Monstro da Semana – Myconid

E continuando a série Monstro da Semana, iniciada semana passada pelo Davi com o Pterodatilics, mais ou vez voltamos com monstros originais ou, como no caso dessa semana, como aproveitar os monstros já existente do D&D 4a edição. Toda segunda, um novo desafio!

E para essa semana, analisamos um dos monstros mais terríveis que já encontrei na minha carreira de jogador da quarta edição: os cogumelos humanóides das profundezas, os Myconids. Ou, como chamávamos, os Miconídios.

Eles apareceram pela primeira vez no Monster Manual 2, e foram expandidos em alguns artigos da Dragon e no suplemento Underdark, que falamos no último podcast. E porque eles são tão terríveis? Por conta de um poder que praticamente todos eles compartilham:

Roots of the Colony At-Will

Trigger: The myconid is hit by an attack while other myconid ally is within 5 squares of it.

Effect (Free Action): The myconid and the myconid ally each take half damage from the attack.

Ou seja, pode tratar os 5 miconídios que apareceram como uma criatura só, com HP multiplicado por 5, mas que tem cinco ataques, cinco immediate actions, e cinco movimentos! A estratégia básica dos jogadores de ir focando em uma criatura depois a outra se esvai por completo: focar em uma ou dividir o dano dá mais ou menos na mesma.

Isso pode complicar bastante a vida dos aventureiros, e transformar um encontro médio num difícil facilmente. Recomendo o DM compensar a dificuldade com terrenos variados, como fungos que podem curar quando próximos, ou alguma forma de prender um ou mais miconídios, de forma a fazer o grupo lidar com eles de forma gradual.

Além disso, frequentemente os miconídios estão juntos com seus lacaios, os esporos de gás. Eles curam plantas, incluindo fungos. Ou seja, são minions bombas de hp, o que podem ser particularmente eficazes junto com dano dividido. Um excelente exemplo de encontro com myconids pode ser visto nesse encontro (em inglês).

Um outro aspecto desse tipo de monstro é o fato deles serem uma cultura bem alienígina, sendo uma excelente criatura para apresentar a Underdark para os aventureiros (ver último podcast). Fazer com que o grupo tenha que interagir com eles pode ser bem divertido, especialmente se o cozinheiro do grupo carregar uns champignons na mochila. 😀 Para inspiração em outras quests para os miconídios, recomendo uma lida geral na história dos Sporelings de Sporeggar, uma raça de fungos humanóides do World of Warcraft.

E, para encerrar, fica a dica do D&D Wiki para jogar de Myconid como personagem jogador. E também uma versão alternativa para a imagem acima!

Sobre Daniel Anand

Daniel Anand, engenheiro, pai de gêmeas e velho da Internet. Seu primeiro de RPG foi o GURPS Módulo Básico, 3a edição, 1994. De lá para cá, jogou e mestrou um pouco de tudo, incluindo AD&D, Star Wars d6, Call of Chuthulu, Vampire, GURPS, Werewolf, DC Comics (MEGS), D&D 3-4-5e, d20 Modern, Star Wars d20, Marvel Superheroes, Dragonlance SAGA, Startrek, Alternity, Dread, Ars Magica e atualmente mestro 13th Age. @dsaraujo no twitter

Esta entrada foi publicada em Oponente e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

4 respostas a Monstro da Semana – Myconid

  1. DM Rafael disse:

    Interessante, ainda não tinha visto a nova versão do Myconid (ou a velha, pra ser sincero). Realmente é um poder bem diferente, mas pode ter um efeito colateral interessante: se um dos homens-micose tomar um mega dano num round que seria mais que o suficiente para mata-lo, esse dano não será desperdiçado – ainda que não cause a morte imediata do alvo original.

    Um outro monstro fungi que sempre fui fã é o Shrieker, ou na boa tradução de Portugal, o Cogumelo Uivante. Ele não tinha nada de muito perigoso nele além de ser um escandaloso que alertava os outros monstros da dungeon da presença dos aventureiros. Mas são perfeitos para estragar aquela bela área de sombras para o rogue se esconder 🙂

    Quanto a imagem alternativa, parece que o ilustrador pensou exatamente nisso ao fazer a arte original!
    Agora o problema mesmo é a vontade que deu de almoçar uma pizza de champingon…

  2. Marcelo Dior disse:

    Nos bons e velhos tempos do AD&D que começava na sexta-feira, depois do colégio e só ia terminar à noite, meus jogadores sabiam que a dungeon estava ficando muito funda quando topavam com um grupo ou uma colônia desses bichos.

  3. Gostei da ideia da série. Conhecia os Myconids mas nunca tinha reparado essa habilidade deles. Dá pra fazer uns encontros bem legais a partir dela.

  4. Danilo Lima disse:

    Air guitar.

Os comentários estão encerrados.