#RPGaDay 2017 – Dia 14 e 15

Eu pulei o dia 14 porque a resposta é obvia! A pergunta era Qual RPG você prefere para campanhas sem um final definido (open-ended)? A resposta: 13th Age!

Já hoje, a pergunta é Que RPG você gosta de adaptar? A nova geração vai falar Savage Worlds, FATE, essas coisas modernas aí. Pra mim RPG de adaptar sempre foi e sempre será GURPS. Eu mesmo escrevi uma adaptação de Arquivo X para o Brasil, e eu mestrava uma aventura recorrente de “Call of Cthulhu” em encontros internacionais também baseado em GURPS, com um pouco de misterio e psionismo.

E vocês?

Sobre Daniel Anand

Daniel Anand, engenheiro, pai de gêmeas e velho da Internet. Seu primeiro de RPG foi o GURPS Módulo Básico, 3a edição, 1994. De lá para cá, jogou e mestrou um pouco de tudo, incluindo AD&D, Star Wars d6, Call of Chuthulu, Vampire, GURPS, Werewolf, DC Comics (MEGS), D&D 3-4-5e, d20 Modern, Star Wars d20, Marvel Superheroes, Dragonlance SAGA, Startrek, Alternity, Dread, Ars Magica e atualmente mestro 13th Age. @dsaraujo no twitter

Esta entrada foi publicada em Post e marcada com a tag . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

3 respostas a #RPGaDay 2017 – Dia 14 e 15

  1. Tarcisio Lucas disse:

    Vish, essa é difícil, pois eu adapto qualquer coisa!kkkkkk
    Pra ter uma idéia das minhas pirações, já fiz uma campanha de Dr Who medieval usando D&D 4° Edição!
    Mas se tivesse que escolher, escolheria o Sistema Daemon, de Trevas e Arkanum, é super flexível ( nesse ponto vocês já devem ter reparado que eu tenho um carinho especial por sistemas nacionais…)

  2. Rafael Moraes disse:

    Como eu desconheço outras coisas muito genéricas dessa nova geração, só me vem a cabeça GURPS também. Tenho um carinho nostálgico pelo 3D&T também, como algo nacional, simples, genérico e barato. Confesso que tenho uma vontade de mestrar algo em GURPS, mas não sei o quão flexível ele pode ser entre o muito realista e muito fantasioso.
    Me parece que a quarta edição foi descontinuada né? É uma pena.

  3. Rafael Moraes disse:

    Sobre o open-ended eu gosto muito de como o sistema Storytelling foi reformulado pela Onyx Path a partir do Chronicles of Darkness.

Os comentários estão encerrados.