Multiclasse na 4ª edição do D&D

multiclasseSaiu um artigo fantástico na última Dragon Magazine, comentando sobre as várias possibilidades de multiclasse na 4a edição do D&D. Na verdade, o artigo é sobre a composição do grupo, o que fazer quando falta um dos papéis, algo que dá um post à parte. O que eu queria focar hoje é nas multi-classes.

Com o Player’s Handbook 2, o número de classes disponíveis dobraram, e seus atributos secundários podem muito bem dar algumas opções legais de classes alternativas, dando um gosto diferente ao seu personagem (sem falar num poder e numa perícia nova!). Mas fazer multiclasse tem algumas complicações.

A primeira é a questão dos atributos. Se você pegar uma segunda classe que usa seu atributo secundário, geralmente os poderes dessa segunda classe nunca serão tão bons quanto seus poderes principais. Por exemplo, se você é um Sorcerer, que usa carisma para acertar todos os poderes, e pega poderes de clérigo, tendo que usar sua sabedoria para acertar os golpes novos. Pra resolver isso, você pode compensar um pouco com alguns feats, ou escolher uma classe secundária que use o mesmo atributo principal. Usando esse mesmo exemplo, você poderia pegar poderes de bardo com seu sorcerer, que também usa Carisma para acertar os golpes.

Você pode usar a tabela abaixo para escolher a melhor classe que irá complementar sua classe principal, dependendo de qual tipo de papel secundário você quer explorar com sua classe principal.

— Multiclasse recomendada por papel —
ClasseControladorDefensorLíderOfensor
AvengerInvokerSwordmageClérigo
BárbaroDruidaWardenSenhor da Guerra
BardoMagoPaladino ou SwordmageBruxo
BruxoMagoPaladino ou SwordmageBardo
ClérigoInvokerPaladinoAvenger
DruidaWardenXamãAvenger
GuerreiroDruidaSenhor da GuerraBárbaro
FeiticeiroMagoPaladinoBardo
InvokerSwordmageClérigo ou XamãAvenger ou Bruxo
LadinoDruida ou MagoGuerreiroSenhor da Guerra
MagoSwordmageBardoAvenger
PaladinoInvokerClérigo ou Senhor da GuerraBárbaro
PatrulheiroDruidaGuerreiroSenhor da Guerra
Senhor da GuerraMagoGuerreiro ou PaladinoPatrulheiro
SwordmageMagoSenhor da GuerraBárbaro
WardenDruidaSenhor da GuerraBárbaro
XamãDruidaSwordmageAvenger

Perceba que usei os nomes traduzidos já conhecidos ou esperados (como Shaman = Xamã e Sorcerer = Feiticeiro). O artigo original também entra nos detalhes de raças mais ótimas para cada classe, que normalmente discutimos nos podcasts das classes, e também quais os papeis secundários possíveis de cada classe.

Eu recomendo fortemente o jogador que quiser fazer multiclasse conversar com o grupo antes, não só para identificar pontos fracos na estrutura do grupo mas também pra garantir um pouco de exclusividade. Se já tem um Senhor da Guerra no grupo, de repente é mais legal escolher Clérigo ou Xamã como sua classe secundária e ter um sabor novo no grupo do que ter mais um cara gritando para os amigos se levantarem.

Algum de vocês está fazendo multiclasse e tem alguma dica para os nossos leitores?

Rolem 20!

Sobre Daniel Anand

Daniel Anand, engenheiro, pai de gêmeas e velho da Internet. Seu primeiro de RPG foi o GURPS Módulo Básico, 3a edição, 1994. De lá para cá, jogou e mestrou um pouco de tudo, incluindo AD&D, Star Wars d6, Call of Chuthulu, Vampire, GURPS, Werewolf, DC Comics (MEGS), D&D 3-4-5e, d20 Modern, Star Wars d20, Marvel Superheroes, Dragonlance SAGA, Startrek, Alternity, Dread, Ars Magica e atualmente mestro 13th Age. @dsaraujo no twitter
Esta entrada foi publicada em Post e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

65 respostas a Multiclasse na 4ª edição do D&D

  1. Moicano disse:

    Com tantas novas opções de classes, builds diferentes, e várias opções de feats, multiclasse pra mim é algo muito tosco.
    Ok, também tem toda a desculpa do roleplay, se você quiser ser o ranger emo que aprendeu umas coisinhas de bardo aqui, fighter ali e barbarian acolá, mas ainda acho o sistema muito recente pra alguém sair pegando coisas diferentes, sem mesmo ter jogado o básico!

    • Daniel Anand disse:

      Em vários casos pode ser interessante a multiclasse. Por exemplo, se você só tiver três joogadores, vai ficar sem um papel, que pode ser compensado com multiclasse. Além disso, mesmo os jogadores mais munchkins vão pensar nisso, já que às vezes uma paragon path de outra classe pode ser o combo perfeito que você está procurando.

      No entanto, concordo que essas opções deveriam ser exploradas depois que você já brincou legal com o básico! 😉

  2. Eu vi, muito bom mesmo. Pelo jeito a Wizards resolveu começar a dar uma mãozinha na Munchkagem, hehehehe.

  3. Moicano disse:

    A ideia de complementar alguma área que falta no grupo é boa, mas requer alguém mais experiente (ou munchkin), e sim, não faz sentido ir atrás disso sem sequer ter passado pelo menos por uma ou duas classes nos níveis heróicos.

  4. Leonam disse:

    Eu fiz um bardo meio-elfo bardo e multiclasse bruxo darck pacto, e aquela vantagem do meio-elfo de ja permitir que vc escolha um poder sem limente de uma classe e transforma ela em poder por encontro ajudou mais ainda, a melhor raça para mim, para se fazer um multiclasse é o meio elfo.

    • Moicano disse:

      Se for um Meio-Elfo bardo, que não tem limites para pegar feats de multiclasse, aí você pode fazer o bardo-ranger-rogue-elfo-emo que você quiser!

    • kender disse:

      imagina um meio elfo bardo, como o da minha mesa. =P

    • Jonnathan disse:

      Nossa, Leonam! O personagem que eu estou jogando é exatamente um Bardo Meio- Elfo Lvl 2 com o Pact Initiate: Dark Pact. O outro feat que eu adquiri é o Jack-of-all-trades. Minhas skills ficaram super legais. Por causa do multiclasse eu possuo 6 perícias treinadas e a perícias não treinadas eu estou com um bonus de +3.

      O power que eu peguei por ser meio-elfo foi o Commander's Strike do Warlord. Pensei em pegar um de Sorcerer ou Warlock mesmo, mas preferi ,por estratégia, dar um upgrade na role de Leader.

      • Luke_SK disse:

        É, mas não se empolguem, pessoas. Mesmo com esse combo munchkin de bardo skill lord, o meu amigo aqui conseguiu falhar miseravelmente no primeiro skill challenge que eu botei pra ele rodar na mesa, sem nenhum sucesso. Quase apanhou do guerreiro da mesa por isso 😡

  5. Leo Xorao disse:

    A meu ver o roleplay e o uso adequado de tecnicas de combate e pericias são o grande lance da 4edição…. independe da classe, religiao, prato preferido, multiclass, paragorn path ou mesmo itens magicos. O que manda é jogar se divertindo. As vezes fazer uma cagada no jogo diverte mais que um super combo… assim como um bizarro multiclass :p

  6. Sonyuu disse:

    Até agora não tive necessidade em nenhuma das mesas em que participei de fazer multi classe. Mas estou aguardando comprar o PHB2 para já ter algumas idéias no futuro, quando (e se) chegar aos patamares exemplar e épico! Também é digno de se notar o aviso que li no site da Wizards of the Coast de que agora em abril irá sair um artigo na dragon com um preview de como funcionará a famosa Dual Class de AD&D segunda edição, convertida para sua versão 4E, que estará disponível no PHB3!

  7. Rey_Ooze disse:

    No meu grupo tem (Tiha, rolou um TPK sessão passada) um Elfo Clerigo com Multiclasse de Mago, que portava um simbolo sagrado e uma varinha mágica!
    E um Dragonborn Paladino com Multi de Warlord.
    Éramos em 4 (3 jogadores e eu de DM) e na minha opinião as multiclasses não foram suficientes pra preencher o Role faltante, talvez pela escolha de poderes dos jogadores.

    • kender disse:

      qual o role que estava faltando? controler? (normalmente é)
      não entendi o porque o draconato pegou o senhor da guerra, se já tem um clérigo… tuas campanhas tem acabado com as curas do clérigo?

  8. kender disse:

    na minha mesa teste, onde ninguem tinha jogado 4e ainda, entrou um bardo de segundo nivel, e como tinha 6 outros players e nenhum lider, ele pegou multi classe com clérigo e warlord (ele se considera um clérigo para todos os motivos de roleplay, e canta para branchala a cada cura, exeto a de warlord)
    mas, se não me engano, apenas o bardo pode ter mais de uma multiclasse, outras classes só podem escolher uma e ficar feliz com ela (ou retreinar isso, o que eu não permitiria em minha mesa…)

    ps: começei uma campanha pra valer agora, e pretendo fazer reports em algum blog que ei de criar… se eu precisar de ajuda, posso contar com vocês?

    • Moicano disse:

      Estamos aí pro que der e vier hehe.

      Só Bardo pode mesmo, é um dos "poderes" dele, ser um faz-tudo.

      Nessa situação, ter uma cura a mais ajuda, e foi boa a escolha do jogador.

  9. Franciolli disse:

    Após dedicar todos os anos de sua adolescência treinando a arte da espada, Elrich simplesmente começa a aprender, de uma hora pra outra, todas as ciências da magia – que dizem alguns, leva-se anos para dominar.

    Esse era o conceito básico por trás da multiclasse na terceira edição, na minha opinião podre, pois além de umas poucas multiclasse, como Hierofante e Arquimago, as demais eram sumariamente proibidas.

    A nova mecânica permite que você vislumbre um pouco daquele poder sem comprometer o pressuposto que abandonar algo que você treinou a vida toda para treinar algo novo demandaria um grande tempo.

    As multiclasses não se tornaram muito atrativas, principalmente nos primeiros níveis, mas como mostrado numa Dragon, a evolução de um guerreiro/mago acho que é possível sim fazer ótimas multiclasses na quarta edição, desde que se esqueça toda a tosqueira que existia na terceira.

  10. Marcelo Dior disse:

    A meu ver, jogadores ainda têm a multiclasse da 3.x arraigada em suas mentes, e essa contínua comparação entre dois RPGs completamente distintos é nociva, porque espalha o descontentamento. Multiclasse na 4e funciona de um jeito muito diferente, e isso pode ser visto no próprio texto da multiclasse do PHB: um personagem multiclasse explora superficialmente ("dabbles") a classe secundária. Você tem algum conhecimento da segunda classe, e nunca será tão bom quanto um "full-class" daquela classe.

    Por isso mesmo, o princípio escrito na postagem ("Se você pegar uma segunda classe que usa seu atributo secundário, geralmente os poderes dessa segunda classe nunca serão tão bons quanto seus poderes principais.") é a tônica da multiclasse. Você é um Fighter que sabe algumas magias de Wizard; o Wizard "full-class" é, logicamente, melhor/mais poderoso que você. A única maneira de ser 50/50 em duas classes é no 20º. nível, se você abdicar do paragon path. Então você construirá verdadeiramente um Fighter/Wizard que seja tão bom quando um Fighter ou um Wizard "puros".

  11. Moicano disse:

    Sobre "multiclassear" para tapar buraco de roles, vale a pena prestar mais atenção nas builds das classes primárias.

    Principalmente nas novas classes do PHB2, as builds mostram que existem opções bem diferentes dentro da mesma classe.

    Por exemplo, um Druida, Controlador, pode acabar com um lado mais Líder, ajudando os outros personagens e até mesmo com curas, ou mais um Ofensor (nome feio), ajudando a derrubar mais rapidamente os oponentes.

  12. Riketz disse:

    multiclass é bom, mas não tão bom assim.. claro que é bom ter mais uma perícia treinada..
    mas em relação à poderes, você só terá um Poder Sem-Limite de nível 1 de sua segunda classe para utilizá-la como Poder por Encontro.. e se quiser, escolher um paragon path (trilha exemplar?)

    se você é um guerreiro e quiser pegar multiclass de mago, só poderá utilizar, por exemplo, misseis mágicos uma vez por encontro.. e não ganha nenhum dos Features (aspectos?) por completo..

    no projeto da AJOIP, onde eu e mais outros dois mestres narramos para nossos grupos, onde os jogadores podem trocar de mesa à vontade, cabe à eles montar o melhor grupo para cada parte da campanha..

  13. Czar Santos disse:

    Eu to jogando a ano com um warforged paladino com multiclasse de fighter, e possivelmente eu sou o melhor Defender do grupo possivelmente melhor ate mesmo q o proprio fighter do grupo.
    Eu ñ vejo problema com o novo sistema de multiclass, sistema novo, regras novas a gente so tem q se adaptir a isso.

  14. Marcelo Dior disse:

    Bem lembrado. O Paladino é um Defender com um pé no role Leader, e o Swordmage, também Defender, é um tiquinho Controller. Não me debrucei sobre o PHB 2 ainda, mas lá deve haver outras classes assim também.

  15. Marcelo Dior disse:

    Engraçado estar todo mundo usando as "traduções" da Devir, sendo que ela não laçou neca de catibiriba ainda, exceto uma única aventura que saiu nos EUA antes mesmo dos livros básicos.

    Não é como se existissem centenas de livros publicados pela Devir usando essa nomenclatura. Só saquei que diabos era Ofensor por eliminação. Qualé, gente.

    • Daniel Anand disse:

      Eu por mim escreveria tudo em Inglês, que é como eu jogo, mas isso alienaria a grande maioria dos leitores. Então eu uso os termos até como exercício mental, para eu me acostumar com os termos. E um post escrito aqui dura para sempre, então sempre que eu já puder fazer um post "futuro-compatível", tanto melhor! 😀

      Esse post, por exemplo, já está totalmente obsoleto! http://www.rolando20.com.br/meio-orc/

  16. Hanariel disse:

    Ae D&D (Daniel e Davi)
    faz uns 3 dias que nao comento aqui, faltou tempo xD
    mto legal este post, muito util ^^ ainda mais na minha mesa que constantemente temos falta de players xD
    bem, soh acho que na lista de strikers do Paladin poderiam colocar avanger tbm,visto que ele usa sabedoria, alem de ser um roleplay legal

  17. DM_Rafael disse:

    Bom, eu jogo de humano paladino, e como já foi falado, o paladino exerce um pouco pior o papel de defensor do que o fighter. E o meu paladino em especial, é ao melhor estilo guerreiro destemido: se enfia no meio dos inimigos para proteger os aliados, não tem medo de pular pontes de madeira (e cair! Keep of Shadowfell, alguém?) e afins. Então senti necessidade de multiclassear com Fighter, até (se não principalmente) para pegar Athletics.

    Só acho severas as regras para pegar poderes de outra classe, tendo que gastar um feat para então poder gastar um dos seus poderes na outra classe. Será que o equilíbrio está no primeiro feat de multiclasse, que dá um skill extras? Não pretendo mudar isso quando voltar a mestrar, mas acho muito custuso ao PC.

    E não sei de vocês, mas eu permito em casos de multiclasse que o PC já tem o skill que o feat concede, trocar o skill bônus por outro da classe. Exemplo: paladino que faz multiclasse com clérigo. O feat de clérigo concede Religon, que já é automático do Paladino. Então ele troca o religion por Heal.

    • Daniel Anand disse:

      Acho na maior parte dos casos, multiclasse tem mais a ver com uma personalização a mais do personagem, e que quase sempre vai levar a opções sub-ótimas. Pra quem quer jogar com um personagem assim, nem é tão grave usar um feat, se seu personagem vai ter aquele poder que você acha legal.

      No entanto, eu já acho os feats básicos de multiclasse bons o suficiente, e se você já tem a perícia… fica sem uma nova, mal aí! 🙂

      • Marcelo Dior disse:

        Lendo as diferentes opiniões aqui nos comentários, acho que preciso ter aquela saudável atitude de mente-aberta. Eu confio e gosto do trabalho a WotC e tudo mais, só que preciso ver de perto o resultado prático da multi-classe que tanto defendo.

        Nos jogos de sábado entrou um jogador que fez um Warlord com os dois primeiros feats multiclasse de Wizard (mesa de 4o. nível), e há um Wizard no grupo. Ainda não jogamos com essa configuração de personagens, e vou prestar bastante atenção para ver o que acontece com esses dois lutando juntos no campo de batalha.

        • Assim, se já tem personagem da CLASSE, eu acho perda de tempo um outro alguém fazer multiclasse. Talvez valesse a pena conversar com o jogador (ainda mais porque ele pegou coisas bem distintas…) pra saber o que ele estava realmente querendo com isso.

          De repente ele não pensou direitinho no conceito do personagem e terminou não encontrando a classe ideal pra jogar, com o PHB2 já existem variações o suficiente pra agradar um bocado de gente.

  18. Daniel Anand disse:

    A impressão que eu tenho é que, com exceção do mago, as classes fighter, rogue e clérigo são as mais "puras" dentro do seu papel. As do PHB2 definitivamente conseguem desempenhar bem papéis secundários, se o personagem for construído assim.

    • Thiago "kaishakunin" disse:

      Quanto ao rogue, até concordo. Somo às classes puras ainda o ranger (striker) e wizard (a proposta inicial de controller do jogo). Mas cleric e fighter? Cleric também é controller (vide poderes de área constantes em sua lista), assim como o lado "striker-resco" do fighter estar gritando bem alto (dual strike, brash strike, rain of blows, quicksilver stance, etc.)

  19. Onor disse:

    Paladino multi-classe com BÁRBARO? É, no mínimo inusitado! "Por KOOOOORD!! AAAARRRRH!"

  20. Sonyuu disse:

    Só para confirmar a notícia que deixei no meu post lá em cima, o tal artigo sobre Dual Class para 4E será publicado na Dragon dia 6 de abril! Espero um review por parte do Daniel e do Davi sobre o asunto o quanto antes!

  21. Sonyuu disse:

    Só para confirmar a notícia que deixei no meu post lá em cima, o tal artigo sobre Dual Class para 4E será publicado na Dragon dia 6 de abril! Espero um review por parte do Daniel e do Davi sobre o assunto o quanto antes!

  22. DM_Rafael disse:

    Eu até pensaria desse jeito, se não fosse o caso do próximo feat do próximo livro que vai dar a liberdade de pegar este ou outro skill. Vide Martial Power.

  23. eu acabei de criar um druida multiclasse com clérigo justamente por que falta um tipo de papéu no grupo e os outros jogadores são Swrodmage e bárbaro. Como o estilo da campanha será "natureba" escolhi um controlador que também tem tendencia para líder. Escolhi o clérigo justamente para curar os aliados, já que o xamã só ganha o animal e o ataque dele (mesmo que cure, não é melhor que a do clérigo), então basicamente meu personagem vai se parecer com um sacerdote tribal voltado para batalhas. A raça que escolhi foi humano, o que ajudou com essa versatilidade e também pelas perícias, pois possuo 6 =D

  24. Farrem disse:

    Eu jogo como um Senhor da Guerra com Multiclasse de clérigo, a desculpa era ele ser um membro de um culto secredo à deuses da guerra exilados, mas ele fugiu do templo secreto para se tornar um líder e não um sacerdote. Ele é bem útil como lider, e o healing word já salvou o grupo mais de uma vez.
    Agora quanto ao bardo multiclasse com clérigo e senhor da guerra eu imagino o seguinte:

    "Ele era um garoto amargo e mirrado
    Que por seus pais foi enviado
    A uma academia se tornar um militar
    Mas o seu desejo era apenas cantar
    Depois tentaram leva-lo para o templo
    Mas para rezar não tinha talento
    Encontrou alguns amigos legais
    E partiu para uma vida de musicais
    Que ele canta, grita e reza todos sabem
    Mas poucos que nada ele faz bem
    Esta em um mundo de espada e magis
    Mas queria estrelar "Mama Mia"
    Este é o jovem bardo cantor
    Parte clérigo, parte Warlord e todo terror"

  25. Farrem disse:

    Eu jogo como um Senhor da Guerra com Multiclasse de clérigo, a desculpa era ele ser um membro de um culto secredo à deuses da guerra exilados, mas ele fugiu do templo secreto para se tornar um líder e não um sacerdote. Ele é bem útil como lider, e o healing word já salvou o grupo mais de uma vez.
    Agora quanto ao bardo multiclasse com clérigo e senhor da guerra eu imagino o seguinte:

    "Ele era um garoto amargo e mirrado
    Que por seus pais foi enviado
    A uma academia se tornar um militar
    Mas o seu desejo era apenas cantar
    Depois tentaram leva-lo para o templo
    Mas para rezar não tinha talento
    Encontrou alguns amigos legais
    E partiu para uma vida de musicais
    Que ele canta, grita e reza todos sabem
    Mas poucos que nada ele faz bem
    Esta em um mundo de espada e magia
    Mas queria estrelar "Mama Mia"
    Este é o jovem bardo cantor
    Parte clérigo, parte Warlord e todo terror"

  26. Anão Picareta disse:

    No incio (antes do PH2) faltou um striker no grupo então fiz um multclass com Fighter/Barbarian(playtest). Ficou bem interessante. Achei a proposta do multclass na 4e muito boa, superando o mesmo preceito da edição anterior…

  27. Shin disse:

    Finalmente eu consegui! Criei e conta nos comentários!

    Eu gosto muito da multiclasse da nova edição, ela é "eficiente" e ainda assim não deixa apelão.
    Lembro das coisas que se tinha no D&D 3rd, onde se perdia um nivel inteiro para fazer "multiclasse", ou começava com meio nível em duas classes (¬¬').

    Agora a coisa mais simples e mais pratica, do jeito que precisava ser. Atualmente meu personagem se tornou um paladino, conversei com o mestre, e como a interpretação do personagem sempre foi uma pessoa polida e cheia de "regras" e sempre com um tipo de "tabu", o mestre permitiu mudar de classe por inteiro, e não apenas multiclass.

    Agora estou refazendo o personagem, espero colocar o talento de Multiclasse com Fighter para ter uma ou outra coisa que lembre o antigo.

    Abraços

  28. Leonam disse:

    Bem foi falado logo ai acima sobre um senhor da guerra e um mago, bem, é uma combinação legal, mas como falado, seria bom se fossem feitas combinações necessarias que já não tivesse algo na mesa.

  29. Luke_SK disse:

    Eu considero o sistema de multiclasse da quarta edição muito bom, só acho que ele não serve pra substituir uma role. Tanto que uma das idéias dos livros darem suporte nas tabelas pra 4, 5 ou 6 jogadores no grupo sirva justamente pra que o mestre incentive os jogadores a pegarem pelo menos um personagem que se encaixa em cada uma das quatro roles.
    Ao meu ver, a multiclasse serve não pra substituir o cara que falta, mas sim pra reforçar uma das roles quando a situação se mostrar necessária.
    Se o mestre costuma colocar muitos minions ou muitos inimigos pro grupo enfrentar, um reforço na role de defender ou na de controler cai muito bem, mas um grupo que tenha 4 pessoas, dois defenders, um controler e um leader, com certeza vai sentir falta do striker pra causar mais dano, pois nem de longe os defenders conseguem ser tão efetivos nesse ponto. E por aí vai.

  30. kender disse:

    tipo… é muito munchkin tu comprar multiclasse como talento.
    por exemplo tu é mago e derrepentemente vê que precisa da skill endure, por exemplo, tu pode gastar um feat e pegar a skill ou pode pegar multiclasse e pegar a skill e ainda poder marcar um oponente por rodada.
    tá, tu vai falar… graaaaaaaaaaande vantagem marcar um oponente por rodada… mas ainda assim é melhor que só ter a skill, não acha? (peguei o exemplo mais tosco de multiclasse pra mostrar que sempre tem vantagens ^^)

    • Daniel Anand disse:

      Não acho munchkin, mesmo porque cada classe (com exceção do bardo) só pode pegar um multi-class. E nem sempre o atributo é novo, como expliquei. E custa um feat, então acho justo.

      • kender disse:

        mais ainda acho mais vantagem pegar um multiclasse que pegar um skill seco. =P tá… tirando o guerreiro, que é realmente ruim.

  31. kender disse:

    acho que dependendo de como tu interpreta, tudo pode ser tudo… um mago de orb é controlador total, um de varinha é um pouco mais ofensor e um de cajado é um defender (tá bom, apelei…)
    builds hibridas podem resolver em parte esta falta de personagens jogadores… se tudo der errado, sempre tem um npc. =P

  32. kender disse:

    bem… como o pessoal do vozes da terceira terra falou em um dos podcasts deles (tá… estou fazendo propaganda na cara dura mesmo…) as duas coisas que mais definem uma cultura são a culinária e a língua… por mais triste que possa parecer, muitas pessoas que vem buscar aqui informações pra pode começar a jogar a 4e não tem noção nenhuma de inglês, e dependem de pessoas como o davi e o daniel pra poder migrar finalmente pra nova versão do d&d… uma menina da minha mesa quis parar de jogar por não saber o que o personagem sabia fazer… logo vamos traduzindo tudo pra ela… não é obrigação de ninguém saber uma outra língua, mesmo todos sabendo que é muito muito importante.
    volto a agradecer ao davi e ao daniel pelo altruísmo, de deixar de lado o jeito que costumam falar/escrever e abranger um maior numero de interessados no assunto.
    sei que todos que intendem o inglês, mesmo tendo algum nojo de termos como o (graças a paladine) falecido meio duende aquático guarda-florestal (é… alguns velhos vão lembrar dessa…) vão intender o bom português.

    • Mas como é que um cara que não sabe patavinas de inglês está procurando material da 4E que só existe em inglês? ;D

      Sério, eu conto nos dedos as pessoas que eu conheço que não compram os seus livros na amazon XD

      • kender disse:

        sim, concordo, mas como eu disse no post, uma iniciada em 3,5 em português, sem grandes domínios do que é o rpg e sem domínio de inglês não necessariamente deve ficar sem fontes de pesquisa. ela sempre lê o rolando20, pelo que ela me conta, em busca de uma melhor idéia do que é a personagem dela, ela ouviu os podcasts antes de escolher uma classe, e fez a build de acordo com os comentários daqui.
        em momento nenhum quero dizer como isso ou aquilo deve ser feito, mas, se entendi direito a proposta do rolando20 (que ao meu ver é levar a idéa da 4ª para o maior numero de pessoas), trazer os termos para o português, já ajuda muito quem quer iniciar em uma mesa de veteranos, como o que está acontecendo na minha mesa.

  33. Farrem disse:

    boa mudança, considere oficial

  34. Eu tava pensando um bocado nisso e hoje eu acho que é melhor ter um NPC bônus na mesa do que "obrigar" o pessoal a fazer multiclasse, porque isso termina até por atrapalhar o desenvolvimento dos outros personagens do grupo, que tem que se preocupar em cobrir os "buracos" da equipe em vez de simplesmente seguir o caminho.

    Acho que isso é válido especialmente se o que falta é um Leader/Controller (que são os mais comuns de faltar, já que todo mundo quer ser Defender/Striker), se o grupo não tem eles, o mestre pode fazer uns NPCs e incluir eles na história pra dar uma mãosinha pro grupo ou até re-planejar os encontros levando em consideração as deficiências do grupo. Tipo, se não tem controller, não coloca muito minion, se não tem leader, não coloca combates longos ou frequentes demais sem um descanso.

    Acho que os jogadores só deveriam ter que fazer multiclasse se eles tiverem realmente interesse em fazer isso pro desenvolvimento do personagem, se eles acham que é interessante e tal, mas pegar multiclasse como muleta eu acho um negócio meio chato.

    • Marcelo Dior disse:

      Concordo plenamente, jogadores não deveriam ser obrigados a fazer multi-classe, até porque essa segunda classe não terá seu role muito bem preenchido — vejo a multi-classe como um "tsuj" no seu personagem, só. Para esses buracos, acho melhor mesmo um NPC.

      De fato, o Rolando 20 sugeriu o "Cleric Band-Aid" há alguns meses, uma idéia que extrapolei para minha mesa que estava sem Wizard, criando o NPC "Serj, Wizard For Hire", baseado no Human Mage. Ele cobrava seu valor em XP do grupo a cada missão que era contratado para participar.

  35. Munchkin!

    Mas se o que o cara quer é comprar a perícia, vale muito mais a pena pegar o multiclasse mesmo, o negócio é que ser multiclasse não é mais tão interessante quanto era na 3.0/3.5.

  36. Entendo 🙂

    O que me chateia é que ainda vai demorar muito pra nós vermos o PHB, DMG e MM disponíveis em PT-BR.

    Mas o trabalho do Daniel e do Davi é uma coisa pra ser admirada, porque eu acredito que eles só consumam material importado, mas sempre que disponibilizam material aqui o fazem em PT, mesmo que eles não usem assim, é muita boa vontade. A maior parte do material que eu produzo pra WoD lá no pensotopia é em inglês mesmo porque eu não tenho nenhum dos livros em PT e nem a paciência de jó pra esperar eles relançarem o módulo básico.

    Mas isso já não tem mais nadas haver com o assunto não, foi mal aê XD

  37. kender disse:

    mais ainda acho mais vantagem pegar um multiclasse que pegar um skill seco. =P tá… tirando o guerreiro, que é realente ruim.

  38. Daniel Anand disse:

    Em geral, concordo contigo. Mas sempre tem, por exemplo, um clérigo munchkin que pega multiclass de warlord só pra curar mais uma vez, mesmo com outro no grupo! 🙂

    • O clérigo do meu grupo (que tem também um Warlord) estava comentando isso ontem de noite 😛

      "Ah, só as minhas curas não são o suficiente pra tanta gente desse grupo não!"

  39. Daniel Anand disse:

    Pois é, aquela idéia da 3e de fazer um fighter/mage pegando as duas classes não se aplicam mais. Você tem que procurar a classe que segue o conceito que você procura, e ir customizando. Para esse exemplo, o Swordmage, com algum foco em dano, fica bem fighter/mage, por exemplo.

  40. Pingback: Multiclasse e a síndrome do faz tudo (que não faz nada) « Pensotopia

  41. Sonyuu disse:

    Uia. Vi uma cópia do PHB2 que um amigo comprou recentemente. Caraca, os "race paragon paths" são fantásticos! Estou considerando seriamente avançar na race path de anão quando chegar ao nível 11!

  42. kaio orc cezar disse:

    o que houve com os personagens simples…

Os comentários estão encerrados.