Montarias

Olá Jogadores e DMs!

Motivados por algumas dúvidas do nosso leitor Dreamer, resolvi dar esse resumão de regras para se usar montarias, algo muito bacana que foi introduzido no Guia do Mestre e expandido nos Arsenais do Aventureiro [Adventurer’s Vault], mas que ainda não foi muito explorado nas minhas mesas, por exemplo.

Além disso, as dicas abaixos são fundamentais aos leitores do último número da Iniciativa 4E, Montando Dragões.

O primeiro passo é ler as regras de montaria do Guia do Mestre. Não irei modificar nenhuma das regras lá, só clarificar e expandir algumas coisas. Portanto, não são regras caseiras. Retirei algumas dessas informações do fórum gringo ENWorld.

A montaria

Se um personagem não estiver na montaria, ela é considerada um PdM, e controlada pelo DM. Isso vale para rodadas onde a montaria ficou sem ninguém montado na rodada inteiro. Se você desmontar no seu turno, por exemplo, a montaria ainda não é considerada um PdM. Além disso, se você montar no seu turno, já começa a dividir ações com a montaria.

Sempre que for necessário existir uma ordem entre as ações do personagem e da montaria, o personagem usa suas ações antes. Por exemplo, se o personagem não está montado, e em seu turno move-se até a montaria e monta. O DM não poderia mover a montaria antes como um PdM.

Condições

Quando o personagem estiver montado, e for afetado (mas não a montaria) pelas seguintes condições, acontece o seguinte:

  • Atordoado [Stuned]: Como o PdJ não tem ações, a montaria também não age.
  • Cego: sem problemas, o PdJ e sua montaria continuam dividindo suas ações, e o PdJ sofre os efeitos de estar cego normalmente.
  • Dominado: o DM controla a ação do PdJ, que pode ser sua ou da sua montaria.
  • Enfraquecido: A montaria continua causando dano normalmente.
  • Imobilizado: o PdJ não pode desmontar, mas pode direcionar a montaria.
  • Impedido [Restrained]: como acima, com o PdJ sofrendo os efeitos de estar restringido.
  • Inconsciente: Enquanto estiver inconsciente, o PdJ não pode comandar a montaria, e faz um teste de resistência para ver se não cai da montaria. O DM controla a montaria enquando o PdJ estiver inconsciente.
  • Lento: o deslocamento do personagem cai para 2, mas o da montaria não é alterado.
  • Morrendo: o jogador faz um teste de resistência para ver se não cai da montaria. O DM controla sua montaria até o PdJ não estar mais morrendo.
  • Pasmo [Dazed]: o PdJ controla a montaria, mas como só se pode fazer uma ação, o jogador pode fazer sua montaria fazer uma ação, ou fazer ele mesmo a ação.

Enquanto montado, para condições que afetem a montaria, mas não o personagem, temos o seguinte:

  • Atordoada [Stuned]: a montaria não pode fazer ação nenhuma.
  • Cega: Somente a montaria fica cega, sem efeitos para o personagem.
  • Dominada: O personagem não pode fazer ações pela montaria. Depois de agir, o DM usa uma ação da montaria. A montaria pode se mover e fazer com que o PdJ tome ataques de oportunidade.
  • Enfraquecida: os ataques do personagem fazem dano normal.
  • Imobilizada: a montaria não pode se mover.
  • Impedida [Restrained]: o mesmo de Imobilizada, mas se o personagem receber movimento forçado, pode decidir ser deslocado. A montaria fica no mesmo lugar.
  • Inconsciente: o mesmo que morrendo.
  • Lenta: o deslocamento da montaria é reduzido a dois, mas se desmontar, o personagem move-se normalmente.
  • Morrendo: a montaria cai no chão, e o personagem fica adjacente à montaria caída.
  • Pasma [Dazed]: O personagem pode fazer as três ações (padrão, mínima e movimento), mas a montaria pode fazer somente uma delas. Não poderia, por exemplo, se mover e investir.

Ataques de área

Se for feito um ataque de área, que atinge várias criaturas, tanto a montaria quanto o personagem montado serão alvos do ataque, cada usando sua própria defesa. A maior parte das montarias é grande, e ocupa 2×2 no mapa. Mesmo que um ataque só pegue um quadrado, irá afetar a montaria. Mas, para afetar o personagem, precisa afetar os quatro quadrados do 2×2.

Cobertura e ponto de origem de ataques

A montaria é grande, e o personagem montado é considerado estando em um dos quatro quadrados da montaria, à sua escolha. Essa escolha não é fixa, é dependente da situação, mas sempre favorece o personagem. Se um dos quadrados da montaria dá cobertura superior, por exemplo, o personagem pode usar aquele quadrado para sua cobertura. Da mesma forma, pode escolher qualquer um dos quadrados para ser o ponto de origem de seus poderes de longo alcance.

Espero que isso ajude os jogadores e DMs a usar mais montarias em jogo, porque eu acho super legal, e bem ao estilo do Dungeons & Dragons! E rolem 20, galera!

Sobre Daniel Anand

Daniel Anand, engenheiro, pai de gêmeas e velho da Internet. Seu primeiro de RPG foi o GURPS Módulo Básico, 3a edição, 1994. De lá para cá, jogou e mestrou um pouco de tudo, incluindo AD&D, Star Wars d6, Call of Chuthulu, Vampire, GURPS, Werewolf, DC Comics (MEGS), D&D 3-4-5e, d20 Modern, Star Wars d20, Marvel Superheroes, Dragonlance SAGA, Startrek, Alternity, Dread, Ars Magica e atualmente mestro 13th Age. @dsaraujo no twitter

Esta entrada foi publicada em Post e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

20 respostas a Montarias

  1. Tiago Panaro disse:

    Bom post Anand esclarecendo as dúvidas do chat da TPK Brasil ^^
    Eu queria perguntar onde você viu a regra do jogador escolher o quadrado onde está na montaria para ser o ponto de origem?

    • Daniel Anand disse:

      No próprio guia do mestre, na parte que explica o combate montado. Lá fala que sempre que for importante escolher qual quadrado o personagem está, o jogador escolhe. Acho que escolher ponto de origem é uma dessas coisas importantes. 🙂

      • Riketz disse:

        eu participei desta conversa no chat do TPK.. uma das dúvidas eram quanto à ataques de "close burst" realizado pelo cavaleiro, que tem como alvo todas as criaturas (Travessia do Contravento – bruxo 3 ou Cloud of Darkness – drow).. ao que parece, o cavalo também é afetado..

        seria complicado para se pensar em um "Centauro" com as regras atuais..
        deve ser até por isto que ainda não tem criado esta raça para jogador, hehe..

  2. O Goblin disse:

    Acompanho todos os posts do Rolando 20 e comento em poucos, mas esse post aqui merece realmente os parabens, um dos melhores que já vi por aqui (na opiniao da Goblin).

    O que mais gostei foi o fato de que podemos usar essas descriçoes em qualquer campanha de qualquer sistema, cenario e até mesmo podemos falar em ambientação. Afinal mesmo no futuro pos apocalipitico quando nada mais funciona você vai precisar de um alasão para fugir dos zumbis (cliche classico).

    Show de bola e gostaria de ver mais materias desse tipo por aqui.
    My recent post Evento de RPG – World RPG Fest

    • Daniel Anand disse:

      Valeu mesmo Goblin! Sempre que posso tento pensar em artigos mais genéricos, mas como em geral posto o que uso nas minhas mesas, acabo ficando mais com o D&D 4e mesmo. Abraços!

  3. Vinicius Zóio disse:

    Excelentes guidelines pra adjudicar regras de combate montado!!!

    Vou guardar esse post aki na minha pasta de dicas! 🙂

  4. cavaleiromorto disse:

    Corrigindo sobre Ataques de Área (Guia do Mestre página 46):

    Escolhendo Alvos: Um ataque pode visar o personagem ou sua montaria, a critério do atacante. Os ataques contíguos ou de área afetam tanto o personagem quanto sua montaria, mesmo que sua área de efeito englobe somente um dos dois.

    • Daniel Anand disse:

      Justo, é uma exceção da regra geral onde você em geral escolhe o seu lugar na montaria. Se for atigido por um poder em área, será afetado mesmo que só pegue um quadrado da montaria. Perfeito, obrigado pela dica! 🙂

  5. Youkai X disse:

    Adorei o artigo e já uso um pouco de montarias (uma wyvern e um dragão).

    Mas uma dúvida: Como funcionam os poderes close burst quando o personagem está montando a sua montaria?

  6. Samuel DW disse:

    é, a principal duvida do dreamer e depois de todos la no chat (aproveitando a deixa, se quiser participar clique aqui http://www.tpkbrasil.net/rpg-em-geral-f6/tpk-bras… e siga as instruçoes) é quando o CAVALEIRO usa um closeburst, um 2×2 por exemplo, a montaria é afetada ou simplesmente o closeburst nao ocorre na area da montaria?

    XO
    XX

  7. DM Rafael disse:

    Um post bem interessante, mesmo que grande parte seja fácil de se supor na mesa. Mas os esclarecimentos de ataques de área valeram bem a pena.

    E gostei do fato que se o cara fica incosciente ou morre, ele não necessariamente cai da montaria. Num outro RPG de cavaleiros que curto muito, o Pendragon, um personagem pode, postumamente, fazer um cheque de DEX pra ver se cai ou não.

    E se não cair, pode rolar um lance ao melhor estilo EL CID! Agora imagina a cena: um warlord morto em cima do cavalo mas que ainda tem todos os poderes de inspiração em efeito! xD

  8. @Pedrestevo disse:

    Anand, eu tenho algumas dúvidas a respeito do funcionamento de montarias (e vou aproveitar o post pra perguntar).

    Se um personagem está montado e sofre movimento forçado (slide, push ou pull), ele pode ser derrubado da montaria? Ele ganharia um saving throw nesse caso? Se falhar, ele só desmonta ou cai prone? E, claro, se a montaria estiver voando, ele tomaria dano normalmente da queda, certo?E se a montaria em si for movimentada, o personagem em cima dela vai junto? Se não, como funcionam os saving throws e quais os efeitos (como cair prone)?

    E no caso de um teleporte, o que acontece? Eu sei que se a montaria tiver teleporte como um tipo de movimento próprio, ela leva o personagem junto. Mas e no caso de um teleporte forçado no personagem ou na montaria? E se o personagem tiver a opção, ele poderia usar um teleporte e levar a montaria junto (um eladrin montado, por exemplo)? E, novamente, como funcionam os saving throws e efeitos (como cair prone) nesses casos?

    Veja bem, montaria parece um negócio bem bacana para uma certa warlord que eu conheço… =D

    • Daniel Anand disse:

      Se tomar movimento forçado, ganha um save pra não cair do cavalo (e ser derrubado). Mas em geral é mais fácil movimentar a montaria. Se a montaria for empurrada, não tem save nenhum, mas eu deixaria você desmontar, se quiser.

      Se cair de cima de um grifo voando, espero que tenha comprado um anel de Feather Fall, que é até barato nos níveis exemplares. Eu nem rolaria dano, é morre aí mesmo.

      Teleporte seu é seu, da montaria é da montaria, a menos que algo explicite o contrário. Save no teleporte, só se teleportar para um buraco ou hazzardous terrain, normalmente. Se você teleportar, vai sozinho, a menos que tenha algum jeito de levar um aliado junto.

  9. Guiherme "Göltork" disse:

    Dúvida: Se um barbaro montado em um cavalo resolve utilizar Great Cleave, ele deve escolher o quadrado no qual ele está no momento em que utiliza seu poder, ou todos os quadrados adjacentes à montaria são afetados pelo Great Cleave?

    • Daniel Anand disse:

      Aí você me pegou. Eu diria que todos os quadrados adjacentes à montaria contam para fins de dar o bônus, mas só os adjacentes ao escolhido pelo personagem para que ele esteja como origem do ataque como alvo. Senão fica muito forte o poder, e desse jeito você ainda tem uma vantagem (mais chance de acertar).

      • DM Rafael disse:

        Sei la… mesmo levando em conta que montarias são pouco usadas? Acho que é um situação tão incomum que eu não teria problemas de deixar.

        Mas se virar rotina, acho que teria que analisar com mais cuidado.

  10. alvaro disse:

    muito boa a matéria esclarecdora, garanto que vai evita alguns errinhos basicos :p
    My recent post Defensores da Fé: Devoção dos Personages de D&D

  11. Valeu pelos esclarecimentos Anand! Boa aula!

Os comentários estão encerrados.