Como você encontra jogadores?

delveContinuando a responder as trinta perguntas, a pergunta de hoje é “Como você encontra jogadores?” Essa pergunta é interessante, porque com alguma frequência recebo e-mails de leitores e ouvintes que me perguntam se conheço grupos ou se podem jogar comigo.

A primeira resposta então é: não é através do Rolando 20! Adoro nossos ouvintes, mas para mim a regra mais importante do RPG é: jogue com os seus amigos. Você até pode experimentar com grupos diferentes aqui e ali, ou tranformar um grupo casual em um grupo de amigos, mas isso pra mim é a exceção, e não a regra. Então, anote aí: se você joga na minha mesa, te considero meu amigo. Exceto on-line, que jogo também com conhecidos, mais sobre isso abaixo.

Voltando ao como encontro jogadores: fácil, chamo meus amigos. E se meus amigos não jogassem RPG? Aí, claro, ia depender muito dos amigos, mas eu preferiria tentar ensinar e jogar com amigos já existentes do que fazer amigos novos. Porque pra mim é mais fácil o primeiro que o segundo, mas sua experiência pode variar. Se isso não funcionasse, só aí eu partiria para o online.

Eu já joguei bastante RPG online, seja via Map Tools, Fantasy Grounds ou meu recente favorito Roll20 (mais sobre RPG via Internet nesse post e nesse podcast). Já joguei D&D, GURPS e agora estou jogando 13th Age. Já joguei em Português e em Inglês. E funciona, mas pra mim passa longe da experiência de jogar ao vivo, e mais um quebra galho que solução. Pode ser muito bom para fazer novos amigos (que eventualmente vão pra sua mesa real, se possível), jogar com amigos distantes (na Califórnia ou em São Bernardo do Campo) e experimentar jogos, sistemas e cenários novos.

Outras pessoas podem sugerir encontros (como o encontro recorrente da Luderia, aqui em São Paulo), eventos ou espaços públicos. Deve funcionar, mas eu não encontro (não procuro, na verdade) jogadores assim.

E vocês? Como encontram jogadores (ou mestres!) para as mesas de vocês?

Rolem 20!

Publicado em Post | Com a tag , , | 5 comentários

E hoje foi nossa 6a sessão de 13th Age usando o Roll20

Olá Jogadores e DMs!

Na última quarta foi nossa 6a sessão de 13th Age usando o Roll20. Bem divertido, o grupo conseguiu vencer o bando de quatro dragões fêmeas que guardavam a carcaça do macho, para pegar sua presa: item final para a construção da bússula mágica que levará o grupo até a necrópole, onde eles irão invadir o cofre do Lich-King, e roubar sua coroa!

Mestre: +Daniel Salles de Araújo  (eu mesmo) / Jogadores: +Danielle Toste , +Davi Salles , +Joaquim Nobre e Juliana.

 

Publicado em Post | Com a tag , | 13 comentários

Qual sua ferramenta ou acessório de mestre favorito?

Continuando a responder as trinta perguntas, a pergunta de hoje é “Qual sua ferramenta ou acessório de mestre favorito?” Essa pergunta foi meio difícil pra mim, porque fiquei entre duas. Como a primeira é meio óbvia, coloco as duas por aqui.

4edmscreen

Meu primeiro acessório favorito de mestre é o escudo do mestre, ou DM Screen. Ele é meu favorito por uma série de motivos. Eu gosto do fator colecionador, já que tenho pelo menos uns 10 screens diferentes. Só de D&D, tenho de Forgotten, de Eberron, da terceira edição, da terceira edição premium, do AD&D, do AD&D da Abril, da quarta, um de dragonlance, e por aí vai. Tem uma coisa nostálgica em colocar um screen na mesa.

Mas tenho que confesar que não gosto, na prática, de colocar o escudo na minha frente. Acho que ele cria uma barreira (física e emocional) entre o mestre e os jogadores. A coisa melhorou quando começaram os screens horizontais (que dá pra ver a cara do mestre) ou os mini-screens (como o do Old Dragon, bem bacana). Mas na real o que eu faço é deixar o screen à mão, mas sem colocá-lo de pé. E aí sim, acho útil, mas depende do screen. Às vezes é preciso colocar uns Post-Its™ com detalhes adicionais (o Tio Nitro é mestre nisso). Também gostava, no D&D, de deixar o screen de pé e pendurar papéis com os nomes dos personagens para controlar iniciativa.

Um debate relativo ao screen é rolar aberto versus rolar fechado, que vai ser assunto de um próximo post ainda dentro da lista de perguntas.

index-cardsMas, tirando esse acessório óbvio, meu segundo acessório favorito são cartões, ou fichas pautadas. Amo. E uso muito. Seja com stats de monstros, idéias de ganchos de aventuras, rascunho para nomes de NPCs e tavernas inventadas na horas, acho que fichas pautadas é a ferramenta principal que uso ao mestrar. Mesmo minha recente campanha de 13th Age, que mestro online usando o Roll20, eu uso fichas com anotações de frente ao computador.

Claro, não precisaria ser cartões, poderia ser um caderno, por exemplo. Mas acho que os cartões são menores, ocupam menos espaço, posso jogar fora os que não for usar mais, e é mais fácil de levar por aí. Também posso usar cartões coloridos e já ter uma categorização pronta. Para os mestres digitais, o newbie DM deu essa dica para usar iPads.

E vocês? Qual sua ferramenta ou acessório de mestre favorito? Rolem 20!

Publicado em Post | Com a tag , , , , | 4 comentários