Lacaios

Olá galera!

Hoje vou comentar um pouco sobre essa categoria de oponentes que surgiu no Dungeons & Dragons 4ª edição, mas para os DMs que estão na última edição, parece que estão lá desde sempre! Os lacaios, ou minions, trouxeram para o D&D o dinamismo e estilo de ação que tem muito mais sintonia com a visão heróica e cinematográfica da 4E. Mas, como tudo na vida, temos vantagens e desvantagens. Vamos a elas!

Velozes & Furiosos!

A maior vantagem de usar lacaios é que as lutas ficam mais rápidas. Um encontro intimidador, com trocentos monstros, mas que não vai demorar a tarde inteira para se desenrolar. É legal para o DM, que consegue fazer várias ações rápidas (em geral lacaios tem uma, duas opções de ataque somente), e para os jogadores, que conseguem derrubar vários oponentes e usar seus poderes que afetam vários oponentes.

A desvantagem disso é o indesejável efeito de cabeças cortadas. Esse é o efeito que pode acontecer se você descrever que todo lacaio vai morrer com um golpe, e fica não só inverossímil, mas também violento e não muito heróico. Por isso, lembre-se que uma minion “morrer” não significa que ela foi decapitada. Claro, você pode estar numa luta campal estilo Coração Valente, e vai estar dando espadadas fatais, mas muitas vezes os lacaios irão simplesmente desmaiar, fugir, cair no precipício, ser esmagado pela pedra gigante, etc. Invente formas diferentes de descrever como os lacaios são derrotados, e o efeito cabeças cortadas melhora bastante.

Faça os lacaios valerem

Por outro lado, se os lacaios não duram uma rodada de combate, eles não estão adicionando muito valor ao encontro. Por isso, em geral as minions deveriam começar espalhadas (cercando os heróis, por exemplo), ou entrar da segunda rodada pra frente. Isso faz com que elas tenham um efeito maior no mapa, sem serem completamente destruídas na primeira rodada sem ter change de agir.

Outra coisa é otimizar as ações dos lacaios. Lembre-se que lacaios podem usar a opção de preparar ação [ready action] para dois lacaios atacarem com flanco, por exemplo. Outra opção bacana para lacaios é eles se ajudarem, usando a opção de dar +2 na jogada de ataque para um aliado. Não adianta nada cercar seu guerreiro se ninguém acertá-lo. E não se esqueça da opção de usar a perícia Socorro [Heal] para dar um teste de resistência para os monstros com bônus. Um grupo de kobolds lacaios paramédicos pode ser bem divertido junto de uma luta contra um dragão!

Além disso, pra quem tem acesso aos livros em Inglês, dê preferência aos lacaios do Monster Manual 2, que são muito mais divertidos: eles tem ataques com efeitos, e quase sempre tem algum tipo de efeito quando morrem, seja um último ataque ou um bônus para os aliados. Outra opção é fazer que um crítico tenha algum efeito diferente também, já que eles tem dano fixo.

E esses aí são minions?

Dizer para os jogadores se determinados monstros são lacaios ou não é algo que sempre esteve em debate na quarta edição. E isso depende muito da sua mesa mesmo. Para jogadores mais táticos, que gostam de tomar as melhores decisões na mesa, é interessante informar quem é lacaio no combate, eles irão se divertir bem mais se não desperdiçarem seus poderes mais fortes em lacaios. Por outro lado, se sua mesa gosta mais de interpretar mais o que os personagens sabem, não diga, faça os jogadores descobrirem sozinhos. Um bom meio termo para isso é usar as regras de teste de conhecimento de monstros. Se o jogador passar num teste de conhecimento (Exploração, Arcanismo, etc) com dificuldade 11+nível do lacaio, ele identifica aquele oponente como sendo destreinado e fraco.

E vocês, como usam lacaios nas suas mesas? Deixem suas dicas aí nos comentários, e rolem 20!

Sobre Daniel Anand

Daniel Anand, engenheiro, pai de gêmeas e velho da Internet. Seu primeiro de RPG foi o GURPS Módulo Básico, 3a edição, 1994. De lá para cá, jogou e mestrou um pouco de tudo, incluindo AD&D, Star Wars d6, Call of Chuthulu, Vampire, GURPS, Werewolf, DC Comics (MEGS), D&D 3-4-5e, d20 Modern, Star Wars d20, Marvel Superheroes, Dragonlance SAGA, Startrek, Alternity, Dread, Ars Magica e atualmente mestro 13th Age. @dsaraujo no twitter

Esta entrada foi publicada em Post e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

24 respostas a Lacaios

  1. Rovalde disse:

    Cara os lacaios são uma das coisas mais divertidas na minha mesa de jogo! E você tem razão o MM2 deixou eles muuuuito mais legais!

    Engraçado na minha mesa de jogo não tem muito desse "efeito decepção de cabeça" que vc falou não Annand… acho que é pq os jogadores vieram dos MMORPG e estão acostumados a deitar os lacaios pra chegar nos chefes, então é natural deles imaginarem que caras poderosos estaram cercados por incopententes baba-ovo, hehe…

    "Aí chefe! Eu acertei um deles! Acertei um deles!!!" /cheer
    Em contra-partida à sua sugestão de deixar os lacaios ameaçadores eu muitas vezes uso eles como alivio cômico! Fica muito divertido dar essa cara de "destreinado, inapto, incopetente" aos lacaios! Principalmente quando os jogadores começam a notar isso! ^_^

  2. mike disse:

    Um uso que faço na mesa em que mestro para valorizar o lacaio é pedir para o jogador após o acerto na sua jogada de ataque, jogar o dano normalmente, sem saber que o personagem era um lacaio. Note que isso só da certo em uma mesa onde temos poucos lacaios e pouco jogadores, algo impensavel em um combate no meio de uma guerra com 50 lacaios, por exemplo.

  3. Rodrigo "Big" Campos disse:

    Esqueceu de citar o lance dos lacaios se tornarem apenas "pecinhas de war", que devem ser removidas dos tabuleiros! Sempre tentar caracterizar um pouco os "soldados Ritler", sejam eles kobolds ou lichs de 26° nível, pra passar a impressão que os danados SEMPRE são uma ameaça!

  4. Mano_Maciel disse:

    Meu grupo (iniciantes) jogou uma partida ontem ondem os minions deram muito trabalho porque o DM usou-os para dar poderes especiais a um Guard Drake que barrou a entrada dos herois ao parar na entrada.
    E como os minios estavam com vantagem de cover, e nosso mago não acertava nada nos dados, foi uma labuta. Só após derrotarmos os lagartos é que descobrimos tratar-se de minions.

    Foi bem bacana.

    • Davi Salles disse:

      Parece um bom exemplo de minions serem usados de forma inteligente. Eu lembro de um combate que os monstros foram bem inteligente e os jogadores bem burros (monstros que mais fizeram dano foram os últimos a morrer, e monstros com montao de PV e defesa alta foram os primeiros), o grupo perdeu aquele combate, sem morrer para nao estragar a campanha, mas perderam. Crei que com todas as características da 4e, a principal é o combate estratégico, e é realmente estratégico pq se vc toma decisoes ruins morre, se toma boas, vai bem no combate.

  5. Rodrigo disse:

    Pra mim os minions são a melhor coisa adventa da quarta edição.Não só deixam o combate mais dinâmico,como também mais cinematográficos.
    Não gosto de descreve-los como minions logo de primeira,até porque depois da primeira rodada os pj's normalmente já sacam quais são bucha de canhão.

  6. Marcelo Dior disse:

    Eu costumo sugerir qual o papel de cara monstro através da descrição: lacaios usam armaduras feitas de pedaços, ou armas improvisadas; soldados estão pesadamente armados e se movem com precisão; brutos têm armas enormes, ou são muito musculosos. Via de regra, meus jogadores conseguem inferir o papel através da descrição.

    Duas coisas que também denunciam quais monstros são lacaios: 1. o número. A piada na minha primeira mesa de D&D era que, se vêm em mais de seis, são lacaios!; 2. O dano fixo. Contra isso a solução é fácil, basta rolar um dado só por rolar. Talvez depois de um tempo os jogadores saquem que aquele bicho está dando só 6 de dano, sempre, mas é muito raro isso acontecer, já que lacaios não tendem a durar muito.

    • Daniel Anand disse:

      O item 2 só funciona se rolar atrás do escudo. Desde a 4a edição que eu não uso mais o escudo para esconder rolagens. Mas isso dá uma discussão à parte! 🙂

      • Davi Salles disse:

        E o item 1 só funciona se houver muitos minions, eu sempre coloco um ou dois minions num combate, é melhor que por 6, ninguém percebe muito que sao minions, e mesmo sendo minion os jogadores ainda precisam tomar a difícil decisao de atacar um minion, ou fazer 10-20 de dano num striker ou controller, muitas vezes os minions sobrevivem bastante.

    • carlos_icm disse:

      Gostei da sua postagem: sobre as descrições dos montros! 🙂

  7. Os lacaios realmente são uma das melhores coisas da 4ª edição.

    Pena que ainda não tive a oportunidade de jogar a 4ª edição pra testar.
    My recent post Um reino de Orcs

  8. Os lacaios realmente são uma das melhores coisas da 4ª edição.

    Pena que ainda não tive a oportunidade de jogar a 4ª edição pra testar.
    My recent post Um reino de Orcs

  9. Bloodbane disse:

    Os lacaios são ótimos para dinamizar o combate. Encontros com trocentos monstros em uma guerra ou invasão de local são sempre muito divertidos. Além de que, os lacaios são de grande ajuda no nivelamento do encontro.
    My recent post Dicas: Ferimentos Graves

  10. Buruka disse:

    Não adianta, eu sigo essas regras na minha mesa, mas sempre os Lacaios parecem muito fake… :S

  11. Wichfire disse:

    Sei que vc postou outras vezes aqui sobre a 4e e a birra dos antigos player's. Eu sinceramente com a noção que tenho da 4e (só Player's HAndbook) não sinto que o jogo perimta esse "feel". Não quanto ao heroismo, maso Player's Guide muitas vezes dá a impressão de ser um compênio de regras. Quanto ao DMG I e II não tive a oportunidade de ler ainda. Nem mesmo o manual ds monstros. As regras estao maravilhosas, mas eu sinto falta de alguma coisa nessa quarta edição. Tenho encontrado isso nop seu Blog. Especialmente esse post e o que falava sobremontarias Draônicas.
    Isso é apenas uma birra minha ou realmente o jogo só pega com os suplementos e os outros dois básicos. Pq considerando o PHB I eu não senti muita vontade de rolar o jogo. Tive vontade de trazer elementos dele para o meu iron Heroes ou mesmo fazer mesclas. Acho que é isso.

    Continue com o bom trabalho Anand…

    • Davi Salles disse:

      De fato, é muito complicado achar coisas especialmente legais no básico, pq ali tá um crunch do crunch, o básico do básico. Se der uma olhada no livro sobre underdark vai ver que ele tem várias coisas legais, o draconomicon com poderes alternativos para o seu dragao, e mesmo o novo book of races, com basntante fluff para cada raca, por enquanto o dragonborn.

  12. Daniel Alencar disse:

    Hmm me parece ser uma boa opção para utilizar em uma aventura que os jogadores ainda estão começando a jogar rpg, não?

    • Davi Salles disse:

      Minions sao bem legais, devem ser usados sempre, um em cada 3 encontros deve melhorar se tiver minions. Um minion é uma bostinha, mas quando os jogadores virem o campo de batalha com tanto monstro diferente vao pensar: fude%.

  13. Youkai X disse:

    Adorei o post e realmente o DMG 2 e MM2 melhoraram muito a qualidade dos minions, especialmente para mesas paragon ou epic. Também a estratégia de deixar os minons mais espalhados melhora muito a efetividade deles, que nos últimos combates que narrei conseguiam fazer um bom estrago em alguns personagens da mesa (como o ranger, por exemplo, apesar de que o warlord e guerreiro sempre agüentam bem o tranco dos minions e por vezes são atacados 5 ou 6 vezes por minions e aparam TODOS os golpes deles). Já quanto ao efeito cabeças cortadas pode depender do estilo da mesa e players, mas a dica de variar nas descrições de fato é muito valiosa (ou fazer coisas como dizer que você arrancou a perna de um deles, e ele cai sangrando até morrer). No mais minions FTW!

  14. Pooow, já comprei meu MM2, só estou esperando chegar… não vejo a hora ^^

    Minions foram uma ótima idéia da 4e. Uso mto nos meus jogos.

    Abrs
    My recent post RPG!!!

Os comentários estão encerrados.