Versus PC: Amos

AmosDepois de meses longe, estamos de volta com a série Versus PCs aqui no Rolando 20. A idéia é tranformar os personagens das minhas várias campanhas em oponentes que vocês possam usar nas campanhas de vocês, devidamente adaptados para serem usados como antagonistas. Das últimas vezes conhecemos o bugbear rogue Wren e a linda e sedutora Calima.

Amos é um anão guerreiro, proveniente das mágicas terras elementais de Akanûl (em Forgotten Realms), onde foi desonrado, perdeu sua barba, cabelo e bigode (sobrando apenas um moicano), e virou um errante, buscando a morte em combate, para recuperar um fragmento de sua honra. O problema é que Amos é uma máquina de apanhar, e não morre fácil. Na sua busca pelo encontro com os outros planos, pode ficar no meio do caminho dos PCs. Ele também aceita alguns trabalhos mercenários (foi assim que acabou nos escamas púrpura), e sua missão pode ser atrapalhar ou matar os personagens do seu grupo. Adicione outros humanóides de sua preferência para completar o grupo!

Amos

Ficha do Amos

Conhecimentos

Com um teste de streetwise (manha) você sabe o seguinte sobre Amos:

DC 15: Ocasionalmente os anões sem honra são banidos de suas comunidades. Esses exilados muitas vezes agem como mercenários, atuando de maneira suicida em suas missões.

DC 20: Amos é um anão sem honra que luta buscando a morte. Em sua fúria, nunca caiu em combate físico. Dizem que seu ponto fraco é sua mente fragilizada pelo abalo do exílio.

Encontro de Nível 11 (3.000 XP)

Nesse encontro você irá lutar contra Amos e seu grupo de mercenários. Tente pensar num mapa que explore as resistências contra veneno de Amos e dos Earthbreakers. Todos os monstros são do Monster Manual, ou do Manual dos Monstros.

  • Amos, anão guerreiro – Soldado elite de nível 10
  • 2 Galeb Duhr Earthbreaker – Artilharias de nível 8
  • 1 Troglodyte Curse Chanter – Controlador (líder) de nível 8
  • 1 Doppleganger Assassin – Espreitador de nível 8
  • 8 Human Lackey – Lacaios de nível 7

Táticas

Amos irá evitar ataques de longo alcance a todo custo, usando carga e tomando ataques de oportunidade se necessário. Ele prefere usar seu blinding smash (e ataques em geral) contra oponentes que ataquem à distância, ou sejam controladores. Além disso, assim que perder uns 50 pontos de vida, vai começar a tentar a usar victorious surge, já que se ficar sangrando sua regeneração começa a atuar.

Bônus

Se você for D&D Insider, pode baixar esse arquivo XML e importar a ficha do Amos para o seu Adventure Tools, e modificá-lo para o nível que precisar! E se quiser a versão em PDF da ficha de personagem, está aqui também!

O que acham? Rolem 20!

Sobre Daniel Anand

Daniel Anand, engenheiro, pai de gêmeas e velho da Internet. Seu primeiro de RPG foi o GURPS Módulo Básico, 3a edição, 1994. De lá para cá, jogou e mestrou um pouco de tudo, incluindo AD&D, Star Wars d6, Call of Chuthulu, Vampire, GURPS, Werewolf, DC Comics (MEGS), D&D 3-4-5e, d20 Modern, Star Wars d20, Marvel Superheroes, Dragonlance SAGA, Startrek, Alternity, Dread, Ars Magica e atualmente mestro D&D 5E on-line via Fantasy Grounds. @dsaraujo
Esta entrada foi publicada em Oponente, Personagem e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

19 respostas a Versus PC: Amos

  1. Jay disse:

    Hahaha
    Gostei do anão.
    To com um anão sem barba no meu grupo também…
    Como vocês conseguiram fazer essa fichinha legal?

  2. Ótima idéia, gostei do anão!
    Sucesso para o site!

  3. Droga, errei meu próprio nome anteriormente aí… ^^

  4. Apollinarius disse:

    Anão é um dos esterótipos mais intocáveis no meu grupo. Existe até um ditado largamente empregado lá: "Anão que não é guerreiro ou é maluco ou é v***o." Mas isso era na terceira edição enquanto na quarta ainda não tivemos personagens da raça. Mas um sem barba ia dar o que falar.
    Adorei o build! Divertido e duro na queda. Dá até um bom conceito de PJ em grupo maléfico na minha opinião.
    Parabéns!

  5. Daniel Anand disse:

    Bom, a idéia do conceito do personagem não é minha, é do nosso jogador Fabricio, que se baseou nos anões de Warhammer. Que bom que você curtiu! 🙂

  6. Daniel Anand disse:

    Essa ficha é exportada pelo Adventure Tools, um software de criação de monstros da Wizards of the Coast, oferecida dentro do pacote D&D Insider. Beeeem mais fácil de fazer que as fichas HTML que eu colocava aqui! 🙂

  7. Riketz disse:

    Jay,
    ele deve usar as ferramentas do D&D insider.. apesar de eu não ter, o copy right da WotC no rodapé da ficha do Amos indica isso.. pelo menos é o que oparece ser..

    Anand,
    como funciona o "Blinding Smash" no fluff para narração?

  8. Daniel Anand disse:

    Olha, pode ser várias coisas. Areia no olho foi a primeira coisa que pensei, mas pode ser cabeçada do super-cílio, ou dedo no olho mesmo! 😀

  9. Puppet disse:

    Agora sim ! Nenhum grupo está completo sem o seu Anão. Cheguei a pensar que o Anand tinha esquecido do Vs PCs

  10. Puppet disse:

    Aliais Anand só uma coisa quando vc exporta do Adventure Tools no formato rtf acontece algumas coisas estranhas ?? Aqui eu to tendo esse problema.

  11. monipadial disse:

    Agora só falta as fichas da Calixto e da Evangeline, to muito curiosa principalmente pra ver a maneira como ele vai retratar a Calixto q nos conceitos dos pcs é muito mais honrada q a Calima

  12. DM Rafael disse:

    Experimenta selecionar todo os texto e colocar no mesmo corpo (tamanho).

  13. DM Rafael disse:

    Achei divertidíssima a ficha do Amos. Aliás, ele é um personagem muito legal!
    Mas o interessante mesmo é ver que é tranquilo fazer um NPC com cara de PC sem encher com 10 poderes diferentes.

    Agora na boa… 220 de HP mais 10 HP temp por porrada… esse cara não vai nunca! Isso que eu chamo de ter gosto pelo combate!

  14. @MightyZoz disse:

    Só me explica como um fighter de nível 10 tem 220 de HP…

    • DM Rafael disse:

      Resposta rápida: sendo um Soldier Elite de nível 10 com CON 22. Lembre que essa é uma ficha de oponente, não de personagem.

      • Daniel Anand disse:

        Se você quiser usa-lo como NPC aliado dos personagens, ao invés de um oponente, recomendo usar as regras de companheiros do Dungeon Master Guide 2. Quando chegar o meu, posso fazer as versões do grupo como companions e postar.

        Se quiser usá-lo como PC, coloquei a ficha no final! 😀

  15. Uma dúvida: afinal, existe alguma regra que estipule quantos poderes um adversário pode ter? Pergunto isso por que já vi monstros de nível igual ao do Amos não tinham tudo isso, mesmo sendo monstros elite. Ou isso realmente fica a cargo da imaginação e bom senso de cada mestre?

    • Daniel Anand disse:

      A gente comentou isso no podcast dos monstros, mas basicamente a regra geral é: tenha poderes o suficiente para ser um oponente legal, mas não tantos que vai dar trabalho ou você nunca use algum. Na prática, sim, o DM escolhe à vontade. Inclusive, nada impede de ter um monstro copycat, por exemplo, cujo ataque básico é: use um poder at-will de um oponente que você consiga ver. Ou mesmo de encontro! 😀

      • Puxa, valeu mesmo pelo esclarecimento. Juro, essa era uma das poucas dúvidas que ainda tinha em relação ao processo de criação de monstros em D&D 4E! Agora não vou mais ficar grilado em relação ao surgimento de novas criaturas para atormentar meus jogadores. Realmente, por meio dessa nova perspectiva, não tem como um jogador chegar e dizer "isso não pode, porque o livro de regras diz que não" quando aparecer um novo monstro, pois isso agora está sob total controle do Mestre! Muito obrigado!

        Aliás, estava na dúvida se devia ou não comprar o DMG2, mas depois que você mencionou as tais regras para criação de companheiros, estou revendo minha decisão!

Os comentários estão encerrados.