Iniciativa 4E #20 – Morte

http://www.rolando20.com.br/iniciativa-4e/De volta de nossas Tavernas, retornamos com mais uma Iniciativa 4e! Onde você encontrar o selo da Iniciativa 4e, esteja certo que está encontrando material escrito e revisado para a 4ª edição do D&D, com posts conjuntos, temáticos, a cada quinzena. Nosso dia de publicação é as segundas, estão fique esperto para vários outros posts sobre o tema na blogosfera! O tema dessa semana, em clima de Halloween (e feriado de Finados!), é a Morte.

Não deixe de acompanhar também no final desse post os links para os outros membros da Iniciativa e deixe sua sugestão, correção ou colaboração! Para o tema de hoje, algo um tanto simples, mas algo que pode ajudar sua mesa:  a morte heróica.

Regra opcional: Morte Heróica

No D&D, a morte não é algo tão terrível assim. A partir do terceiro nível, mais ou menos, fica bastante acessível o custo de uma magia de ressuscitar os mortos, e a 4ª edição retirou todas as penalidades permanentes aos personagens. Então seu personagem morrer, pelas regras como escritas, não vai atrapalhar muito o jogador, que pode ainda jogar com o mesmo personagem.

Mas em muitas situações, uma morte heróica será muito mais lembrada não só pelo grupo de jogadores, mas também pelos NPCs de qualquer cenário se for realmente empolgante. Eu acho que praticar o desapego budista aos seus personagens pode acabar construindo uma história muito mais interessante nesses casos.

Nesse momento, entra a regra da morte heróica. Essa regra opcional não é mecânica, mas um contrato entre o mestre e o grupo. Basicamente ela diz o seguinte:

Se você sacrificar seu personagem, o grupo vence o encontro em que seu personagem se sacrifica. Seu personagem não pode voltar a vida de maneira nenhuma, e você só pode fazer isso uma vez na campanha.

Pode ser uma vez por estágio também, o importante é não banalizar. O encontro é vencido, e o XP distribuído normalmente. Porque que é necessário uma conversa entre o mestre e os jogadores antes de usar essa regra opcional? Primeiro, porque isso deveria acontecer com todas as regras opcionais! 😀 Segundo, porque o encontro, que pode ter sido planejado para ser, por exemplo, um mega combate, vira uma mega cena de interpretação, com o jogador que se sacrifica salvando o grupo, a cidade, ou o multiverso.

O melhor exemplo para uso dessa regra é resumido pela imagem abaixo, que é um spoiler violento das crônicas de dragonlance. Mas, se você não leu ainda, tome aí por não ter lido ainda!!

Sturm's Death por Larry Elmore

Sturm é um personagem da história, e se sacrifica para que seu grupo consiga vencer um encontro mega difícil, planejado para um grupo cheio, mas naquele dia estava chovendo, um monte de gente faltou a sessão, o DM improvisou e errou a mão. Para não rolar aquele TPK no meio da campanha, o jogador usou a regra da morte heróica, e deu a vitória ao grupo, e criou uma das cenas mais melancólicas da aventura.

Claro que mesmo com essa regra, o bom senso ainda vale. Se os jogadores quiserem usar essa regras de má fé, não deixe. Nada de pular o encontro final da campanha no 1º round com um personagem feito duas sessões atrás pulando na maça de Orcus e dizer “Aê, ganhamos”. A idéia aqui é muito mais transformar um possível TPK numa cena memorável do que tirar a graça dos grandes combate, ok?

Outras leituras

Recomendo a leitura desses excelente artigos que já trataram do assunto na blogosfera nacional de RPG:

Outros posts da Iniciativa 4E

Comentem aí o que vocês acham desse tipo de regra, e sugiram outros materiais que podem ajudar os grupos de RPG a lidar melhor com a morte dos seus queridos personagens!

Boa semana, e boas travessuras a todos! Rolem 20!

Sobre Daniel Anand

Daniel Anand, engenheiro, pai de gêmeas e velho da Internet. Seu primeiro de RPG foi o GURPS Módulo Básico, 3a edição, 1994. De lá para cá, jogou e mestrou um pouco de tudo, incluindo AD&D, Star Wars d6, Call of Chuthulu, Vampire, GURPS, Werewolf, DC Comics (MEGS), D&D 3-4-5e, d20 Modern, Star Wars d20, Marvel Superheroes, Dragonlance SAGA, Startrek, Alternity, Dread, Ars Magica e atualmente mestro D&D 5E on-line via Fantasy Grounds. @dsaraujo
Esta entrada foi publicada em Post e marcada com a tag , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

8 respostas a Iniciativa 4E #20 – Morte

  1. DM Rafael disse:

    Achei a ideia muito boa, ainda que tenha ficado muito em aberto. Talvez coubesse um pouco mais de demilitações, mas talvez caiba melhor ao mestre e o grupo resolverem.

    Em todo caso, no Star Wars Saga tem um conceito de destino. Se um herói se sacrifica enquantro cumpre ou persegue o seu destino, é possível conceder um "bônus de destino" para todos os aliados até o final do encontro. Não é uma vitória imediata, mas já dá um bom gás.

    Outra forma de pensar nisso, seria como um "Lifetime power", se compararmos com os efeitos especiais de um encounter ou daily 🙂

  2. Pingback: Iniciativa 4e #20 – A Morte | Red Ninja Press

  3. Jay disse:

    Lembro bem da cena do Sturm morrendo no livro, muito bem feita.
    A idéia da morte heróica é extremamente interesante, mas como o Rafael falou, ela poderia dar um bonus a mais aos jogadores do grupo. Um bonus significativo, afinal o jogador desistiu do personagem que ele veio construindo durante toda a aventura.
    A questão é desenvolver esse bônus significativo.
    Isso ainda evitaria ao meu ver a utilização frequente dessa morte heróica.
    Bom, to gostando de ver novos post aqui no Rolando20, continuem postando!

  4. Franciolli disse:

    Obrigado pela referência.

  5. Gostei da matéria. Mas acho que na minha mesa não ia rolar não. O fato é que meus jogadores são do tipo que abusariam sim dessa "licença dramática" para se dar bem nos encontros. Prefiro deixar eles fazerem personagens novos ou então ressuscitarem seus "bonecos" se tiverem recursos para tanto.

  6. Tahlen disse:

    Essa cena do livro é foda!
    No meu grupo também não acho que funcionaria… ia depender muito do player… mas enfim não é uma má idéia…

Os comentários estão encerrados.