Posts com a tag livros

29
jan

De volta outra vez!

   Escrito por: Daniel Anand em Post

Dragão VermelhoOu, como diria Tolkien, “There and back again“, para mais aventuras. Quase um ano depois do nosso post de despedida, finalmente tomei coragem de investir pelo menos de três a cinco horas da minha semana para gravar e editar um podcast. Por dois motivos.

O primeiro, é porque eu gosto de RPG, gosto de falar sobre isso, gosto de bater papo com o Davi sobre o assunto. E, porque está no sangue: meu pai até hoje é radialista na Rádio Cultura de Poços de Caldas, e meu avô foi locutor esportivo, narrou até o 1000º gol do pelé.

O segundo são vocês, ouvintes fiéis, que até hoje pedem, comentam e falam sobre o Rolando 20, seja no Twitter, no Google+, até mesmo no Facebook.

Então voltaremos, com um novo formato, mais curto (e mais fácil de editar), e mais diversificado. Falaremos de D&D, mas falaremos de outras coisas também. Teremos quatro “temas” de programa, dois por semana, às terças e quintas, em rodízio. Os temas são:

  • Notícias, novidades e lançamentos. Um episódio mais “temporal”.
  • Jogos, onde falaremos de boardgames, videogames, cardgames e outros jogos que a gente gosta (e joga).
  • História, onde vamos contar histórias de NPCs, lugares, artefatos e outros ícones do D&D e do mundo do RPG.
  • Livros, onde resenharemos livros, de ficção ou mesmo de RPG.

Espero lançar o primeiro episódio no dia 5 de Fevereiro, daqui à uma semana. Me avisem se tiverem dúvidas, sugestões e o que seja. Divulguem para quem vocês conheçam que gostem de RPG e de Dungeons & Dragons.

E rolem 20!

Tags: , , , , ,

3
fev

Minha estante de RPG – O Topo

   Escrito por: Daniel Anand em Post

Olá pessoal,

Vocês acompanharam minha estante de RPG em quatro partes: a parte 1, parte 2, parte 3 e parte 4. Mas ficou faltando só um pedacinho, o topo. Então resolvi fechar essa série com ele:

topo

O que temos?

  1. Fist of Emirikol – É, o nome é feio assim mesmo. Um artefato clássico do D&D 3ª edição, enviado aos membros da RPGA, na época pré-histórica. Funciona como um Deck of Many Things, mas é um dado ao invés de baralho.
  2. Miniaturas guardadas em tupperware. A vantagem é poder deixar elas já separadas por aventuras ou encontros.
  3. Vários baralhos. No topo, fichas para se jogar pôquer. Ou para usar com o jogo debaixo, o Three Dragons Ante. Embaixo, o baralho do sistema SAGA para Dragonlance, e por último, o RPG dos Marvel Super Heroes, que também usa o sistema SAGA e um baralho.
  4. Dados d10 de Vampire. Eles precisam morar em algum lugar.
  5. Munchkin! O jogo de cartas mais legal para momentos casuais. Eu tenho o básico, o Munchkin Bites! com uma expansão, e o Munchkin Fu. Juntando tudo, podemos ter um Samuarai Elfo Vampiro Clérigo, que é algo bem munchkin.
  6. Mais miniaturas se escondem aqui.

E é isso. Espero que tenham gostado da série. Só para fins de completude, outros livros de RPG que eu tenho espalhado em outros lugares:

  • Todos os livros de D&D 4ª edição que saíram até agora, menos o Basic Novo;
  • GURPS Modulo Básico – Devir;
  • GURPS Supers – Devir;
  • GURPS Viagem no Tempo – Devir;
  • GURPS Ultra-tech – Devir;
  • The Kindred Most Wanted – White-wolf;
  • Vários screens de D&D, d20 Modern, M&M, Vampire, e outros;
  • Mini GURPS básico, Cruzadas e Descobrimento do Brasil – Devir;
  • 30 Years of Adventure – WotC
  • Outro DC by Night – White Wolf
  • Monster Manual 3.0 – WotC
  • Dungeon Master Guide 3.0 – WotC
  • The Complete Book of Elves (AD&D) – WotC
  • Wizard’s Spell Compendium Vol. 1 (AD&D) – WotC

Os últimos cinco itens estão à venda se alguém se interessar! Até!

Tags:

27
jan

Minha estante de RPG – Parte 4

   Escrito por: Daniel Anand em Post

Bom, e chegamos ao quarto andar da estante, com sistemas e livros diversos. Vamos lá:

Parte 4 da estante

Livros que não for citado explicitamente a editora, considere como Wizards of the Coast. Temos aqui, em ordem, da esquerda para a direita:

  • War of the Lance – Sovereign Press
  • Dragonlance Campaign Setting
  • 25th Aniversary Dragonlance Chronicles – TSR
  • Alternity Dark * Matter – TSR
  • Alternity Player’s Handbook – TSR
  • Alternity Gamemaster Guide – TSR
  • Alternity Campaign Kit – TSR
  • GURPS Lite 4th edition – Steve Jackson Games
  • Alternity Dark * Matter Adventure – The Killin Jar – TSR
  • Star*Drive Campaign Setting – TSR
  • Return to the Temple of Elemental Evil
  • Player’s Handbook 3.0
  • Toolbox – AEG
  • Warcraft: The Roleplaying Game – White-Wolf
  • Dragon Magic
  • Eberron Campaign Setting
  • Mutants & Masterminds RPG – Green Ronin
  • Call of Cthulhu 5th edition – Chaosium Inc.
  • Cthulhu Dark Ages – Chaosium Inc.
  • Call of Cthulhu d20
  • d20 Modern Weapons Locker
  • d20 Apocalipse
  • d20 Past
  • d20 Future
  • d20 Modern Roleplaying Game
  • Star Wars 2nd Edition – West Ends Game
  • Star Trek Narrator’s Guide – Decipher
  • Star Trek Player’s Guide – Decipher
  • The Babylon 5 Roleplaying Game: 2nd Edition – Moongoose Publishing
  • Superman: the Man of Steel Sourcebook – Mayflier Games
  • The Blood of Heroes – Special Edition – Pulsar Games Inc.
  • Ghostwalk
  • Arcana Unearthed GM Screen – Mahavoc Press
  • The Diamon Throne – Mahavoc Press
  • Monte Cook’s Arcana Unearthed – Mahavoc Press

E é na último canto da estante onde guardo vários xodós. Primeiro, os livros de Dragonlance. As Crônicas republicadas no 25º aniversário tem a história completa das crônicas com estatísticas para o SAGA, que eu adoro, e tenho as regras e o baralho, e também tem as regras para AD&D. Eu já mestrei pedaços dela no SAGA e no D&D 3e e me diverti pacas.

Eu tenho também vários RPGs de ficção científica, que eu adoro. Alternity é um sistema bem no estilo AD&D, lançado alguns anos antes do D&D terceira edição. Ele tem o mundo de campanha Star*Drive, que é uma mistura de Isaac Asimov, Star Trek e Treveller, e também o mundo de Dark*Matter, focado em aventuras estilo Arquivo X, que depois at’teve uma versão d20. Também tenho o RPG de Jornada nas Estrelas da Decipher. Infelizmente, ele usa um sistema muito parecido com o CODA, e esse sistema é um porcaria.

Também tenho alguns livros de Call of Cthulhu, embora eu conte nos dedos as vezes que mestrei ou joguei. Também fica aqui o Mutant & Masterminds, que a Jambô trouxe ao Brasil como Mutantes & Malfeitores, e é um RPG fantástico de superheróis. No mesmo tema, tenho o Blood of Heroes, que foi a evolução das regras criadas pela Mayflower no DC Heroes RPG.

Vários outros livros de d20 Modern completam o espaço. Eu joguei uma campanha de d20 Modern, focada num estilo meio Arquivo X, meio 24 horas, por um ano e meio aqui em Campinas, foi bem divertido.

Outra coisa: esse Player’s Handbook da 3.0 é um xodó também. Não só ele é 1ª impressão, vem com o CD e tudo mais, mas também é autografado pelo Peter Adkinsons, de quando ele veio para o EIRPG.

Aliás, ainda estou esperando as fotos das estantes de vocês! Um abraço, e rolem 20!

Tags:

19
jan

Minha estante de RPG – Parte 3

   Escrito por: Daniel Anand em Post

E lá vamos nós para a terceira parte da minha estante de RPG. Essa aqui é uma especial, porque adoro meus livros de Forgotten Realms. Desculpem a qualidade das fotos, mas onde a estante fica nunca tem luz direito, e sou um péssimo fotógrafo.

Estante 3

Todos os livros são da Wizards of the Coast. Da esquerda para a direita, respectivamente:

  • Expedition to Undermountain
  • City of Splendors Waterdeep
  • Cormyr: the Tearing of the Weave
  • Power of Faerun
  • Champions of Valor
  • Mysteries of the Moonsea
  • Dragons of Faerun
  • Serpent Kingdoms
  • Lost Empires of Faerun
  • Faiths and Pantheons
  • Races of Faerun
  • Underdark
  • Forgotten Realms Campaign Setting
  • Cormyr (AD&D)
  • Monster Compendium: Monsters of Faerun
  • Sons of Gruumsh
  • Into the Dragon’s Lair
  • City of the Spider Queen
  • Champions of Ruin
  • Magic of Faerun
  • Lords of Darkness
  • Player’s Guide to Faerun
  • Silver Marches
  • Shinning South
  • Unaproachable East
  • Unearthed Arcana
  • Expanded Psionics Handbook
  • Psionics Handbook
  • Epic Level Handbook
  • Miniatures Handbook
  • Deities and Demigods
  • Weapons of Legacy
  • Tome of Battle
  • Tome of Magic
  • Complete Divine
  • Complete Adventurer
  • Complete Warrior
  • Complete Arcane
  • Complete Mage

Bom, pelo visto, Forgotten é meu cenário predileto! :) Eu gosto muito do Unaproachable East, e tanto o Dragons of Faerun quanto o Lost Empires of Faerun me proporcionaram horas de boa leitura rpgística. São livros de gostar mesmo. Por outro lado, as aventuras prontas de FR em geral achei bem xexelentas. A aventura Expedition to Undermountain comprei só porque estava uma mega promoção na Moonshadows. A City of the Spider Queen tem muita coisa usável, mas tem dungeon-crawl demais.

Também não tenho como não citar o Unearthed Arcana, um clássico e favorito de muitos outros fãs de Dungeons & Dragons. De livro mais crunch, é meu favorito, seguido do Tome of Battle e Miniatures Handbook (mas basicamente por causa das classes). O Epic Level proporcionou muitas horas de elucubração mental, mas muito pouco jogo de RPG, infelizmente. Comprei os dois livros de psiônicos, porque sempre gostei do tema, e o expanded ficou muito melhor que o primeiro.

Ufa! O próximo nível da estante vai ser Miscelânia total, com vários sistemas diferentes, aguardem! E rolem 20!

Tags:

31
dez

Manual of the Planes

   Escrito por: Daniel Anand em Resenha

Manual of the PlanesE para fechar o ano, o review de um livro que me surpreendeu um bocado: o Manual of the Planes. Não pelas tradicionais ilustrações internas, qualidade impecável do papel e capa dura, em 160 páginas. Um pouco talvez pela capa bizarra, com um Astral Dreadnought. E bastante pelo conteúdo variado, que irá dar bastante material para DMs produzirem campanhas com muito mais interações com os planos. Esse livro fala um pouquinho de Ravenloft, tem as estatísticas de uma Spelljammer, e tem os toques de Planescape. Pô, tem até regras opcionais para quem quer manter a Great Wheel na sua mesa!

O 1º Capítulo dá uma passada geral na cosmologia da 4e, muito mais simplificada, com todos os planos elementais e domoníacos agrupados no Chaos Elemental, e quase todo o resto no Plano Astral. Também explica os planos genericamente, dando espaço para os DMs criarem seus planos, semi-planos e afins. Também trazem os dados de navios que navegam entre os planos. Sigil, Lady of Pain e outros clássicos também retornam nesse capítulo.

O Segundo capítulo fala tudo sobre a Feywild, plano nativo dos elfos e eladrins. Apesar de não tem me animado para mestrar nada por lá, é um capítulo gostoso de ler. Aliás, esse é o primeiro da 4ª edição que dá gosto de ler, porque é o menos crunch de todos.

O capítulo três fala sobre a Shadowfell, que me lembra bastante a Umbra, ou a Umbra profunda, de Lobisomem: o Apocalipse. Ravenloft também vem a cabeça. Não é à-toa que os Domains of Dread agora ficam por aqui. Dá pra usar a Shadowfell fácil, fácil em campanhas, e esse capítulo dá vontade de jogar.

Na seqüência vem o o capítulo sobre o Caos Elemental, um dos maiores. Descreve a City of Brass, cidade dos gênios do fogo, descreve planos demoníacos, como o Abismo, Demonweb, o lar de Lolth, e outros. Vários monstros épicos por aqui, que aparecem no capítulo seis! :) Por fim, temos o Mar Astral, que contém tudo mais o que falta: os semi-planos das divindades, os Nove Infernos, as cidades Githyanki e Githzerai, os pocket-planes dos magos über, e por aí vai.

Então temos o capítulo de monstros, que é principalmente de demônios e diabos. Um carinha famoso que aparece com ficha é o Baphomet, patrono dos minotauros. E, por fim, também me supreendendo um pouco, vem o último capítulo, focado nos jogadores. Temos oito Caminhos Exemplares, doze novos rituais e novos itens mágicos diversos. Algumas deles valem a pena uma segunda olhada, mas ainda não pude me detalhar aqui.

Contras

  • Eu achei a capa muito feia, é de assustar criancinhas;
  • Meio caro pelo número total de páginas;
  • Podia ter pelo menos um domínio de Ravenloft;

Prós

  • Gostoso de ler, com bastante descrição;
  • Sigil aparece para essa nova geração!
  • Spelljammers pelo módico preço de 3.125.000 peças de ouro, uma pechincha!
  • Dá muitas idéias para aventuras;

Resumindo, não é tão mega completo, detalhado, bonito e bem escrito quanto as caixas de Planescape, mas é melhor que os livros Manual of the Planes e Planar Handbook da 3e, na minha opinião. E ficamos aqui com a última resenha do ano. Até 2009 com o Open Grave. Aliás, já votou na gente?

Rolem 20!

Tags: ,

29
dez

Minha Estante de RPG – Parte 2

   Escrito por: Daniel Anand em Post

Continuando a estante de RPG, temos agora mais D&D e um pouco de RPGs da White Wolf:

A segunda parte da estante

Da esquerda para a direita, em ordem, temos:

  • Book of Challenges – WotC;
  • Stronghold Builder’s Handbook – WotC;
  • Enemies and Allies – WotC;
  • Arms and Equipment Guide – WotC;
  • As aventuras de Eberron, todas da WotC:
    • Shadow of the Last War;
    • Whispers of the Vampire Blade;
    • Grasp of the Emerald Claw;
  • If Thoughts Could Kill – Mahavoc Press;
  • Map Folio I – WotC;
  • Map Folio II – WotC;
  • As aventuras de D&D 3.0, todas da WotC:
    • The Sunless Citadel;
    • The Forge of Fury;
    • The Speaker in Dreams;
    • The Standing Stone;
    • Heart of Nightfang Spire;
    • Deep Horizon;
    • Lord of the Iron Fortress;
    • Bastion of Broken Souls;
  • Hero Builder’s Guidebook – WotC;
  • Sword and Fist – WotC;
  • Song and Silence – WotC;
  • Defenders of the Faith – WotC;
  • Tome and Blood – WotC;
  • Masters of the Wild – WotC;
  • Map Folio 3D – WotC;
  • Manual of the Planes – WotC;
  • Planar Handbook – WotC;
  • Savage Species – WotC;
  • Book of Vile Darkness – WotC;
  • Book of Exalted Deeds – WotC;
  • Clanbook: Giovanni – White-Wolf;
  • Clanbook: Nosferatu – White-Wolf;
  • Clanbook: Ventrue – White-Wolf;
  • Clanbook Revised: Gangrel – White-Wolf;
  • Clanbook Revised: Brujah – White-Wolf;
  • Clanbook: Malkavian – White-Wolf;
  • Clanbook Nosferatu (é, tenho dois) – White-Wolf;
  • Clanbook Tzimice – White-Wolf;
  • Clanbook Revised: Malkavian – White-Wolf;
  • Berlin by Night – White-Wolf;
  • D.C. by Night – White-Wolf;
  • Bloody Hearts: Diablerie Britain – White-Wolf;
  • The Inquisition – White-Wolf;
  • The Hunters Hunted – White-Wolf;
  • The Players Guide to the Sabbat – White-Wolf;
  • The Storyteller’s Handbook – White-Wolf;
  • Ghouls: Fatal Addiction – White-Wolf;
  • Elysium – White-Wolf;
  • The Last Supper – Black Dog Games
  • Storyteller’s Handbook to the Sabbat – White-Wolf;
  • Guide to the Anarchs – White-Wolf;
  • Vampire Storyteller’s Handbook – White-Wolf;
  • Vampire Storyteller Companion – White-Wolf;
  • Vampire: the Masquerade 3rd Edition Deluxe – White-Wolf;
  • Guide to the Sabbat & Guide to the Camarilla 3rd Edition Deluxe – White-Wolf;
  • Mage the Ascension 3rd edition – White-Wolf;
  • Werewolf: the Apocalypse 3rd Edition – White-Wolf;

Eu gostei bastante dos suplementos da 3.0, ainda que eles não fossem tão bonitos ou capa dura como os da 3.5. O Book of Challenges, do Skip Williams e outros envolvidos na criação do Dungeons & Dragons 3ª edição, é um livro fantástico para qualquer edição: dá excelente dicas de como construir desafios, quebra-cabeças, charadas, e Skill Challenges, pensando na nova edição. Recomendo.

Não tenho como não comentar as aventuras da 3.0. Adoro a Cidadela sem Sol, já mestrei umas três vezes essa dungeon. Ela é Dungeon Crawl clássico, mas tem um carisma que não apareceu mais na terceira edição, talvez com uma exceção para o Age of Worms, adventure path da Dungeon – Paizo. Eu também cheguei a mestrar a Forja da Fúria e usar elementos da Orador dos Sonhos em outras aventuras, mas pouco usei das demais. A Bastion of Broken Souls está sendo uma bela inspiração para minha campanha atual de 4e, no entanto.

O Book of Vile Darkness també é outro que vale a pena ser citado: escrito pelo mestre Monte Cook, é um livro que faz qualquer campanha ficar mais sinistra e sombria. Só passe longe de qualquer pessoa mais sensível! Os arqui-demônios estão todos com muita personalidade, e podem facilmente virar o Big Bad Evil Guy da sua campanha.

Por fim, temos meus livros de Vampire (e afins). Eu cheguei a mestrar um pouco de Vampire nos idos de 95, e jogar um pouco na seqüência, mas nunca fui muito assíduo. Mas, em geral, os livros de Vampire são legais de ler mesmo que você não jogue, especialmente os mais antigos. E eu gosto muito do cenário e meta-plot do antigo Storytelling, e aqueles livros de luxo da estante devem durar várias gerações (rá! sacou?!) se bem cuidados. Um dos meus favoritos é o D.C. by Night, que já li e reli várias vezes, e me apaixonei pelos NPCs da cidade, e já mestrei one-shots ocasionais por lá.

Semana que vem iremos para o canto de Forgotten e mais suplementos da 3.5e. Grande abraços e não se esqueçam de votar na gente! E rolem 20!

Tags: ,

Página 1 de 212