Draconomicon

E está na hora de mais uma resenha! O livro mais parrudo que chegou junto com o Martial Power, o Draconomicon é livro para mestres que gostam da temática (que eu acho praticamente obrigatória no Dungeons & Dragons) de Dragões.

O livro é capa dura, com 255 páginas. Ele tem um subtítulo: dragões cromáticos. Ou seja, nada de dragões dourados e prateados, por enquanto. No entanto eles podiam ter feito uma capa melhorzinha. Não só o dragão branco da capa parece um prateado, mas também podiam ter escolhido um dragão mais mofo. Perde feio da fantástica capa do Draconomicon da 3ª edição, embora seja melhor que a capa do livro de AD&D. Pelo tamanho, ele é mais carinho, ficando compatível com o preço do Forgotten Realms Campaign Guide.

O livro começa com quarenta páginas de história, informação e background dos dragões: sua sociedade, fisiologia, língua, religião, etc. Além dos cinco dragões cromáticos encontrados no Monster Manual (branco, preto, vermelho, verde e azul) temos agora o dragão marrom, cinza e púrpura. Os púrpuras são os antigos Deep Dragons, os marrons os dragões mais desérticos, e os cinza eram os Fang Dragons das edições anteriores.

O segundo capítulo, meu favorito, é o DM Toolbox para dragões: explica e sugere encontros com dragões, descreve quests relacionadas, campanhas com dragões (estou usando várias das dicas na minha campanha Luz nas Sombras), artefatos draconianos e coisas afins.

O terceiro capítulo, o menos interessante pra mim, mas ainda assim legal, descreve lares de dragões. Mostra uns oito covis de dragões distintos, o suficiente para dar auto-suficiência para qualquer DM. A vantagem é ter lares heróicos, paragon e épicos, bem variado. O quatro capítulo é metade do livro, e descreve as estatísticas dos três novos dragões, além de acrescentar estatísticas dos wyrmlings para as cinco cores de dragões do Monster Manual. Em seguida temos os dragões planares, que vão ficar ainda mais interessantes com o lançamento deste mês, o Manual of the Planes, e os dragões undead (esperem o Open Grave em Janeiro).

O quinto capítulo fala um pouco de criaturas adjacentes. Sim, temos ainda mais Kobolds, fazendo deles as criaturas com o maior número de variações na 4ª edição do D&D. Também temos alguns dragonborns oponentes novos, até já usei dois deles na minha campanha. O sexto capítulo é uma delícia de ler, contando a história e mostrando os números dos dragões clássicos de D&D. Dragotha, Ashardalon, Cyan Bloodbane são nomes mais novos, mas já nostálgicos. Os outros são old-school puro.

Um destaque é a ficha de Tiamat. Sim, a divindade de cinco cabeças que era a arquinimiga do Vingador. Sendo um Level 35 Solo Brute, Tiamat é a primeira divindade (e não só um mero lord demônio, como Orcus) a ter suas estatísticas prontas para encontrar um grupo de aventureiros épicos. Para vocês terem uma idéia, cada cabeça tem sua ficha, praticamente. Além disso, num combate corpo-a-corpo, o máximo que você pode fazer é deixá-la bloodied, a menos que faça várias quests (algumas sugeridas) para livrar os planos definitivamente da Rainha das Trevas. Também tem a ficha do aspecto de Tiamat, para dar o gostinho nos níveis mais baixos (Level 17 Solo Brute).

Contras

  • A arte não é tão boa quanto a do Draconomicon 3e.
  • Tem algumas coisas meio malucas demais, como dragões vampiros e dragões fada.
  • Se você usa dragões muito esparsamente, quase não vai usar esse livro.

Prós

  • Praticamente um Monster Manual de Dragões.
  • Muitos detalhes para focar sua campanha na temática.
  • Livro focado no DM: jogadores tiveram algum suporte na Dragon.
  • O Hall da fama dos dragões é muito massa!

É isso! Alguém já deu uma olhada e quer dar sua opinião?

Sobre Daniel Anand

Daniel Anand, engenheiro, pai de gêmeas e velho da Internet. Seu primeiro de RPG foi o GURPS Módulo Básico, 3a edição, 1994. De lá para cá, jogou e mestrou um pouco de tudo, incluindo AD&D, Star Wars d6, Call of Chuthulu, Vampire, GURPS, Werewolf, DC Comics (MEGS), D&D 3-4-5e, d20 Modern, Star Wars d20, Marvel Superheroes, Dragonlance SAGA, Startrek, Alternity, Dread, Ars Magica e atualmente mestro D&D 5E on-line via Fantasy Grounds. @dsaraujo
Esta entrada foi publicada em Resenha e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

12 respostas a Draconomicon

  1. Leandro disse:

    Eu adorei esse livro, apesar de não pensar em usar tão cedo, por que os meu jogadores estão no nível 1 ainda, eu dei uma boa olhada nele.

    Dá para perder um bom tempo lendo coisas muito interessantes que provavelmente não vou usar! como por exemplo essas coisas malucas, mas eu gostei dos dragões vampiros!

    []s

    E o novo podcast?

  2. Dani Toste disse:

    Eu adoro o Draconomicom do 3e! Se esse estiver no mesmo estilo definitivamente deve ser um bom livro.

    A história e informação estão separadas num geral ou por espécie de dragão?

    Ele tem regra sobre dragões como familiar e coisas do tipo, que antes ficavam no capitulo destinado ao jogador?

    Tomara que saia o livro com os metalicos que, na minha humilde opinião, são os dragões mais maravilhosos de todos.

    Ah.. sobre as coisas malucas: dragões fada existem desde o AD&D e são mto legais (não tanto quanto os metalicos, logico). Na ultima campanha que joguei a maga tinha um familiar dragão fada mto bonitinho, eles são um pró, não um contra!!

    Último post de Dani Toste: Aleatoriedades

  3. kaishakunin disse:

    Daniel,
    Tirando a parte mecânica obviamente, há algum conflito entre as informações do Draconomicon 4E e o da 3E?

  4. Shin disse:

    O dragão fada é um bixo muito fofo!
    Mas devo dizer que é um tanto quanto esquisito.

    Achei muito interessante os “esconderijos” dos dragões, gostei também da parte que fala dos filhotes.

    O mais engraçado é que o desenho de cada filhote é tão fofo, parece mesmo um filhote de dragão!

    Cya

    Último post de Shin: Conceitos: Papéis dos Montros II!

  5. JexDragon disse:

    achei muito maneiro o livro, concerteza vou usar numa campanha dracônica =D

    Último post de JexDragon: Background de Personagens

  6. Henrique disse:

    Sua resenha me motivou a dar uma olhada a sério nesse livro. O único problema é que estou esperando sair o livro dos mortos-vivos, esse eu compro!
    Uma coisa: onde vc compra os livros? Na Amazon?
    p.s.: Os dragões-fada são legais! Combinam e muito com o mundo dos fey!

    Último post de Henrique: Sobre as raças no meu cenário – parte I

  7. Marcellus Del Ry disse:

    eo quero mtu ter esse draconomicon, ja tenho o da 3° edição, agora tenho qe ter esse na minha coleção, estou curioso pra saber quando vai chegar a versão em portugues.

  8. Vill disse:

    Uma coisa sobre o post: não devia estar na categoria Resenha ao invés de Enquete?

    Último post de Vill: 10 Dicas Para Uma Longa Campanha

  9. Pingback: Open Grave: Secrets of the Undead « Dungeon Crawler

  10. Daniel Anand disse:

    Valeu Vill, já arrumei a categoria!

  11. Adail Cavalheiro disse:

    Eu já li boa parte desse livro e recomendo. A menos que sua campanha não tenha nenhum foco em dragões, será bastante útil. No meu caso, mestro para um grupo de 5 personagens, e creio que me ajudou bastante. Os novos dragões do livro, especialmente o purple, são demais! Dá até para imaginar como será o livro dos dragões metálicos. Mal posso esperar. Não é à toa que fazem parte do título do RPG.

  12. Fernando Duke disse:

    Fala Galera,sou do Rj e gosto muit de RPG e principalmente de Dragões,por iss oacho q esse livro deve ser muito bom,gostaria de saber como é esses esquema q o daniel faz pra jogar pelo fantasy ground 2 q não jogo RPG de table a muito tempo,e gostaria de voltar a jogar!!

    Vlw abraços

Os comentários estão encerrados.