Meio-orc

Apesar do meio-orc não demorar muito para sair oficialmente pela WotC, seja nas páginas da Dragon como preview, seja definitivamente no Player’s Handbook II, existem várias versões não-oficiais já rolando por aí. Mesmo porque, sendo uma das raças do básico na terceira edição, é natural que as campanhas já existentes tivessem um meio-orc PC, ou no mínimo, NPCs. A melhor versão que eu achei foi nesse post da ENWorld, e é a versão que estou usando na minha campanha de Ptolus 4E (e é a que está abaixo). No mesmo post tem o meio-eladrin e o meio-drow. Vale a pena dar uma olhada no suplemento da 3ª edição Races of Destiny, tem várias histórias e background lá para meio-orcs. Também adicionei alguns feats que podem ser usados por meio-orcs no final do post.

Meio-Orcs

Herdeiros de uma união proibida entre orcs e humanos, tem o poder dos primeiros e a perseverança dos últimos.

Características Raciais

Altura Média: 165-200 cm
Peso Médio: 70-120 kg

Atributos: +2 Strength, +2 Wisdom
Size: Medium
Speed: 6 squares
Vision: Low-light vision

Linguagens: Common, Giant
Skill Bonuses: +2 Athletics, +2 Insight
Half-Orc Defense Bonuses: +1 to Fortitude, +1 Reflex

Dual Heritage: Você pode pegar feats que tem humano, orc ou meio-orc como pré-requisitos. Você ainda tem que cumprir qualquer outro pré-requisito adicional.

Insightful Strike: Você pode somar seu modificador de Wisdom em seu ataque uma vez por encontro.

Com o legado de ser a mistura de orcs e humanos, meio-orcs são uma raça mal entendida, muitas vezes desprezados socialmente, ainda que valorizados em combate.

Jogue com um meio-orc se você quiser…

  • ser um guerreiro solitário, ainda que sábio
  • ser um pária entre duas culturas distintas
  • ser o membro de uma raça que favorece as classes fighter, paladino, ou range

Qualidades Físicas

Meio-orcs tendem a ser maiores e mais fortes que humanos, mas ainda menos musculosos que os orcs. O rosto dos meio-orc são similares aos dos humanos, mas sua pele sempre tem um tom de cinza ou verde, e os narizes mais achatados. A mandíbula de um meio-orc quase sempre tem duas presas enormes, ainda que menores que as dos orcs.  Meio-orcs masculinos podem ter barbas, e freqüentemente a deixam crescer, enquanto as mulheres meio-orc, sem barba, às vezes tem costeletas. Os cabelos são tipicamente escuros.

Meio-orcs quase sempre adotam o estilo da cultura que estavam inseridos em seu crescimento, seja vestindo peles e couros como um orc, ou as vestimentas diversas da humanidade. Por exemplo, um meio-orc criado numa rica cidade comerciante pode se vestir com roupas chiques, mesmo com sua ascendência selvagem. No entanto, é mais comum encontrar meio-orcs com roupagens mais rústicas, dada sua típica origem nas regiões fronteiriças. Alguns meio-orcs criados entre humanos usam roupas ou acessórios orcs para se aproximar um pouco de sua herança cultural.

O tempo de vida médio de um meio-orcs é um pouco menor que a de um humano, e assim como seus dois ancestrais possuem velhices duras, ficando mais fraco a cada ano depois da meia-idade.

Jogando de Meio-Orc

Meio-orcs são mais do que apenas uma combinação de orcs e humanos. Eles são poderosos em batalha, com a perícia atlética de um orc puro-sangue, e também com a versatilidade mental que os humanos têm (e os orcs não). Meio-orcs também tem uma intuição excepcional, e um forte senso de respeito pelo mundo e seus habitantes.

Meio-orcs sabem bem como sobreviver sozinho, e freqüentemente já são guerreiros experientes bem novos. Mesmo aqueles que não tomam a bandeira da guerra ainda tem um talento inato para entender que o mundo naturalmente o coloca separado das outras raças. Meio-orcs, independente da motivação, dá valor àqueles que vivem mais que eles, e tentam aprender dos companheiros com mais experiência e sabedoria.

Assim como os anões, os meio-orcs são tipicamente uma raça naturalmente introvertida. Isso se deve grande parte ao seu status como forasteiros tanto quanto entre humanos quanto orcs. No entanto, a maioria dos meio-orcs não têm aquele sendo de dever que um anão ou um dragonborn tem, sendo nesse aspecto um pouco parecido com os elfos, vivendo mais o momento que pensando nas honras do passado (ou futuro).

De todas as raças, os meio-orcs provavelmente se identificam melhor com os tieflings. As duas raças são rejeitadas pela sociedade e têm que aprender a se virar sozinhos. Por outro lado, tendo a devida chance, muitos meio-orcs criam laços com dragonborns e mesmo elfos, apesar do ódio furioso entre as divindades Gruumsh e Corellon. De qualquer maneira, ainda é raro ver um meio-orc achar um terreno comum com um anão, mesmo com todas as similaridades das raças.

Meio-orcs costumam procurar aventuras por que é uma das poucas maneiras de achar aceitação pela sociedade. Outros são mais oportunistas e não ligam para o que as outras raças pensam deles, procurando fazer fortuna com suas habilidades consideráveis. De qualquer maneira, meio-orcs são poderosos aliados… e inimigos perigosos.

Características Meio-Orc: Corajosos, intuitivos, rebeldes, reservados, incansáveis, auto-suficientes, vingativos

Nomes Masculinos: Dench, Feng, Gell, Henk, Holg, Imsh, Keth, Ront, Shump, and Thokk

Nomes Femininos: Baggi, Emen, Engong, Myev, Neega, Ovak, Ownka, Shautha, Vola, and Volen

Alguns meio-orcs que vivem entr humanos preferem nomes de origem humana ou foram nomeados assim por seus pais. Para esses nomes, consulte a página 47 do Player’s Handbook.

Aventureiros Meio-Orc

Três aventureiros meio-orc são descritos abaixo.

Henk é um meio-orc fighter especializado em great weapons. Ele vaga pelos reinos, procurando batalhas que o desafie. Ele nasceu entre os orcs, mas foi expulso ainda pequeno por ser “muito fraco”. Desde então tem se provado todos os dias, treinando para ser o melhor fighter de todos. Ele não liga muito para recompensas monetárias, buscando na verdade lutas que o force a superar seus limites, e crescer como um verdadeiro lutador.

Ovak é uma meio-orc paladina que jurou servir Pelor. Abandonada ainda criança, Ovak foi recolhida por uma ordem de paladinos à serviço de Pelor. A ordem tomou conta e ensinou Ovak. Com seu forte senso de dever e honra, a meio-orc é um marco de luz e esperança na batalha, viajando de lugar ao outro levando esperança para os infortunados. Em suas viagens, ela busca pistas de quem eram seus pais, e por que eles a abandonaram.

Thokk é um meio-orc ranger. Thokk foi criado por seus pais nas fronteiras da civilização humana, com sua terra natal constantemente sob a ameaça das invasões orcs e outros monstros. Para ajudar e proteger sua família, Thokk se alistou como scout na milícia local, procurando e destruindo ameaças antes que elas tivessem alguma chance contra a cidade. Através de sua coragem e sabedoria, Thokk, apesar de seu legado sombrio, foi aceito e celebrado como um membro de sua comunidade.

Feats Raciais de Meio-Orcs

Feats Heróicos

Resilient Nature
Pré-requisito: Half-orc
Benefício: Você pode usar o poder de encontro warrior’s surge (MM 278) como um poder diário.

Orc Weapon Training
Pré-requisito: Orc
Benefício: Você ganha proficiência com axes e spears, e um feat bonus de +2 nas roladas de dano com todos axes e spears.

Reckless Charge

Pré-requisito: Orc, Str 13
Benefício: +1 para acertar quando estiver dando charge. Soma com o +1 do charge, totalizando +2. Reduza seu AC em 1 até o final do seu próximo turno.

No Surrender

Pré-requisito: Orc
Benefit: Quando bloodied, você ganha +1 em todas as defesas.

Feats Paragon

Blood for Blood
Pré-requisito: Orc, Blood Thirst
Benefício: Uma vez por encontro, quando você acertar um oponente bloodied em melee, você pode gastar um healing surge.

Imagem do Orc paladino por Mark Zug

É isso aí, comentem o que acham dessa raça e feats! Rolem 20!

Sobre Daniel Anand

Daniel Anand, engenheiro, pai de gêmeas e velho da Internet. Seu primeiro de RPG foi o GURPS Módulo Básico, 3a edição, 1994. De lá para cá, jogou e mestrou um pouco de tudo, incluindo AD&D, Star Wars d6, Call of Chuthulu, Vampire, GURPS, Werewolf, DC Comics (MEGS), D&D 3-4-5e, d20 Modern, Star Wars d20, Marvel Superheroes, Dragonlance SAGA, Startrek, Alternity, Dread, Ars Magica e atualmente mestro 13th Age. @dsaraujo no twitter

Esta entrada foi publicada em Post e marcada com a tag , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

7 respostas a Meio-orc

  1. Rey Ooze disse:

    +2 de Sabedoria?
    Pareceu meio meta-game apenas pra fazer um bom guerreiro.
    eu particularmente sempre achei o conceito de meio-orc bem forçado.
    uma raça criada á base do estupro (a não ser que seu genitor seja um(a) meio-orc) nunca me pareceu uma boa ideia.
    Da mesma forma os meio-gigantes de Dark Sun !
    Mas parece que a maioria do pessoal gosta de meio-orc…
    Por mim o tiefling, drow e – em dragonlance, o dragonborn e o minotauro – já são “parias” o suficiente na sociedade para compensar a saida do meio-orc. Em campanha minha eles não fazem falta.

  2. Daniel Anand disse:

    Na verdade, o corpo do texto dá umas dicas do porquê de +2 de sabedoria: a herança humana dá um pouco de intuição natural aos meio-orcs. Claro, outro motivo é dar dois modificadores de atributo, o que é meio padrão. O que você sugere?

    Os meio-orcs também não precisam ser provenientes de estupros, depende do tipo de orc da sua campanha. No FR 4e, existem civilizações orcs, que poderiam se misturar aos humanos ser ser por violência.

    Mas a principal idéia em trazer a raça de volta é para se manter personagens herdados da 3ª edição: concordo contigo que já temos párias o suficiente! 🙂

    Obrigado pelo comentário!

  3. Rey Ooze disse:

    Salve Anand.
    Então, não tenho sugestões para o meio-orc justamente por não ser muito fã.
    E o texto indicando a sabedoria, me pareceu justamente pra justificar um bom guerreiro/paladino/clérigo, já que até a uma edição atrás eles tinham dificuldade até para ler. Claro que inteligencia e sabedoria não são a mesma coisa. E agora ninguém mais tem penalidades, o que é otimo, mas eu creio que o mais justo seria um +2 na Con, lembrando que no AD&D meio-orc pegava as melhores vantagens das duas raças e se tornava um ser apelativo demais !
    Mas a adaptação é válida sim pois 1) Tem quem goste. 2) Mostra que tudo é pasivel de Adaptação no 4E, com equilíbrio.
    Que tal uma adaptação de Minotauros de Dragonlance? 😉

  4. Roberto Angelo disse:

    Vixe… achei bizarro esse +2 em wis…

    tipo… fica um clérigo muito apelão… ainda mais se ele pegar akele feat de axes e spears… aí ele usa uma great spear q nem meu anão clerigo, mas com bonus em força tbm…

  5. Paulo "Elfo" Bertoni disse:

    eu nao curto muito esses meio coisas. Acho meio sem contexto apesar de valido, acho que um Orc puro cai muito melhor do que um meio-orc. Mesmo o Half-Elf eu sempre achei meio estranho, mas a 4ª ed. deu um trato nele legal e tornou-o bastante atraente. antes disso eu nunca vi ninguem jogar de half-elf, hj vejo varios por ai !!!!

    eu acho que quanto mais raças, melhor fica, principalmente as bestiais, Ogro, Orc, Bugbear, Gnoll… etc… porque jogar de PJ bonzinho é legal, mas ter opções e poder ser mau tb é legal. Ou mesmo ser bom usando uma classe assim, vide Drizzt, drow bom, coisa de outro mundo, porque nao um Orc Bom ??? acho válido, bastante válido.

    O que estou sentindo falta é da diversidade que o 3.5 tinha, como em forgotten, tipos diferentes de Elfos, Anões…. isso acho que ficou muito generalizado. Poderiam ter feito diferente.

    é isso ae !!! ótimo Blog !!!!
    apesar de ser conhecido como “Elfo” prefiro Orcs e Anões hehehehe

  6. Trull the killer! disse:

    eu acho muito perfeito, sempre usei humano com barbaro mas agora stou com meu primeiro meio-orc,
    e to me saindo muito bem por sinal!
    muito melhor q ser apenas humano,
    ou um orc lesado de tão burro!
    um barbaro meio orc
    tem a sabedoria do humano
    e a brutalidade do orc!
    PERFECT!!!

  7. Orcus disse:

    Meio-orcs eram bons pra monge na 3.5. Vocês acham que combina na 4.0?

Os comentários estão encerrados.