Podcast Rolando 20 – Episódio 94 – Bardo 5E

Essa semana Daniel Anand, Davi Salles e Gustavo Sembiano comentam sobre a classe do Bardo, com suas mudanças na quinta edição. Como sair do cliché do Bardo de violinha?

E se você gosta de Dungeons & Dragons e RPG em geral, não deixe de seguir o Rolando 20 no Facebook e no Twitter! Sempre tem novidades, dicas e links por lá! Vocês podem nos ajudar comprando Dungeons and Dragons na Amazon, PDFs na Dungeon Master Guildou ajudar diretamente e ser nosso patrono!

Também temos nosso canal no YouTube, onde rola conteúdo adicional e complementar, se inscreva! Voltamos em duas semanas com mais um episódio! Assine nosso feed, também estamos no iTunes e na Play Store.

Não esqueça de deixar o seu comentário!

Sobre Daniel Anand

Daniel Anand, engenheiro, pai de gêmeas e velho da Internet. Seu primeiro de RPG foi o GURPS Módulo Básico, 3a edição, 1994. De lá para cá, jogou e mestrou um pouco de tudo, incluindo AD&D, Star Wars d6, Call of Chuthulu, Vampire, GURPS, Werewolf, DC Comics (MEGS), D&D 3-4-5e, d20 Modern, Star Wars d20, Marvel Superheroes, Dragonlance SAGA, Startrek, Alternity, Dread, Ars Magica e atualmente mestro D&D 5E on-line via Fantasy Grounds. @dsaraujo
Esta entrada foi publicada em Podcast e marcada com a tag , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

4 respostas a Podcast Rolando 20 – Episódio 94 – Bardo 5E

  1. Cês esqueceram de mencionar a característica que, talvez, seja o maior destaque no Bardo da 5e: ele agora é um conjurador completo, podendo alcançar o 9º nível de magias. Com Magical Secrets, isso tem um potencial incrível: Wish, Time Stop, Gate, True Ressurrection, Prismatic Wall, Mass Heal, Meteor Swarm… o cardápio é generoso.

    Dos bardos famosos da fantasia, cabe mencionar o Taliesin, personagem histórico que foi apropriado nas mais diversas narrativas como a Trilogia do Rei Arthur do Bernard Cornwell. Ainda na fantasia literária, tem o Kvothe da Crônica do Matador de Reis de Patrick Rothfuss, que inclusive foi inspiração para o Bardo da 5e segundo o Mike Mearls.

    Por fim, só uma pequena correção: o Bardo do 13ª Era não é a classe mais complexa do livro básico. O Mago/Wizard com todas as opções de improvisação e criação tem esse posto. Mas, de fato, ele tem um bom conjunto de opções de canções, brados de batalha e magias.

  2. Bardo em AD&D – tão estranho que ninguém queria usar
    Bardo em D&D3 – faz de tudo um pouco mas nada direito (e ninguém queria jogar)
    Bardo em D&D4 – amigão da galera, toda party queria ter um (mas poucos queriam jogar com ele)
    Bardo em D&D5 – dependendo do seu gosto, ele tem de tudo um pouco e tu ainda escolhe pra onde ele vai! (e ainda é amigão da galera)

  3. Roberto disse:

    No episodio foi comentado sobre uma trilogia de livros na epoca da transicao do 3e e 4e
    Alguem sabe o nome desses livros?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *