Reporte de sessão: Escamas Púrpura sessão 18

E depois de 18 sessões, começando no segundo nível, chegamos ao final do estágio heróico para a tropa de elite de Cormyr, os famigerados Escamas Púrpura. Em Myth Drannor, nosso grupo tinha que obter um antídoto para o gás devorador de carne que demônios, aliados de Thay, iriam detonar em Suzail, capital do reino de Cormyr.

O que é um reporte de campanha? É uma postagem onde descrevo sucintamente os acontecimentos da última sessão, comentando os encontros e desencontros do grupo. Nossa aventura é em Forgotten Realms, usando o sistema do D&D 4ª edição. O nosso grupo está no nível 11, escolhendo seus caminhos exemplares.  Esse post de hoje ficou gigante, pois foi uma sessão de 12 horas (com pausa para a janta)!

A missão

Erzoured Obaskyr, o sobrinho do rei Foril de Cormyr, está tentando o domínio do reino, manipulando os dragões púrpuras, war wizards, e fazendo alianças com os Shadovar de Netheril, de maneira a sair numa guerra contra Thay, e permitindo a invasão de Cormyr por Netheril. Mas não sem resistência: o Coronel Edward Jacobs e seu grupo de elite Escamas Púrpura trabalham nas sombras para essa guerra não aconteça, convencendo os aliados de Cormyr a retirar seu apoio bélico. No entanto, Thay decidiu fazer um ataque preemptivo, aliando-se a antigos demônios de Myth Drannor, que tinham a fórmula para um gás devorador de carne. Telessar, líder dos War Wizards e aliado dos Escamas Púrpura, avisa que quase morreu tentando vencer o guardião do antídoto, no antigo lar de um aracnomancer, em Myth Drannor.

O grupo

Na sessão dezoito tivemos o grupo completo: Amos, Wren, Calima, Calixto e Evangeline presentes.

A história

  1. Depois de vencer os demônios que guardavam a passagem para as ruínas de Myth Drannor, o grupo entra numa câmara coberta de teias. Lá dentro, são emboscados pelo Arachnomancer, um mago drow renegado, e um Golem de Teia. Além disso, duas Blade Spiders enormes envenenavam o grupo. O grupo demorou um pouco para focar o ataque, mas eventualmente venceram os inimigos e impedem o Aracnomancer de criar mais golems como esse.
  2. SharnContinuando a exploração, o grupo acaba se deparando uma cicatriz mágica na realidade, conseqüência da terrível Spellplague que assolou Fae-Rûn. Magia pura em forma de um fogo azul sem calor, impedindo a travessia, obrigatória, dos heróis. Calima e Calixto usam seus conhecimentos arcanos para abrir uma passagem pela barreira, enquanto seus colegas saltam. Mas Evangeline e Amos acabaram entrando em contato com o fogo azul, e ficaram com um brilho azul por todo o corpo, ficando vulneráveis a ataques mágicos.
  3. Numa antiga biblioteca de Myth Drannor, o grupo encontra um monstro guardando o antídoto. Uma criatura monstruosa do tempo dos princípios do mundo, um Sharn. Mas não um Sharn comum, mas um afetado e louco pelos efeitos da Spellplague. Numa sala coberta de fogo mágico, com Amos e Evangeline apanhando bastante por conta de suas novas vulnerabilidades, e com a criatura voando pelo topo da sala, quase vimos a derrota dos Escamas Púrpura. Mas ainda não foi dessa vez, e o monstro foi vencido, e o antídoto encontrado.
  4. Começa a busca pelos ingredientes, ali mesmo na floresta. Laradorien, a druida que acompanhava o grupo os ajuda no processo. A receita do antídoto tinha os seguintes (e convenientes) ingredientes:
    1. Mandrágora
    2. Água limpa
    3. Pedras de cascalho
    4. Enxofre
    5. Gerânios de Myth Drannor
    6. Olhos de Displacer Beast
    7. Barba de anão
    8. Cílio de Eladrin
    9. Presa de Bugbear
    10. Garra de basilisco
    11. Uma escama do dragão púrpura
  5. O grupo acaba descobrindo que Nightshade, o dragão vencido na Underdark, pai do primeiro dragão negro vencido pelo grupo, era descendente de Thauglor, o dragão negro morto pelos elfos milênios atrás em Cormyr, que era tão antigo e velho que suas escamas pareciam púrpura. Ou seja, suas escamas eram (mais ou menos) do dragão púrpura que gerou os Purple Dragons de Cormyr, que era o necessário no antídoto. Wren tinha guardado uma escama de Nightshade. Amos doou um pedaço da barba, muito a contragosto, mas o mais difícil foi a presa de Bugbear. Depois de muito relutar, Wren faz um pacto com Lolth para fazer renascer sua presa, e o arranca e entrega ao grupo.
  6. Alestia, filha de TelessarNos arredores de Suzail, o grupo encontra Coronel Edward Jacobs e os outros Escamas Púrpura. Jacobs não conseguiu impedir os demônios de posicionar o gás devorador de carne em locais estratégicos da cidade, mas a muito custo conseguiu a localização destes. Os barris estavam programador para detonar no meio do dia seguinte, durante as comemorações do aniversário do príncipe real. Ele divide os Escamas em três times, um para lidar com cada barril:
    • Alpha Team: Col. Edward Jacobs, Keira, a arqueira, Alestia, a sorcerer filha de Telessar, e Charrak, o kobold que ajudou o grupo no Seven-Pillared Hall;
    • Bravo Team: O grupo dos PCs, mais Laerl, o vampiro, que é o único que sabe a localização da tumba de Caladnei, a War Wizard, que guarda a chave para a sala dos cetros, onde está um dos barris.
    • Charlie Team: Cederic, par romântico de Calima, Naele, uma humana guerreira, Laradorien, a druida, e Gwynd, a Genasi do ar que agiu com o grupo no passado.
  7. O Bravo Team então invade os subterrâneos de Suzail, sendo guiados por Laerl, o vampiro sem braço, muito a contragosto. Passam sem grandes problemas pelos poucos guardas low-level dos esgotos, e acabam chegando na entrada da tumba de Caladinei. Lá, têm que passar pelo corredor das armadilhas, que descrevi no último post.
  8. Do outro lado do corredor, os guardiões da tumba. Golems! O grupo apanhou pacas aqui, mas conseguiram proceder.
  9. Dentro da tumba de Caladinei, o grupo descobre o que aconteceu com o mestre da War Wizard, o lendário Vangerdahast, mago da corte cem anos atrás, no antigo reinado de Azoun IV; basicamente ele virou um dragão, ficando suspenso no tempo, para salvar Cormyr no momento de maior necessidade; também pegam a chave da sala dos cetros.
  10. Saindo dos subterrâneos, o grupo invade o castelo real. Aqui as defesas não eram tão simples, e o grupo acaba chamando a atenção dos inúmeros guardas que patrulham o local. Correm para a sala dos cetros, onde Calixto usa o antídoto no barril. Mas o grupo é cercado, e capturado por ninguém menos que o sobrinho maligno do rei, Enzoured em pessoa. O grupo é levado, desarmados e contidos, para as masmorras de Suzail.
  11. Calíope, a BansheeNo dia seguinte, no meio das comemorações do aniversário do príncipe, o grupo será executado por crime de traição ao reino de Cormyr. Mas Thay percebe que seu ataque preemptivo falhou, e envia uma de suas melhores tenentes para resolver o problema e acabar com a pedra no sapato de Szass Tham: Calíope, uma das irmãs de Calima e Calixto que foram tranformadas em banshees. Ela, mais um exército de demônios, e nada menos que um aspecto conjurado de Demogorgon começa a atacar a cidade. Vangerdahast surge em forma de dragão para lutar com o aspecto, enquanto o grupo se ocupa em vencer Calíope. No final do combate, a banshee agradece a libertação da não-vida pelas irmãs. Os demônios são vencidos, e o aspecto volta ao Abismo. Vangerdahast está livre de seu juramento, mas Cormyr mais vulnerável. Enzoured é preso.
  12. Na manhã seguinte, saem da neblina de manhã no horizonte de Suzail as tropas de Netheril. Mas o exército de Cormyr nunca deixou o reino, está em frente (e atrás) das muralhas pronta. Destacamentos de Myth Drannor, Aglarond e Akanûl também estão lá esperando pelo Shadovars, que sabem que serão derrotados, e dão meia volta, voltando para Anauroch. Os  Escamas Púrpura voltam a ativa e o reino está salvo. Fim do estágio heróico.

Encontros

  1. ArachnomancerEncontro também do Delve Night, como citei no último reporte:
    • 1 Arachnomancer - Level 13 Artillery (Leader)
    • 1 Web Golem – Level 14 Elite Soldier
    • 2 Blade Spiders – Level 10 Brute
  2. Armadilha de Spellplague. Precisava de um teste de Arcanismo Difícil para abrir uma brecha, e um teste de Acrobacia difícil para atravessar, e os testes são simultâneos. Falha em um dos dois implica em contato com o fogo azul, dando Vulnerabilidade 5 contra dano de força até o próximo descanso longo (ou o DM achar que acabou);
  3. Luta contra o Sharn. Foi só o Sharn do Guia de Campanha de Forgotten Realms (que já é um monstro artillery level 12 Solo), mas com várias áreas de Spellplague, que causavam 10 de dano de força. Além disso, troquei o poder de fazer Second Wind do Sharn por se teleportar até 10  quadrados e deixar uma área de spellplague em burst 1 na origem quando ele ficasse sangrando;
  4. Roleplay e alguns skill challenges improvisados (procurar gerânios, etc);
  5. Enroleplay e muita risada;
  6. Roleplay e revolta com a presença de Laerl no grupo!
  7. Corredor das armadilhas;
  8. Fang GolemLuta contra os golens. Os Fang Golens estavam nos cantos de uma sala 10 x 10, e o Bone Golem no meio. Quatro artilharias elite fizeram bastante estrago:
    • 4 Fang Golem – Level 9 Elite Artillery
    • 1 Bone Golem – Level 12 Elite Brute
  9. História, descrição do DM;
  10. Vários testes de perícia;
  11. Luta contra os demônios. Mapa gigante, sem grandes detalhes, luta básica:
    • 1 Calíope - Level 12 Elite Controller, baseada na Banshee
    • 1 Nightmare - Level 13 Skirmisher, montado por Calíope
    • 3 Soulrider Devil Eladrin Arcanist – Level 9 Artillery
    • 1 Assassin Imp Murder Lord – Level 13 Murder
    • 1 Eineyes - Level 13 Soldier (Leader)
  12. Roleplay, descrição e encerramento;

Minhas observações

  • Adorei o final da campanha. A luta contra o Sharn foi considerada a mais difícil até agora pelos jogadores, a história fechou um ciclo e amarrou pontas. Teremos um downtime de um ano dentro do cenário para recomeçar com o nosso estágio exemplar! Paragons até que enfim!
  • Alguns PCs passaram para o nível 11 antes do final da sessão. Eles receberam o feat, atributos e hit points, mas ainda não receberam os poderes da Paragon Path, que irão aparecer depois do downtime.
  • O último encontro em si nem foi tão desafiador. Esqueci vários ataques dos demônios, mas já era duas da manhã e eu estava com sono! ;)
  • Acho que foi uma das sessões que mais dei risada com as situações e tirações de sarro!

É isso. Espero que tenham curtido a aventura até agora, e rolem 20!

Esta entrada foi publicada em Reporte de Sessão e marcada com a tag , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

21 respostas a Reporte de sessão: Escamas Púrpura sessão 18

  1. PedroSerrano disse:

    Mó legal a imagem da Calíope!

    E ainda bem que vc trocou o poder do Sharn. Se ele só tivesse um second wind a luta teria sido boring total. Entre chicote e Pinning Smash, o que salvou o monstro foi o teleporte mesmo. Mais HP significaria só mais 1 ou 2 rodadas de sneak attack de Wren + Evangeline…

    E agora: PARAGONS!

  2. Moicano disse:

    Paragon, aí vamos nós!

    Amos will be UNSTOPPABLE!!!

  3. DanielSetita disse:

    Faltou o aftermath da campanha! :D

    Wren sai com Evangeline (DUDA para os íntimos) para trabalhar na guilda da Halfling, mas antes disso pede como recompensa por salvar o reino a orbe do dragão negro salva pelo próprio grupo anteriormente.

    Quando é recusado, rouba a jóia mesmo assim e se despede de uma vez por todas dos Purple Scales. Ainda permanece leal às irmãs eladrin e à halfling, mas entrega a orbe aod Drow para que possam iniciar seu plano de ataque contra Myth Drannor. EM troca, busca ser reconhecido por Lolth para poder suplicar um lugar ao seu lado no futuro distante (leia-se virar Demigod nos níveis épicos).

  4. PedroSerrano disse:

    Ele vai custar 5 nora a mais e ficar imune a stun e perda de AP?

  5. DanielSetita disse:

    BTW,

    No pagaron as classes do grupo serão:

    Amos = Dreadnought
    Wren = Daggermaster
    Calima = Summer Rhymer
    Calixto = Commando Captain
    Evangeline = Guildmaster

    (acho que os nomes são esses, senão saõ bem parecidos)

  6. DanielSetita disse:

    Não confunde os pobres errepegistas Pedro! :D

  7. PedroSerrano disse:

    Não não. O correto é:

    Calixto: Capitão Comando
    Wren: Ninja
    Calima: Múmia
    Evangeline: Baby (Consuelo)
    Amos: a armadura de Baby

  8. PedroSerrano disse:

    Calixto fica em Cormyr, liderando um grupo com os poucos que permaneceram nos Purple Scales. Seus objetivos de investir contra Thay são reafirmados após a luta com Calíope. Cormyr, no entanto, não parece inclinada a enviar exércitos para Thay de novo tão cedo. Então, Calixto sai em viagem tentando angariar exércitos para uma nova guerra.

    Assim, juntando o fator "país infestado por undeads" + "guerra" na equação, Calixto percebe que o melhor negócio é encher os ouvidos dos seguidores de Tempus para começar uma Cruzada contra Thay. Ela peregrina de templo em templo e consegue aceitação na maior parte dos locais por onde passa.

    Seu grande objetivo de derrubar Szaas Tam e salvar suas outras 3 irmãs não está muito longe. Por isso ela mantém contato com seus companheiros constantemente, afinal, a guerra contra o Lich não começará tão cedo, e ela precisará de seu antigo time se quiser ter sucesso!

  9. PedroSerrano disse:

    Ah, e na luta 11 faltou o NEEDLE DEMON!

  10. Vinicius Zóio disse:

    Weeeeee, show! ^^

    Estou ansioso pro meu grupo chegar no Paragon, onde muitas surpresas frorréu o aguardam! ^^

    Tops! :)

  11. Incrível, final de campanha sensacional! Valia até a pena virar livro ou quadrinho oficial do cenário (o lance do Vangerdahast ter virado um dragão foi demais). Pena que seu lance do corredor das armadilhas não deu certo Anand. Espero que tenha melhor sorte da próxima vez que for usar esse tipo de encontro.

    • Daniel Anand disse:

      Essa história do Vangerdahast eu não inventei, é do lore do cenário, descrito no livro Elminster's Daughter. Agora colocando descanso no velhinho finalmente, aí é culpa minha! :)

  12. Youkai X disse:

    Poisé, para uma sessão de final de estágio heróico e início de estágio paragon, foi mais uma sessão ÉPICA! Foi demais, bem legal mesmo!

    Como você faz para os testes de perícias improvisados? Como distribui XP por tais eventos?

    • Daniel Anand disse:

      Sempre dou XP por quase toda a cena, mesmo as cenas de roleplay, se depender de algum tipo de desempenho ou escolha dos PCs. Por exemplo, numa cena de discussão de plano, se os PCs bolarem um plano bem melhor que o NPC para invadir o castelo, ganhariam XP por isso.

      Skill Challenges também, sempre dá XP, e é a melhor relação XP/minuto do jogo! :) Testes de perícia improvisados não são nada demais, é aquele pedido tradicional do DM: rola diplomacia, então, etc.

  13. Puppet disse:

    Uhmm Paragons !!!

    Quero ver. Chega a hora das decisões, será que o Amos vai passar a usar armaduras pesadas ou vai pegar Hide Armor Expertise para manter o seu dano ?!!!

    • Moicano disse:

      Heavy armor nunca mais!

      Aliás, dizem que ele está explorando mais seu lado selvagem, então é bem possível que uma multiclass primal esteja a caminho! hehe

  14. mar disse:

    como eu fasso para jogar com vcs

  15. samuel disse:

    peço a licença de voces pra fazer um pequeno flood ^^

    Nos la do TPK Brasil (forum de podcasts de rpg que o rolando 20 faz parte) criamos um chat no msn, pra aqueles que tem menos tempo pra usar o forum ou mesmo bater papo por comentarios poderem discutir sobre RPG e outras bobagens no msn., bastaria adicionar group816660@groupsim.com , mas parece que por alguma obra do destino nao ta dando certo sem ser convidado, entao peço aos interessados que se nao conseguirem adicionar, deixar o msn aqui ou entao no topico do tpk http://www.tpkbrasil.net/rpg-em-geral-f6/tpk-bras… !

    nos vemos por la

Os comentários estão encerrados.