Videogame de Papel – Shadowfang Keep

O título do post é obviamente uma homenagem à série de posts do d3System, mas será também uma nova coluna semanal aqui da Rolando 20. O objetivo é trazer (outros) aspectos de videogame para nosso jogo favorito, depois de emprestar tanto nossos termos para os consoles.

E se tem um jogo que podemos tirar muita coisa legal e aplicarmos nas nossas mesas de Dungeons & Dragons é, ironicamente, World of Warcraft. No caso, as chamadas instâncias, que nada mais são do que Dungeons exclusivas para os grupos formados lá. O legal das instâncias é que todas elas possuem histórias fantásticas, encontros divertidos, que muitas vezes usam e abusam de terrenos ou layouts interessantes, estratégias inovadoras, e necessidade de trabalho em grupo dos PCs.

Para começar o artigo, falaremos de uma das minhas instâncias favoritas: Shadowfang Keep. A minha idéia é adaptar os conceitos do mundo ficcional de Azeroth para algo mais genérico, usando os termos e idéias dos Pontos de Luz da 4ª edição. Deixarei sempre no final as referências disponíveis, para quem quiser outras idéias de como inserir o conteúdo no seu cenário ou campanha.

Perceba que esse é um post para DMs. Se seu DM quiser usar esse material na sua mesa, e você ler antes, pode ter parte de sua diversão estragada. Considere tudo daqui pra frente como spoiler.

Shadowfang Keep

História

Durante as guerras entre Bael Turath e os dragonborns, quando os magos da organização Golden Wyvern eram enviados para lutar contra as hordas de undead enviados pelos cultistas, muitas vezes eram trazidos de volta como mortos-vivos. Frustrado com essa situação lastimável, o arquimago Arugal resolver invocar criaturas da Shadowfell para ajudar os ranques de Arkhosia e a união da luz. Suas magias de conjuração trouxeram os Worgen para o mundo. Essas ferozes criaturas-lobo eliminaram rapidamente a oposição de Bael Turath, mas se voltaram contra os magos também.

Elas tomaram o forte do Barão Silverlaine, próximo ao pequeno vilarejo de Pyrewood, que rapidamente se encontrou em ruínas e destruição. Louco com a culpa, Arugal adotou os worgen como seus filhos, tomando refúgio nas ruínas do forte, chamado agora de Shadowfang Keep. As lendas dizem que ele ainda vive lá, protegido por seu enorme animal de estimação, Fenrus – e pelo espírito do Barão Silverlaine.

As florestas ao redor do forte e do vilarejo de Pyrewood são comumente alvos dos worgen que caçam na região. A cidade mais próxima é Ambermill, que até hoje não conseguiu lidar com as criaturas-fera. Dizem que um grupo de aventureiros está para passar pela cidade. O prefeito Janus Tyroll deixa sempre um cartaz de recompensa na Taverna do Lobo Morto, em Ambermill, oferecendo 2.000 moedas de ouro por cabeça para o grupo que acabar com a fonte dos worgens.

Hooks

  • Os jogadores podem aceitar o pedido de recompensa oferecido pelo prefeito Janus Tyroll. Além do prêmio em dinheiro, eles ganham 1.800XP (Major Quest) se impedirem Arugal.
  • Um grupo de warlocks conhecem a história de Arugal, e eles sabem que o arquimago ainda guarda os rituais que trouxeram os Worgen ao mundo. Eles oferecem 1.500 moedas pelos encantamentos, mesmo que incompletos. Essa é uma minor quest, de 500XP.
  • Algum descendente do Barão Silverlaine pode pedir aos jogadores que ajudem seu antepassado. Ele oferece um item mágico de valor que pertenceu a sua família. Essa também é uma minor quest, de 750XP.

Encontros

Nos próximos posts dessa série, irei descrever os seguintes encontros, voltados para um grupo de nível 6.

Visão Interna de Shadowfang Keep

  • Grupo de worgens, que pode ser encontrado nas imediações do forte, ou mesmo dentro dos níveis inferiores;
  • Fenrus, o Devorador: o lobo gigante de Arugal;
  • Barão Silverlaine, fantasma do local, que será um Skill Challenge com combate em caso de falha;
  • O arquimago Arugal.

A Dungeon original possui uma série de outros encontros combativos, mas resolvi pegar só os mais legais. Você pode facilmente expandir essa lista usando o material de referência, se seu grupo estiver se divertindo.

Referências

Espero que gostem desse tipo de post. Rolem 20!

Sobre Daniel Anand

Daniel Anand, engenheiro, pai de gêmeas e velho da Internet. Seu primeiro de RPG foi o GURPS Módulo Básico, 3a edição, 1994. De lá para cá, jogou e mestrou um pouco de tudo, incluindo AD&D, Star Wars d6, Call of Chuthulu, Vampire, GURPS, Werewolf, DC Comics (MEGS), D&D 3-4-5e, d20 Modern, Star Wars d20, Marvel Superheroes, Dragonlance SAGA, Startrek, Alternity, Dread, Ars Magica e atualmente mestro 13th Age. @dsaraujo no twitter

Esta entrada foi publicada em Oponente e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

11 respostas a Videogame de Papel – Shadowfang Keep

  1. rsemente disse:

    Muito bom o artigo, deverá dar boas idéias para aventuras!

    Último post de rsemente: Dragões e mais Dragões

  2. Fabiano disse:

    Excelente post, Anand, muito bom MESMO.

    O engraçado é que ontem mesmo dois dos jogadores do meu grupo que jogam WoW estavam comentando sobre formas de se usar elementos do jogo no D&D.

    Último post de Fabiano: Pôster motivacional da semana!

  3. C disse:

    Excelente idéia! E uma ótima para se adaptar (que cairia direitinho no conceito dos pontos de luz) é o conjunto de instancias em Auchindown (as do estádio), em Terokkar.

    Aquelas instancias tem a melhor história do jogo, alem de serem facilmente encaixaveis em qualquer campanha.

    E claro, Wailing Caverns, a instancia mais emblemática do jogo =P

  4. C disse:

    Ah sim, Karazhan também é outra que tem muito lore assim como encontros unicos para adaptar para o D&D (o xadrez e o teatro são meus favoritos)

  5. Sarmento disse:

    Meu mestre joga wow e utiliza varios materiais do jogo coisa q eu acho muito interesante pois acho q o D&D 4.0 ficou bem parecido com um wow de papel.

  6. Bona disse:

    Muito boa a idéia de usar as instances de WoW na mesa de D&D. Ainda mais agora que a quarta edição ficou tão mais parecida com WoW.

    Shadowfang Keep é legal porque é curtinha, rápida, ideal pra um grupo de level baixo fazer em uma sessão de RPG, com duração de umas 3 a 4 horas.

    Valeria muito a pena pegar outras instances (ou até raids), com histórias também interessantes.
    Naxxramas é uma cidadela de mortos-vivos que sobrevoa Eastern Plaguelands, levando destruição por onde passa… (e tem o KelThuzad como boss final).

    Tempest Keep é um complexo tecnológico onde dutos de mana são canalizados para alimentar o poder do Prince Kaelthas.

    Molten Core é a própria visão do inferno, onde criaturas habitam a lava e demônios guardam o caminho até Ragnaros!

    enfim, tem várias ideias!

  7. Daniel R disse:

    Esse barão Silverlaine não era o que tinha uma arena ou algo assim? Que tal aproveitar o embalo e catar uns aspectos de luta de arena retiradas do WoW (como ruínas usadas como arena, aventuras entre raças monstruosas, etc), pegando até aquele material de gladiadores que saiu dia destes? O quadrinho de WoW que a Panini tem publicado vem focando nesses combates de gladiadores e é bem bacana também =D

    Último post de Daniel R: Advogado do Diabo: Powergaming – Parte 2 de 2

  8. Pingback: Skill Challenge #5 - Shadowfang Keep - Barão Silverlaine | Rolando 20

  9. Pingback: Shadowfang Keep - Arquimago Arugal | Rolando 20

  10. Pingback: Videogame de Papel - Molten Core | Rolando 20 - D&D 4ª edição

  11. Pingback: Videogame de Papel – Path of Exile | Rolando 20

Os comentários estão encerrados.