Derramando sangue inocente

E essa é a minha versão do encontro enviado pelo Ronaldo Félix Moreira Júnior, que venceu nosso concurso de encontros. O que mais gostei do encontro do Ronaldo foi que ele colocou algo simples, mas que vejo muito pouco em mesas de D&D: o plot twist. E o melhor: o encontro é simples de qualquer DM inserir em seu jogo, seja heróico, exemplar ou épico.

O encontro

O objetivo aqui é impedir um cultista de invocar um ser demoníaco. Esse ser pode ser um Imp, um Mezzodemon, ou mesmo Demogorgon em pessoa, a depender do patamar do seu jogo. Esse cultista pode estar em qualquer localidade adequada da sua campanha.

Na câmara de conjuração, o grupo encontra o cultista realizando o ritual, com um grande símbolo no chão, ocupando quase toda a sala, e com um pedestal com um tomo gigante, de onde ele aparentemente lê palavras arcanas demoníacas.

O que os personagens não sabem é que o ritual já estava quase completo e o cultista apenas blefa ao fundo, pois apenas uma arma, em posse de alguém do grupo, é capaz de invocar a criatura, ao derramar sangue inocente sobre o círculo. Os soldados do cultista, cuidadosamente selecionados, estão compelidos a atacar os PdJs, mas são inocentes. Assim que seu sangue cair sobre o círculo, o ser abissal será conjurado.

A mecânica

Para esse encontro funcionar, o DM precisa se certificar que o grupo irá descobrir que a arma (ou armas) do grupo irão ativar a conjuração do oponente. No entanto, eles só podem descobrir isso depois da luta começar, para o plot twist causar seu efeito. Testes de intuição para perceber o blefe do cultista, ou arcanismo para descobrir a dominação dos guardas são apropriados. Além disso, um flashback para quando o(s) personagem(ns) recebeu a arma profetizada também pode funcionar.

Outro ponto é a luta em si. O cultista pode ser um controlador, que fica do outro lado da sala, ganhando cobertura do pedestal do tomo. A sala é quase toda ocupada pelo símbolo, então o grupo tem que ser cauteloso para não atacar os guardas enquanto eles estão sobre o símbolo. Alternativamente, o DM pode considerar que os guardas podem receber dano até seu valor sangrando antes de ativar a conjuração. Isso dá mais flexibilidade para usar poderes que movem os guardas para os cantos, fora do símbolo.

Se o ser será conjurado ou não, fica a cargo do DM. Eu recomendo que se for, ele seja mega forte, e rode um mini desafio de perícias para o grupo fugir, e use a criatura como um vilão recorrente da campanha. Se ele não for, e o grupo conseguir segurar o cultista sem chamar a criatura, recompense os heróis devidamente pela estratégia!

Sugestão de encontro (Nível 2)

  • 3 Guardas Humanos (Soldados de Nível 3)
  • 1 Cultista [Mago Humano] (Artilharia de Nível 4 (Líder))

Para esse encontro, se precisar um ser demoníaco, recomendo um Imp, que sobe o nível do encontro em um, sendo um encontro difícil para um grupo de primeiro nível. Na dúvida, deixe uma piada.

É isso aí. Em breve publicaremos os outros 10 encontros mais bem avaliados por mim e pelo Davi. E rolem 20!

Sobre Daniel Anand

Daniel Anand, engenheiro, pai de gêmeas e velho da Internet. Seu primeiro de RPG foi o GURPS Módulo Básico, 3a edição, 1994. De lá para cá, jogou e mestrou um pouco de tudo, incluindo AD&D, Star Wars d6, Call of Chuthulu, Vampire, GURPS, Werewolf, DC Comics (MEGS), D&D 3-4-5e, d20 Modern, Star Wars d20, Marvel Superheroes, Dragonlance SAGA, Startrek, Alternity, Dread, Ars Magica e atualmente mestro 13th Age. @dsaraujo no twitter

Esta entrada foi publicada em Post e marcada com a tag , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

20 respostas a Derramando sangue inocente

  1. Isso é pra ver como as coisas mais simples do mundo é que fazem a diferença. Agora entendo por que meu encontro alá Indiana Jones não vingou xD

    Parabéns pro campeão! Gostei muito da idéia, e gostei mesmo foi dela ser simples como vocês falaram, Tá de parabéns

  2. O Goblin disse:

    Eu sou um daqueles que nao gostam da 4ª edição, mas nao posso negar que esse encontro ficou bem legal, o melhor é que mesmo esses encontros podem ser adicionados em QUALQUER sistema ou jogo, muito legal mesmo.

    Sobre o encontro em si é meio cliche se livrar de cultistas malignos, o que nao quer dizer que é algo ruim… A ideia de usar a ingenuidade dos jogadores para terminar o ritual foi jogada de mestre… Bem parabens pelo encontro…

  3. Pingback: Tweets that mention Derramando sangue inocente | Rolando 20 - DnD 4ª edição -- Topsy.com

  4. Lieo disse:

    Opa, boa idéia, vai pra minha sessão de amanhã já… Parabens pro campeão!

  5. DM Rafael disse:

    Isso me lembra de um jogo (de 3.5) onde o paladino viu um grupo de vários pequenos demônios e um cultista. Ele não teve dúvidas! Pulou no meio deles e "CRÍTICO", "CLEAVE", GREAT CLEAVE" e "GREAT CLEAVE"!

    Quando olhou de novo, estava banhado em sangue das crianças inocentes que estavam sobre o efeito de uma ilusão. Esse mestre era um grande dum filho da p*ta, mas foi uma cena irada. O cara perdeu o status de paladino e tudo.

  6. Puppet disse:

    T.T Fui boicotado T.T

    Bom eu posto de novo, pois sou brasileiro !

    Parabéns pelo encontro Ronaldo. Fácil, surpreendente e adaptável.

  7. Brock disse:

    Muito Bom msm esse encontro!
    Pena que todos do meu grupo passam por aki…
    Não vai rolar na nossa aventura =[
    E os personagens, vcs vão publicar aki?

  8. Po..muito bom o conceito do encontro.
    Plot twitsts são mega legais durante o combate. O Coringa é mestre em fazer isso. Trocar roupa de policiais e reféns…ou ir preso por querer. Muito o estilo dele esse cultista.

    Na próxima promoção pode ter certeza que eu participo.
    abs

  9. renatorecife disse:

    Muito massa esse encontro, mereceu ganhar, parabéns pro Ronaldo.

  10. E caso o demônio seja invocado e o grupo tenha que fugir, a informação pode se espalhar pelos vilarejos acusando os heróis de terem sido responsáveis pela invoação dificultando ainda mais a vida dos players

  11. Edu Trevi disse:

    Gostei bastante do encontro, a idéia de derramar o sangue no círculo é inovadorae traz + estratégia antes de sair na investida contra tudo e todos. Já fiz coisa parecida uma vez: os PdJ estavam no subterrâneo lutando contra os Drows num templo de Lolth… ao fundo uma drow conjuradora preparava um ritual… os PdJ tinham que derrotá-la (antes passando por seus guardiões) antes que fosse tarde demais e troxesse uma Bebilith à vida…

  12. Aprovitando o tema de "Encontros Legais", achei esse aqui nos foruns da Wizards:http://community.wizards.com/go/thread/view/75882

    É um encontro simples que acontece durante uma briga numa taverna. A diferença é que é uma taverna voadora em Eberron, que está despencando sobre Sharn porque os controles de vôo foram danificados durante a briga. 🙂

    Um belo plot twist. Espero que o pessoal goste!

    Abraços!

  13. Ótimo encontro, mas vou puxar a sardinha pro meu lado: Ainda acho que minhas duas idéias de encontro eram bem válidas, a da câmara submersa e o confronto com os kobolds. Queira saber pelo menos se eles chegaram a disputar com esse encontro na reta final!

  14. Frost disse:

    Minha ideia principal era mesmo fazer um encontro bem simples e que sim, pudesse ser usada em outros sistemas, mas achei que caiu perfeito na 4e. Não sei quanto a vocês, mas achei a nova edição (apesar de ser muito boa), bem mecanizada. Usar esses plots foi um jeito de deixar o jogo menos preso às regras.

  15. Muito bom o encontro. E realmente é bem simples e insere-se em qualquer mesa. meu encontro em chult não foi agraciado =(

  16. Ótimo encontro e enredo! As várias idéias incrementaram bastante um combate que normalmente seria simples e direto. Parabéns ao Ronaldo. Como a promoção acabou, deixo para os interessados a descrição e a mecânica do encontro que sugeri no meu blog. Abraços.

  17. LeoXorao disse:

    Boa aventura, sem mecanismos mirabolantes e uma conclusão de impacto. Como DM acho legal estas artimanhas (inocentes assassinados), mas como jogador é extremamente frustante saber que voce foi contra sua tendencia ou religião. Agir por impulso é burrice, mas ações instintivas são comuns em soldados, fanaticos religiosos, seres de pouco convivio social (rangers, druidas, wardens, etc). A alegria de jogar pode cair por terra. Não desmerecendo a qualidade da trama, só um alerta.

  18. Nando Alves disse:

    Será que aconteceu alguma coisa com o Daniel??? quase 1 mês sem posts!!

  19. n4nie disse:

    Isso me lembrou Supernatural… quando Sam e Dean matam a Ruby ^^ A ideia ficou legal mesmo parabéns!

Os comentários estão encerrados.