Let’s make 4e great again: Combates Longos

Olá Jogadores e DMs!

Se você leu o meu último post sobre sobre os problemas da matemática inflacionada no D&D 4e é provável que seu combate já está um pouco mais simplificado, pois utilizando as regras passadas você estará cortando quatro diferentes fontes de bônus que na prática só servem para dificultar o quanto se tem que somar naquela rolada de d20.

Em relação ao combate da 4e eu tinha dois problemas distintos que acabei achando que soluções diferentes seriam ideias para eles. O primeiro problema é o nível de complexidade do combate na 4e é muito alto para a quantidade de combate que uma aventura de D&D típica possui, já o segundo é a falta de agilidade no combate. Para o primeiro estou preparando um modo de combate alternativo, que seria algo mais parecido com um Skill Challenge do que com um combate normal da 4e, mas neste post gostaria de comentar em como agilizar um combate normal de 4e (e de qualquer edição, na verdade).

Combate LongoA regra-de-casa mais básica que eu utilizo é a regra de 2/3 de HP, isso quer dizer que eu ajusto os HPs dos meus monstros para que eles tenham 2/3 do HP padrão. O principal motivo para a criação dessa regra nem foi agilizar o combate, meu objetivo era ajustar algo que achava totalmente incômodo, que era um personagem striker não conseguir derrubar um inimigo num ataque só com um crítico. Para mim acabava tirando muito a graça do crítico.

Ao utilizar a regra de 2/3 HP strikers conseguirão derrubar inimigos padrões com um at-will crítico no primeiro nível. Como a curva de HP tem um crescimento maior, após alguns níveis isso não será mais possível, no entanto aquele striker também vai ter muito mais golpes por encontro e diários á disposição e esses sim matarão criaturas num ataque só. Essa regra não afeta criaturas solos, que continuarão com seus pontos de vidas totais.

Agora seguindo com as dicas, que nada afetam as mecânicas do jogo:

Cartas: use cartas para tudo, organize seus poderes com cartas, caso seus personagens façam alguma coisa que afeta os companheiros (+1 de AC até o próximo turno por exemplo) crie um carta com um escudo e um +1, e quando usar o poder entregue para seu companheiro e depois pegue de volta. Cartas são ótimas para efeitos entre os jogadores, crie carta para condições, como caído, cego, agarrado e etc. Dessa forma além de lembrar ao jogador que ele está sobre esse efeito, você também pode colocar na carta quais são os efeitos de condição, como todos os inimigos que lhe atacarem têm vantagem de combate. Tudo isso facilitará muito a velocidade de cálculo de bônus.

TokensMarcadores: eles funcionam exatamente como as cartas, mas são usados contra os monstros. Como um carta é muito grande e o mestre vai confundir qual monstro que é o dono daquela carta, utilize marcadores para os monstros. Esse marcadores podem ter formatos e numerais neles, de preferência de algum papel bem grosso (para não voar). Dessa forma você pode fazer marcadores em formato de escudos para os bônus de defesa, de triângulos para bônus de acerto e círculos para bônus de dano.

Saiba como os seus poderes funcionam, seja jogador ou monstros do DM. Saber como os poderes e golpes funcionam é fundamental para ter encontros mais rápidos. Nessa linha também é importante ter um limite máximo de tempo para jogar. Eu uso um aplicativo para jogar jogos de tabuleiro chamado Turn Timer, caso seus jogadores joguem D&D como alguém joga xadrez é hora de colocar algum controle no tempo limite do turno deles. Seja um aplicativo ou ampulheta daquele Imagem&Ação guardado.

Rolem 20!

Sobre Davi Salles

Irmão do Daniel, o Davi começou a jogar mais ou menos na mesma época, mas demorou um pouco mais para jogar junto. Irmão caçula, sabe como é. Ele gosta bastante de Senhor dos Anéis, e suas aventuras sempre tem um toque Sheakspereano. Curte the One Ring, Vampire: the Requiem e outros RPGs mais interpretativos, mas também joga e mestra mesmo o velho e bom D&D.
Esta entrada foi publicada em Post e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

5 respostas a Let’s make 4e great again: Combates Longos

  1. Grande artigo Davi!
    Agora pra contrabalancear essa “Regra dos 2/3 de HP” é interessante aumentar um pouco o dano dos monstros, para que eles também matem os jogadores rápido! Um bônus de +3/estágio é suficiente.
    Se não quer ter muito trabalho re-alterando monstros, ponha um desafio de perícias bem letal que retire pulsos de cura a cada falha.
    No meu caso eu retiro encontros aleatórios, ou pré-determino eles para uns que sei que vão dar alguma emoção na campanha.
    #Make4eGreatAgain

    • Davi disse:

      Então você vai adorar o próximo post onde vou falar exatamente de algo inovador para a 4e que vai sugar esses HS de maneira rápida e divertida. São os desafios de perícias combativos! Uma maneira nova de fazer combates na 4e, onde estratégia se mistura com rapidez e roleplay.

  2. Fala Davi, beleza?

    Eu também sempre diminuí o HP dos monstros e como usava o livro dos monstros do Monster Vault, isso já era remediado.

    Outra coisa que fazia era mudar o mind set para mestrar a 4e. Encontros bobos ou não muito relevantes, viravam skill challenge, para agilizar as coisas. Só virava combate mesmo os encontros legais e que tinham relevância na história.

    Eu acredito que se você tentar rolar na 4e todo encontro com meia dúzia de goblins na 4e vai se frustrar rápido, afinal os encontros são mais demorados mesmo.

  3. Medonho disse:

    Longa vida à 4E. \o/

  4. Pingback: Let’s make 4e great again: Sistema de Combate Alternativo | Rolando 20

Os comentários estão encerrados.