Podcast Rolando 20 – Episódio 49 – Heróis das Terras Caídas

Olá Jogadores e DMs,

Demoramos para voltar a postar, mas voltamos Daniel Anand & Davi Salles com a resenha completa do Heroes of the Fallen Lands, o livro do Essentials que atualizou as classes básicas do Dungeons & Dragons 4a edição. Quer saber como estão as versões alternativas do guerreiro, ladino, clérigo e mago? Debulhamos as classes, com uma pegada um pouco mais crunch, e dando nossos pitacos também sobre o Essentials (e sobrou até para o Heroes of Shadows).

Links

E se você gosta de D&D 4E, não deixe de seguir o Rolando 20 no Twitter! Sempre tem novidades, dicas e links por lá! E não se esqueça de colaborar com seu podcaster favorito! Se for comprar Dungeons & Dragons na Amazon, é só clicar antes aqui! E se quiser jogar um D&D com gostinho de antigamente, recomendamos o Old Dragon, da RedBox!

E rolem 20!

Sobre Daniel Anand

Daniel Anand, engenheiro, pai de gêmeas e velho da Internet. Seu primeiro de RPG foi o GURPS Módulo Básico, 3a edição, 1994. De lá para cá, jogou e mestrou um pouco de tudo, incluindo AD&D, Star Wars d6, Call of Chuthulu, Vampire, GURPS, Werewolf, DC Comics (MEGS), D&D 3-4-5e, d20 Modern, Star Wars d20, Marvel Superheroes, Dragonlance SAGA, Startrek, Alternity, Dread, Ars Magica e atualmente mestro 13th Age. @dsaraujo no twitter
Esta entrada foi publicada em Podcast e marcada com a tag , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

50 respostas a Podcast Rolando 20 – Episódio 49 – Heróis das Terras Caídas

  1. DM Rafael disse:

    Legal, vai ser bom ver a opinião dos profissionais.

  2. @kayouso disse:

    Boa vou começar a escutar agora.. o/

  3. Baixando agora esse episódio ESSENSSIAL! 🙂

  4. Anand Devesh disse:

    Nossa ouvi o podcast no trabalho muito, muito bom realmente algo ESSENSSIAL para o D&D 4ª hehehe

    Mesmo o Blog tendo 3 anos de vida fui conhecelo recentemente (no começo deste mês) e tenho houvido quase dois podcasts por dia acompanhando a ordem de lançamento oque me deixava com uma vontade enorme de comentar, porém como os posts teriam 3 anos de delay não achei valido expressar minha opinião, MAS agora que saiu um fresquinho do forno posso falar tudo que ficou entalado esse tempo todo.

    Bem oque mais me impressiona neste blog é a PAIXÃO pelo jogo (mesmo o Davi estar meio enjoado de joga-lo) e isso contagia todos que ouvem eu comecei a jogar D&D na 3ª mas nunca pude acompanhar uma campanha completa, meu mestre era mmuito inesperiente na plataforma apesar de conhecer bem as regras nunca conseguimos formar um grupo muito bom pela dificuldade das regras que sempre expantou os menos apixonados. Foi na RPG-A que conheci a VERDADEIRA face do D&D 3.5 e todo seu potenssial e fiquei muito assustado com a complexidade mas aprendi muito com as pessoas envolvidas e o mestre, mesmo a aventura não indo para frente por desanimos e frustrações dessas mesmas pessoas.
    Fiquei muito desanimado quando saiu a 4ª edição pois vi todos os meus livros da estante perderem seu valor por esse motivo não atinha corrido atras dela afim de preservar o valor deles (agora escrevendo isto percebo que foi algo muito bobo de minha parte).
    Quando ouvi o primeiro podcast do Rolando 20 aquela chama se ascendeu novamente em meu peito e estou super empolgado para jogar, quero conhecer mais pessoas que joguem para me "iniciarem" novamente no D&D, por isso MUITO OBRIGADO DAVI e DANIEL (meu chará) por mostrarem sua paixão pelo jogo e me arrastarem com ela.

    Quase comprei o REDBOX estava no site da Wizard fechando o pedido quando o Daniel falou que a devir vai lanchar em portugues. Santo Daniel agora é juntar a grana e esperar esse incrivel lançamento e tentar infectar meus colegas com o "bixinho do D&D"

    • Daniel Anand disse:

      Pôxa, que comentário bacana! Ficamos muito felizes de saber que existem pessoas que ficam animadas (ou reanimadas) com D&D e RPG em geral.

      E torcemos junto com vocês para ver a caixa vermelha em português. Com certeza vai ajudar ainda mais os brasileiros a manter acesa a tocha do Dungeons & Dragons.

  5. Meu grupo já joga 4th Edition desde seu lançamento e qnd vimos o Essentials com sua temática de explorar ataque básicos e features já definidas nos fez enxergar como uma tentativa de agradar ao povo q continuou jogando o 3.5. Li a opinião dos desenvolvedores no site da Wizards e isso só deixou claro q era essa a intenção.
    Não vejo o Essentials como uma forma simplista do 4th, pois o sistema em si está deveras mais fácil q o 3.5. Essas builds poderiam ter sido acrescidas já a mecânica do jogo ao invés de ter sido criada essa ramificação. Devido a isso ainda não saiu os segundos livros do Arcane, Divine, Primal e Psionic Power.
    De útil mesmo dos livros Essentials foram os feats q finalmente atualizaram e a nova formatação que trouxe o "fluff" q tava faltando aos livros.

    Qnt ao podcast nº 50, vcs poderiam comentar sobre suas aventuras ou personagens mais memoráveis q tiveram em suas mesas de jogo.

    Parabéns pelo ótimo podcast.

    • Daniel Anand disse:

      Na verdade os livros das séries XXX Power pararam de sair porque não fazem muito sentido com as ferramentas on-line. Mesmo eu que sou colecionador ficava meio desapontado com eles. E reitero aqui: não existe ramificação. Já joguei com builds essenciais e builds clássicos na mesma mesa e a coisa flui perfeitamente.

  6. Fala Anand! Obrigado pela indicação ao Planetcast de Essentials. Agora vou ter mais informações "crocantes" sobre as classes.

    Grande abraço!

  7. @oshi Minamoto disse:

    Opa… aqui estou eu neste primeiro post… Gostaria de colocar algo em pauta…

    Vcs acham que a Devir vai lançar Playes handbook 3 em Português ???
    E ainda acham que a Devir vai lançar alguma coisa de D&D ???

    Eu, sinceramente acho que não… 🙁

    • Daniel Anand disse:

      Acho pouco provável, porque o PHB3 é bem específico, com as classes psiônicas e tudo mais. Mas que ainda vai lançar material em Português, isso tenho certeza: é uma licença cara e lucrativa.

  8. Pois é Anand, vcs aqui do Rolando 20 que me fizeram comprar D&D 4e #aculpaédoRolando20

    Sobre o Player's Handbook 3 vi no Twitter que vai sair sim traduzido pela Devir, mas só Deus sabe quando.

  9. Ola Davi e Anand.
    Achei o podcast muito bacana, apesar de nunca ter jogado nada da linha do Essentials, mas foi muito bom o esclarecimento sobre o produto e até tirou algumas duvidas que eu tinha. Achei interessante a ideia do Essentials de simplificar as coisas, e de facilitar o jogo para os jogadores iniciantes.

    Mas como eu não joguei, e sou leigo no assunto, vai ai algumas ideias para o podcast Nº 50 do Rolando 20: Os suplementos para Neverwinter e Shadowfell ou sobre os Boards Games de CastleRavenloft, Wrath os Ashardalon e Conquest of Nerath.

    Um grade abraços para vc’s.

  10. Rey Ooze disse:

    Comecei a ver os Essentials com bons olhos de tempos pra cá, quando vi que deixaram o jogo mais rápido sem mudar as regras. Acho que valem o investimento pois o retorno vai agradar os que querem algo menos complicado. E uma pergunta: no Essential tem AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAACTIOOOOOOONNNN POOOOOOOOINT ??

  11. Faltou dar uma sugestão para o episódio 50.

    Que tal uma sessão de jogo especial só com os podcasters como Vocês do Rolando 20, Marcelo Dior, Tchelo Pascon, Tio Nitro, Márcio Fiorito… acho que seria uma One Shot que renderia muito papo por um bom tempo, e atrairia a atenção dos ouvintes de VÁRIOS podcasts.

    Abração e tá chegando a hora de assoprar a velinha hein?

  12. @kayouso disse:

    Bom dia, tarde e noite a todos.

    Primeiro sejam bem vindos novamente o/. Adorei matar a saudade do podcast de vocês.

    Bom eu não conhecia nada da série Essentials, tanto que me assustei quando fui montar meu clerigo no builder chacarcter e vi o war priest lá e o slayer hahaha.
    Gostei do conteúdo do podcast e achei muito maneiro o Davi não estar com o livro na mão, pois assim ele foi tirando todas as duvidas e deixando tudo muito esclarecido, gostei do Davi dando uma de Azaghal hahaa.

    Outra informação interessante foi sobre a red box que nao sabia que iria sair aqui.

    Mas concordo com vocês que já existem muitas opções, mas realmente para quem era apaixonado pela terceira edição agora vai sentir um pouquinho do gostinho nessa serie Essentials.

    O problema é que cada vez mais sinto vontade de jogar ouvindo isso tudo hahaha…

    Abs.

  13. @mouzart disse:

    Muito bom o trabalho de voces.. conheci a pouco tempo mais já virei fan xD

  14. Eu já ouvi muita gente reclamando da série Essentials, dizendo que nunca usaria nada presente nestes livros por eles serem muito básicos e não terem sido desenvolvidos para os jogadores mais avançados.

    Mas essa série tem dois pontos muito interessantes de serem usados por jogadores básicos e avançados, os novos feats (que dão novas opções de customização para todos, algumas até mesmo apelativas :D) e o fluff, que pode não ser tão profundo como estávamos acostumados com as edições anteriores, mas mesmo assim ainda é mais fluff do que deram pra gente nos livros básicos da 4e.

    Então no fim das contas, o grande problema são os jogadores avançados que não querem se "rebaixar" e utilizar livros com a palavra "Essentials" na capa.

  15. Eu particularmente não usarei os livros Essentials por uma razão muito simples, D&D 4ª edição é pra mim a edição mais divertida de se jogar e mestrar, com muitas opções para todos os personagens e acabou com a maldita "tabelinha de classe".

    Os Essentials são válidos no que se prestam (tornar o jogo um pouco mais simples, trazer novos jogadores e tentar alcançar os jogadores que ainda não haviam migrado da 3.x pra a 4e), possuem títulos muito bons (eu mesmo preferi comprar o Monster Vault ao invés do Monster Manual 1) mas infelizmente não me agradam as classes (questão pessoal, estou cansado de tudo que lembre 3.x, Pathfinder, Tormenta RPG).

  16. Sembiano disse:

    Olá Pessoal,

    Realmente um podcast muito bem feito e pautado, uma verdadeira clarificação e desmistificação do que é o Heroes of the Fallen Lands dentro do conjunto da 4e.

    Eu tive a oportunidade de mestrar para uma mesa onde tinham novatos e e veteranos somente com personagens Essentials, realmente o combate é mais rápido….., mas também ele se torna mais mortal caso use os monstros do Monsters Vault.

    Gostaria de ver no episódio 50 uma análise nesta mesma linha que fizeram neste último podcast para o novo suplemente de Neverwinter que tem sido bastante elogiado e merece uma análise pautada e coerente como vocês sempre o fazem.

    Somente uma observação que os produtos da Linha Essentials em sí tem preços faciais realmente menores que os outros livros da 4e no geral.

  17. Pra quem não conhece o Monster Vault, ou pelo menos não viu o unboxing em português, eu fiz um videozinho onde monstro o conteúdo da caixa: http://noticias.terceiraterra.com/resenha-do-mons

  18. Galera, muito bacana o podcast,
    (Abrindo um parêntese, esse foi um dos podcast que eu mais tive aquela vontade de FALAR com os podcasters… de me meter na conversa e dizer: "Não Daniel, o clérigo segue a mesma proposta do mago, para jogadores mais avançados…" ou "Com certeza, o Ladino do essentials é tudo o que eu sempre pensei sobre como a classe deveria ser…". Alguém sente isso também? =P)

    Eu já tinha dado uma lida e sempre defendi essa linha como um fôlego novo para a 4ª edição, mais material e uma nova proposta, mas nunca uma nova edição.

    Achei as classes bem interessante como opções, principalmente para iniciaites, eu até já joguei em mesas que jogadores usaram… algums dizem que o Ranger (do Heroes of Forgotten Kingdons) Scout é muito apelão (causa muito dano, e é verdade), mas ele também é mais limitado e menos versátil que sua versão PH I, ele é realmente um monte de dano… e pouca coisa a mais.

    A Wizards quis trazer um D&D com raizes mais antigas, onde jogadores com níveis de conhecimento diferente sobre o jogo escolhessem personagem diferentes, como o Daniel falou, o mago, geralmente, é pra jogadores que conhecem o jogo bem mais do que aqueles que jogam com o Guerreiro, por exemplo. O Clerigo segue essa mesma linha.

    Agora o Ladino, virou tudo o que eu sempre achei que ele deveria ser, um sujeito difícil de alcançar no campo de batalha, devido a sua mobilidade. O Ladino do PH I tentou seguir essa linha (Principalmente o baseado em Carisma), mas de uma forma muito menos efetiva (Arriscar um ataque de oportunidade, mesmo com bonus na CA, era bem complexo).
    Digo isso por experiência própria, meu personagem principal no D&D 4 foi um Ladino Goblin, O "Venck TIfuro", eu tentei fazer ele misto (comabte a distância e Corpo a Corpo) no início, mas percebi que a distância o ladino era bem menos efetivo (ainda mais em um grupo pequeno, de 4 jogadores como o meu), mas depois "Reciclei" algumas coisas e joguei ele pra linha de frente… mas percebi que ele tinha uma CA e PV's muito ruins para ficar lá… ideal seria bater e sair do alcance. Agora eu migrei ele, com autorização do mestre, para o Thief da linha Essentials… cara ESSE é o verdadeiro "Venck Tifuro"… um ladino extremamente móvel, covarde e mortal, mas ainda de "Papel"… =P

    Sem contar que vou narrar em um evento em Dezembro, aqui em Belém mesmo, e vou usar as classes essenciais para a maioria dos personagens, pois são mais simples e ideais para aqueles jogadores de primeira viagem.

    Um grande abraço.

    PS: Um combo canalha com o Thief (Ladino do Essentials) é "Unbalancing Trick" + Charge +Boots of Adept Charging": Com Unbalancing Trick o personagem ajusta dois para longe do inimigo (depois se acertar um ataque nesse turno o alvo é derrubado) faz a charge contra ele, se acertar derruba e depois ajusta 1 se afastando do inimigo com as boots. Resultado:
    Ou o inimigo se levanta (perde sua move action) e se move de novo (ou ataca a distância)… pois com essa distância (1 quadrado) ele não pode fazer charge, ou se "arrasta" e ataca caído (-2 para acertar) =P. Isso que eu chamo de tirar o seu da reta!!

    • Diacho… eu não escrevi um post… eu escrevi um TRATADO… ¬¬
      #meempolguei #foimal

    • Daniel Anand disse:

      O clérigo essencial é bem mais simples que o mago essencial. O clérigo essencial faz uma escolha: quero ser de cura ou de ataque, e todas as escolhas estão feitas até o nível 30. O mago tem três escolas, aprende coisas das três, e ainda tem várias escolhas de dailies para fazer, sendo bem mais customizado. Mas claro, o clérigo ainda é mais complexo que o guerreiro e o ladrão, especialmente se lembrarmos dos rituais.

  19. Paulo Cesar disse:

    fala galera…. bom eu ouvi esse ultimo podcast sobre o Essentials (gostei muito), li os artigos de vocês e tenho uma dúvida: me mestre pegou algumas regras do essentials e apenas misturou com as regras das classes do livro do jogador 1 e 2 e poder marcial…entao o meu fighter, poer exemplo, tem tanto at-will's como uma stance…. eu confesso que ando meio perdido com tantas regras e misturando tantos livros…
    vocês acham que então com o essentials eu nao devo misturar-lo com os outros livros, ou até pode misturar sim, mas não é algo necessario?
    ……sobre o podcast 50…. seria algo muito bacana ouvi uma "mesa" de vocês. Um jogo, rápido, simples, até mesmo com a série Essentials ! ia ser bacana…
    abraço a todos….

    • Gostei da idéia da mesa!! (sobre o podcast 50), chama os podcasters que vocês conhecem, incluindo o TIO NITRO!! (só não deixa ele narrar se não é TPK!). =P

      NESSE caso eu acho complicado, misturar características de classes! O Fighter do LdJ e o do Essentials são CLASSES diferentes (ao meu ver), assim um fighter LdJ 1 com acesso as stances do Knight ou do Slayer no lugar (ou junto) com seus poderes at-will ai já é regra da casa.
      Mas na verdade problemas seriam apenas uma POSSIBLIDADE. Cada grupo joga como bem entende e melhor se diverte =P.

      Mas, de longe, seria como misturar o melhor do Avenger com o Clérigo, sem usar as regras de híbridos.

      Agora misturar os poderes que tem níveis e são do mesmo tipo (Utilitário Lv2 do Guerreiro padrão no Guerreiro essencial ou um Sem limite de lv 1 do clérigo padrão no clérigo essencial e virce versa) é de boa.

      Um abraço.

      • Davi Salles disse:

        Pode misturar numa boa, lembrando que não dá pra combar o poder do at-will com o poder da stance, já que a stance afeta apenas os ataques básicos, e at-will não é ataque básico.

    • Paulo Cesar disse:

      valeu pela moral galera……

  20. DM thiagus disse:

    Confesso que só me interessei no essentials dpois de ouvir o podcast.
    estou até baixando aos pouco os ivros…hehehehe
    alguém sabe me dizer se tem alguma diferença nas regras de combate ou algo parecido?
    pelo o que andei vendo no master's book tava quase td igual, até as ilustrações tem várias repetidas!!!!!
    hehehehe

    o pod 50 poderia ser algo sobre as coisas mais idiotas em d&d que vocês ja viram ou ouviram falar e talvez alguns atos dakeles heroicos que mostra pq o personagem é O CARA!!!!!!!!!!! hehehehehehe

    abraços !!!!!!!!!!!!!!

  21. sembiano disse:

    Opa,

    Alguns poderes efetivamente mudaram, mas boa parte deles antes do Essentials e também depois, vale comentar que as classes básicas foram "atualizadas" em matéria do DDI e nisto alguns poderes foram modificados novamente. Os montros também sofrerão e continuam sofrendo "updates" "disfarçados" de novas versões, agora a dinamica do combate em sí não mudou.

  22. OD_ disse:

    Ficou muito bom. Fazia tempo q não escutava o podcast de vcs.
    Gostei desse ultimo, o essentials veio comumas ideias boas, principalmente em facilitar certas mecanicas(e voltar a utilidade de golpes basicos) =]

  23. @paulokoi disse:

    Eu estava com o pé atras com essa linha Essentials mas vocês acabaram por me deixar MUITO interessado nessa linha e no momento certo onde surge uma dúvida:

    Convenientemente estou montando um grupo que é uma mistura de jogadores novatos + jogadores mais interessados em contar histórias do que preocupados em estratégia de combates. Tenho em mãos o PHB1, MG e o MM. Além disso sou assinante do DND Insider e consequentemente sou usuário fiel do Character Builder. E ai vem a minha dúvida:

    Posso utilizar a opção do Character Builder para criar personagens Essentials e me guiar pelas regras de condução de jogo dos livros básicos?

    Eu sei que vocês falaram que é inteiramente compatível mas é bom repetir heheheh.

    Valeu o Podcast de vocês está bom de mais e graças a vocês eu voltei a jogar RPG no inicio do ano com o 4E

    • Daniel Anand disse:

      Pode sim, mas é bom ter os livros para referência. Por exemplo, estou jogando de druida sentinela, e as estatísticas do meu Urso não vieram na ficha do Character Builder. Além disso, os livros do Essentials trazem um monte de fluffy legal, dando dicas de como interpretar a classe e suas combinações com as raças.

  24. @dracobahamut disse:

    Eu acho o site da WIzards muito confuso para saber quais livros existem, e quais serão lançados (pelo menos para mim que não sou assinante), só agora com o esse podcast junto com o podcast do RPGArautos que eu consegui entender como funciona o Essencials. Valeu mesmo.
    Pelo menos eu me interessaria sobre um podcast sobre como é o DDI pelo lado de dentro e que materiais exclusivos existem lá. Tambem gostaria de entender mais o que foi lançado de 4E em 2011 e como funcionam essas caixas de jogos de tabuleiro. Obrigado pelo esforço.

  25. Pingback: Rolando 20 | Todos os casts

  26. ArturBG disse:

    O Rolando 20 está acabando?
    Vocês Naõ postam mais nada faze bem um mês. Acho que falo em nome de todos os leitores e ouvintes. Queremos o Rolando 20 devolta a ativa. Se vocês estão com problemas e nã opodem mas postar nada acho que deveriam fechar o site e pelo menos retira o fardo que os leitores tem de entrar todo dia para ver se tem um post novo e ver que não há nada.
    Pesso a vocês, Daniel Anand e David Salles, Porfavor, Voltem a postar.

    • Daniel Anand disse:

      Cara, algo que nunca vou fazer é "fechar" o site. Ainda que a gente pare de postar para sempre, o conteúdo sempre estará disponível para os usuários.

      Mas entendo o apelo! 🙂 Eu e o Davi estamos tentando voltar com tudo esse ano, vamos ver!

  27. fuca disse:

    cabo isso aqui?

  28. Jullian Anderson disse:

    Companheiros de mesa… Por favor não parem de produzir este excelente blog. Precisamos unir forças para manter o RPG vivo no Brasil. Entrem em contato. Vamos planejar e afazer mais atividades.
    jullian.anderson@me.com

  29. Silas disse:

    Cara cadê vocês?
    Curto muito o Rolando 20, hoje mesmo tava ouvindo esse PodCast e vou passar pra três jogadores meus ouvirem (um que vai de Rogue e outro de Fighter e o Clériog), isso sem falar que foi um jogador meu quem me passou para ouvir esse.

  30. luizcarlosjuno disse:

    Diferente dos últimos comentários com reclamações, eu quero parabenizar D&D (Daniel e Davi) pelo ótimo podcast! Também vou desejar um ano de 2012 repleto de realizações e novidades. Força Rolando 20, rumo ao episódio de número 50. Abraços e um Feliz Ano Novo!

  31. leonam disse:

    sei que não é o lugar, sempre esculto os podcast de vcs, e desta vez ouviu eu e o mestre da campanha. E fiquei com uma duvida, estou tentando postar la no formspring e não to conseguindo, espero q possam me ajudar.
    Ola, estava ouvindo o podcast 49 e fiquei com uma duvida, estava montando um slayer humano. Os humanos ganham ainda no essentials um ataque sem limites extra? se ganhar no essentials o slayer tem posturas no lugar de ataques sem limite, o que eu faço?

    • Daniel Anand disse:

      Stances não são poderes at-will. Se sua classe te dá class powers ao invés de at-will, use o poder de humano do essentials, que substitui o at-will extra por um poder por encontro (poder muito bom, aliás).

  32. jefferson disse:

    quando vcs vão constinuar a com os podcasts são muito boms please continuem

Os comentários estão encerrados.