exclusiva sua.

O caso do nosso colaborador Davi Salles é mais o primeiro, mas vou deixar para que ele comente o caso dele. Obviamente, é o caso mais vantajoso, embora tenha suas desvantagens. Conheço casais que levaram os problemas entre seus personagens para a vida real, mas isso pode acontecer entre amigos também. Só que pelo fato de existir mais intimidade entre casais, acho que acontece mais vezes. Além disso, se alguém do casal for mestre e o outro PC, sempre pode aparecer um clima de favorecimento.

O terceiro caso, que é bastante comum, costuma ser o grande motivador para ou se perder jogadores em mesas, ou para término de namoros e casamentos!

O que vocês acham?

Sobre Daniel Anand

Daniel Anand, engenheiro, pai de gêmeas e velho da Internet. Seu primeiro de RPG foi o GURPS Módulo Básico, 3a edição, 1994. De lá para cá, jogou e mestrou um pouco de tudo, incluindo AD&D, Star Wars d6, Call of Chuthulu, Vampire, GURPS, Werewolf, DC Comics (MEGS), D&D 3-4-5e, d20 Modern, Star Wars d20, Marvel Superheroes, Dragonlance SAGA, Startrek, Alternity, Dread, Ars Magica e atualmente mestro D&D 5E on-line via Fantasy Grounds. @dsaraujo
Esta entrada foi publicada em Post e marcada com a tag , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

23 respostas a Abandonadas pelo RPG?

  1. Froghp disse:

    Minha namorada odeia RPG e nao gosta nem um pouco quando digo que vou a casa de amigos para jogar… E eu consigo, no maximo, sabado de manha para os jogos… osso…

  2. manso disse:

    Acho que o meu caso é um meio-termo entre o segundo e o terceiro: ela geralmente não liga que eu jogue. Só se incomoda um pouco quando eu vou jogar num horário em que estaríamos juntos. 😛

  3. Davi disse:

    Minha namorada também não é fã de RPG. Mas ela até joga, não gosta de campanhas, esse negócio de jogar toda a semana e coisas do tipo, ela não quer comprometimento com o jogo. Mas posso chamar ela pra jogar numa boa.

    Apesar dela não ser lá muito fã de RPG ela adora outro jogos de tabuleiro (que também são meus hobbies). Só não gosta de illuminati.

    Então acho que estou mais no segundo que no primeiro caso. Mas posso jogar RPG qualquer dia e qualquer hora, mas se jogar e não cuidar do namoro rola uns skill challenges sociais aqui em casa 🙂

  4. Minha noiva não quer nem saber de RPG, mas temos um acordo: o sábado é meu para eu fazer o que quiser, inclusive jogar RPG até de madrugada. O resto da semana é dela. E, se ela precisar de um sábado, por causa de alguma festa ou compromisso, é só avisar com antecedência que eu desmarco o jogo. Felizmente, isso raramente ocorre.

    Preciso dizer que eu amo ela?

    Contudo, um dos meus jogadores tem namorada e está difícil conciliar o jogo com o namoro dele. Ele sempre tem que sair cedo do jogo, e não adianta tentar fazer acordos…

    Tiago José “Deicide” Galvão Moreira

  5. Daniel R disse:

    Minha esposa não só joga RPG, como joga todas as minhas campanhas, é Mestra e ainda por cima é a Elisa do Pensotopia. XD~~

    Ô sorte!

  6. Fabiano disse:

    A minha namorada ODEIA RPG. Daquelas que nem pode ouvir falar. Mas ela nunca impediu o meu jogo.

    Claro, não jogo finais de semana (até porque é o único tempo que tenho pra ficar com ela) e, assim, consigo conciliar bem o hobby (namorar) com o amor (RPG).

    Nossa, se ela ler esse último parágrafo, tô morto! hahaha

  7. Tchelo disse:

    Eu posso ser considerado um homem de sorte neste sentido. Quando conheci minha esposa, ela, além de linda, era bem nerd.

    Nunca havia jogado RPG mas adorava (ainda adora), Senhor dos Anéis e Harry Potter. Fora isso era uma rata de lan-house e ficava jogando Tíbia por horas…portanto o passo para o RPG de mesa foi suave e sem traumas.

    Hoje nós jogamos 3 campanhas juntos e em 2 delas eu estou metrando.

  8. Nós tivemos uma raridade em mesa: três casais em uma campanha mestrada pelo Tchelo (do comment aí de cima) e mais uma mulher (a outra Pri, lembra?). 🙂

  9. Namorada do Daniel Anand disse:

    Apesar de não gostar do jogo de RPG em sí, fiz bons amigos e ainda conheci novos livros de literatura fantástica. Eu sempre (ocasionalmente?) assisto os jogos e ainda levo bolo! 🙂
    Acho que se não se pode vencê-los, junte-se a eles!
    Abração e boa sorte a todos!

  10. CF disse:

    Pô. Se leva bolinho para os jogadores já ganhou muitos pontos com o grupo todo. O que é uma tática muito importante para namoradas de jogadores de RPG: conquiste os amigos dele.

    Minha ex jogava, fazia bolo e até mesmo trabalhava numa loja de RPG. Isso inclusive gerava um problema diferente: ciúmes de jogos – quando apenas um membro do casal participa de uma campanha.

  11. Woodstock disse:

    Felizmente estou na mesma que vc, Anand!

  12. rsemente disse:

    Meu caso é uma mistura de todos os três, sabe como milher é instavel né 😛
    Já consegui fazer ela jogar uma vez, e fazer ela gostar de filmes de senhor dos aneis e outras coisas nerds. Mas meu tempo pra RPG é limitadissimo, e se passar muito tempo jogando rola um “skill challenge” sim. Mas no final das contas ela entende que é meu hobby, assim como é o dela assistir uma novela (que muitas vezes tenho que participar :P).

  13. Minha esposa joga comigo e, portanto, não temos problemas.
    Mas esse assunto SEMPRE causa polêmica quando alguém do grupo arranja namorada(o)…

  14. Marcelo Dior disse:

    Putz! De ontem pra hoje eu publiquei este post no meu blog:

    http://marcelodior.blogspot.com/2008/10/o-melhor-presente-que-voc-pode-dar-sua.html

    Anand, será que li sua mente?

  15. Tsu disse:

    A minha é do tipo:
    As que não jogam com você, mas não ligam;

    mas esse “não ligam” com ressalvas, pq ela fica brava qdo vou jogar sábado a noite.

    Mas um grupo de rpg meu já acabou por causa da namorada mandona e ignorante dum ex amigo nosso

  16. Bona disse:

    Toda namorada que está enquadrada no tipo 2 (não jogam, mas não ligam se vc joga) tendem a evoluir para o estágio 3 (ódio de RPG). O tipo 2 é um tipo passageiro, basta voce trocar 2 ou 3 baladinhas por uma boa sessão, e ela já vira tipo 3 rapidinho!!!!

  17. Daniel Anand disse:

    @Bona A minha é tipo 2 já a oito anos. Se fosse pra virar do tipo 3, já tinha virado. E eu já troquei balada por RPG no passado! 🙂

  18. David B. R. de Albuquerque disse:

    O Bona foi feliz em sua colocação. Toda mulher que se diz indiferente a uma jogatina de RPG “evoluirá” para a que Odeia RPG e seus entusiastas.
    Já desmanchei namoro por um lugar à mesa de RPG e confesso: foi a melhor coisa que fiz!

  19. Vlad Drakkulea disse:

    HEREGE!
    “já troquei balada por RPG”
    Vamos queimar o Anand na fogueira junto com as não-bruxas!!!!!

    XD
    Enfim… Isso ocorre com todos os hobbies. De uma forma geral as mulheres tem problemas em dividir o companheiro com os hobbies dele. Sejam os hobbies qual forem.
    Quando o assunto é essa coisa de nerds então, parece que só piora!

    *pega a tocha*
    Queimemos as não-bruxas!!!!!

  20. Duda disse:

    Faço parte de um grupo que nunca é lembrado: eu daria cinco anos da vida de qualquer prima minha pra que meu namorado me levasse pra jogar rpg com ele! Adoro jogos, adoro rpg e ele joga mas arruma todas as desculpas mais idiotas pra eu não ir… fico triste e acabei arrumando um grupo pra jogar, mas eu queria mutio jogar com ele… é uma pena… confesso que sinto a maior inveja quando as garotas são convidadas pelos seus namorados… adoraria jogar com meu namorado tbm…

  21. Ane disse:

    bom, eu conheci o RPg com o meu namorado, e hoje gosto tanto que já me aventurei a narrar ( dizem que estou me saindo muito bem ), acho que ele é um cara de sorte…o único problema são os tais ´´favorecimentos“, tento evitar ao máximo isso…outro problema é quando ele leva a morte de NPcs para o lado pessoal, isso gera muitos diálogos acalorados e muitas vezes engraçados, pois eu nunca levo a sério…bem, devo dizer que se algumas mulheres não gostam de Rpg deve ser por pura ignorãncia, ou por não serem Nerds como eu..rsrs

  22. Renata disse:

    Quem dera que no meu caso fosse assim : "Eu nao jogo, mas ele fez um personagem em minha homenagem, e nunca me deixou em segundo plano por causa do jogo." Eu não ligo que ele jogue. Ao contrário, acharia muito bacana se eu pudesse assistir e ele me ensinar a jogar. Algumas vezes eu já até me inscrevi em outros jogos para aprender, e teve uma vez que coincidentemente tinha uma amiga jogando e ela me chamou . Adorei. Mas ele acha que estou "Perseguindo" ele, só depois que ele achou bacana, Agora, ele mudou de jogo e se tranca para jogar . Nunca me deixou assistir. E, pior, agora joga no horário em que eu estaria livre para estar com ele. Pq tem amigos que jogam com horario de fora, outro havia terminado com a namorada, etc. e fiquei em segundo plano. Só lá pelas 3 e meia da manhã é que sai da toca para ficar comigo, quando já estou um caco !

Os comentários estão encerrados.