Reporte de sessão: Escamas Púrpuras Sessão 17

Olá Jogadores e DMs!

No feriadão não poderia faltar mais uma sessão dessa aventura que vai chegando ao final do estágio heróico, o grupo de elite de Cormyr, os Escamas Púrpuras. Nas bordas de Aglarond, o grupo descobre um pacto sinistro entre Szass Than e os demônios de Myth Drannor ao salvarem a barda Calima. De lá vão para a floresta antiga, atrás de um Sharn corrompido pela Spellplage, e tentar salvar Cormyr da destruição.

O que é um reporte de campanha? É uma postagem onde descrevo sucintamente os acontecimentos da última sessão, comentando os encontros e desencontros do grupo. Nossa aventura é em Forgotten Realms, usando o sistema do D&D 4ª edição. O nosso grupo está no nível 10, com um ou outro personagem no nível 9. Estamos baseados na região de Cormyr, mas passeando atualmente por Airspur, capital do reino de Akanûl. Desse reporte em diante irei detalhar um pouco mais as mecânicas que uso nos combates e desafios de perícia.

A missão

Erzoured Obaskyr, o sobrinho do rei Foril de Cormyr, está tentando o domínio do reino, manipulando os dragões púrpuras, war wizards, e fazendo alianças com os Shadovar de Netheril, de maneira a sair numa guerra contra Thay, e permitindo a invasão de Cormyr por Netheril (via Sembia, principalmente). Mas não sem resistência: o Coronel Edward Jacobs e seu grupo de elite Escamas Púrpuras trabalham nas sombras para essa guerra não aconteça, convencendo os aliados de Cormyr a retirar seu apoio bélico. No entanto, Thay decidiu fazer um ataque preemptivo, que deve ser evitado a todo custo pelos nossos heróis.

O grupo

Na sessão quinze tivemos o grupo completo: Amos, Wren, Calima, Calixto e Evangeline presentes.

A História

  1. BalorNo topo da torre demoníaca, um Balor está sendo conjurado por Menzodemons, Calima está presa numa jaula quase nua, e outros demônios se escondem atrás de braseiros que queimam como o inferno. O grupo invade o local, salvam a irmã de Calixto, e ainda conseguem impedir que o Demônio venha para esse plano. Incontáveis Imps começam a sair do portal aberto para o Caos Elemental, mas Calixto usa seus conhecimentos Arcanos para fechar o portal, enquanto o resto do grupo lutava contra as criaturinhas infernais.
  2. O grupo encontra vários tesouros guardados pelos demônios, incluindo uma garrafa de Berduskan Dark, um vinho raro da safra de 1385 DR. Calima explica que veio para a torre para investigar porque os antigos demônios de Myth Drannor se aliaram a Thay, enquanto seu amado Cedrik e Col. Edward Jacobs foram até Aglarond, conseguir o apoio dos Simbarchs. Acabou descobrindo que os demônios foram contratados por Thay para fazer um ataque preemptivo à Cormyr, de modo que as tropas púrpura não cheguem nem a sair do seu canto, não sendo mais ameaça aos necromantes. Como será esse ataque, o grupo não descobre.
  3. Os escamas púrpuras, depois de muito ponderar (e de Amos se recuperar de sua Moon Frenzy obtida na luta com o Weretiger) decidem ir para a capital de Aglarond, Veltalar. Enquanto Calima usa sua etiqueta com os nobres Simbarchs, Evangeline vai para o porto usar sua manha. A halfling acaba encontrando o líder do submundo de Veltalar, o Tiefling D’ekell (inspirado por esse post), e acaba o vencendo no carteado, vendendo a garrafa de vinho por preço especial. No final das contas, descobrem que os demônios irão fazer um ataque à Suzail, e Jacobs retornou à Cormyr para interceptá-los. Também obtém um mapa de Myth Drannor com um nobre meio-elfo.
  4. TelessarNa taverna, nos arredores de Veltalar, o grupo encontra Telessar, o war wizard, muito ferido, especialmente um corte feio e azulado em sua barriga. Ele conta que descobriu que os demônios pretendem usar um gás devorador de carne, e foi atrás do antídoto desse gás, numa antiga instalação demoníaca de Myth Drannor. Só que a biblioteca está sendo guardada por um Sharn, criaturas aberrantes sinistras, que ficaram loucas (e ainda mais poderosas) depois da Spellplague. Mortalmente ferido, fugiu, e pede ao grupo que obtenha os pergaminhos com o antídoto do gás devorador de carne. Usando suas últimas forças, teleporta o grupo para a antiga floresta élfica.
  5. O grupo vai atrás do Sharn, numa antiga dungeon que, pelos escritos em élfico drow da porta, é o lar de um Aracnomancer, um mago drow poderoso e exilado por ter construído Golens de Teias, algo blasfemo na religião dos elfos negros. Enfrentam drow e demônios, e uma armadilha com uma bola de metal gigante que deu algum trabalho para os rogues.

Os Encontros

  1. O primeiro encontro foi numa sala 20 x 11 quadrados. Nas laterais, brazeiros extremamente quentes, com uma aura 3 de dano 10 de fogo. No fundo, junto com um círculo de conjuração, uma nuvem de veneno (dano 10 de veneno). Só um corredor pelo exato meio da sala ficava fora de todas as auras. MezzodemonO Mezzodemon Fighter fazia ações de conjuração de um Balor como ações menores. Se conseguisse cinco sucessos, chamaria o Balor e provavelmente mataria o grupo todo. Os PCs podiam fazer ações padrão com testes de Arcanismo para cancelar um dos sucessos do Mezzodemon. Depois da luta teve um mini-skill challenge para fechar o portal, enquanto saiam imps do portal. Cada um tinha que fazer um teste (geralmente um ataque) para matar imps, ou testes de Arcanismo para fechar o portal.
    • 1 Mezzodemon Fighter – Level 10 Elite Brute
    • 2 Lesser Mezzodemons – Level 7 Soldiers
    • 1 Perditazu (Maze Demon) – Level 12 Lurker
    • 1 Needle Demon – Level 12 Controller
  2. Cenas de roleplay.
  3. Cenas de roleplay com um desafio de perícias para Evangeline vender a garrafa de vinho. A halfling foi super eficiente!
  4. Mais cenas de roleplay.
  5. Esse encontro saiu diretamente do módulo Company of the Griffon, o D&D Delve Night kit de Março desse ano. Foi o encontro 2:
    • 2 Drow Warriors – Level 11 Lurkers
    • 1 Giant Rolling Boulder – Level 14 Blaster
    • 11 Legion Devil Hellguards – Level 11 Minions

Minhas observações

  • NeedledemonO Needle Demon, do Monster Manual 2, é muito bom. Faz bastante dano, faz reações, dá dano contínuo e ainda domina a galera em Blast 5! Achei esse último tão roubado que só comecei a usar depois de sangrando, e por encontro. Mas para o futuro, vai ser by the book…
  • A bola gigante do encontro 5 foi massa. Ela andava pela sala, dando trample (3d10+6 de dano) e derrubando quem acertava. Tipo strike mesmo. Mas meus jogadores são uns chorões foda, e ao invés de lidar com isso, saindo da sala ou tendo idéias, preferiram ficar reclamando que a armadilha era roubada, dá pra acreditar? E no final do encontro, perderam, no máximo, dois healing surges… são uma moças choronas mesmo! 😀
  • Os mini desafios de perícia (do carteado e dos imps) foram simples, divertidos e com suas doses de perigo no caso de falhas. Curti e o grupo esta voltando a ter mais confiança em suas perícias!
  • Estou preparando o encontro com o Sharn, numa sessão dupla para o feriado de finados que deve encerrar as atividades dos escamas púrpuras no estágio heróico!

E esse foi mais um reporte da aventura. Até a próxima e rolem 20!

Sobre Daniel Anand

Daniel Anand, engenheiro, pai de gêmeas e velho da Internet. Seu primeiro de RPG foi o GURPS Módulo Básico, 3a edição, 1994. De lá para cá, jogou e mestrou um pouco de tudo, incluindo AD&D, Star Wars d6, Call of Chuthulu, Vampire, GURPS, Werewolf, DC Comics (MEGS), D&D 3-4-5e, d20 Modern, Star Wars d20, Marvel Superheroes, Dragonlance SAGA, Startrek, Alternity, Dread, Ars Magica e atualmente mestro 13th Age. @dsaraujo no twitter

Esta entrada foi publicada em Post, Reporte de Sessão e marcada com a tag , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

18 respostas a Reporte de sessão: Escamas Púrpuras Sessão 17

  1. DM Rafael disse:

    Me amarro nos Escamas Púrpuras! E realmente gostaria de saber como ia terminar se rolasse o summon do Balor! No 3.0, dava até pra pensar em peitar. No 3.5 já ficou beeeeeeeem complicado. Agora no D&D4 é um convite para visitar a Raven Queen!

    Mas realmente o Skill Challenge foi tranquilo. Seria muito azar falhar (mais acontece). Agora falando em demônios (e diabos), um bichinho que tô doido pra usar Legion Devil Hellguard, ao melhor estilo dos Parademônios de Apokolips! Mas enquanto meus jogadores não chegam no paragon, acho que vou matar um pouco a vontade com os Legion Grunt mesmo.

    • Daniel Anand disse:

      Ah, se terminasse o summon era wipe. Morre todo mundo aí. Não sei se ia ter coragem de fazer isso, mas teria que algo do naipe. Se um deles se sacrificasse daria pra salvar o resto do grupo.

  2. Pingback: Tweets that mention Reporte de sessão: Escamas Púrpuras Sessão 17 | Rolando 20 - DnD 4ª edição -- Topsy.com

  3. Cara, muito bom mesmo, e jogador chorão é sóda, os meus tavam ficando assim também, mas depois de verem so dois defenders do grupo caírem sem condições de fazer healing surges eles entenderam que chorar não dá tesouro xD

    A história também ficou ótima e agora a curiosidade, você está preparando essa invasão a Suzail pra ser o encontro de "pasagem" pro paragon tier?

    • Daniel Anand disse:

      Na verdade não vai ter invasão. A guerra é secreta e por debaixo dos panos, até agora. Mesmo porque, acho que isso combina muito mais com o grupo (uma tropa de elite secreta) que open warfare. Se o gás for detonado em Suzail, a cidade vai se destruída antes de qualquer exército aparecer no horizonte, o que vai ser muito pior (e deleite de Netheil).

      Para o nível paragon, Cormyr vai virar fichinha, já que estou pensando em usar bastante coisa do Revenge of the Giants.

  4. Rom_Machado disse:

    As coisas tão ficando grandes na campanha…ja tem gente querendo sumonar Balor…
    Paragon Tier se aproximando. Vai ficar bacana e as porradas serão cada vez mais legais, e ainda teve grupo completo…ah, como eu queria um grupo completo na minha campanha. =P

  5. Manso disse:

    "Company of the Griffon, o D&D Delve Night kit de Março"

    Que que é isso? oO

    • Daniel Anand disse:

      A RPGA publicou uma série de mini-aventuras, chamadas Delve Nights, no formato de aventuras apresentadas no livro Dungeon Delve. Era um Delve por mês, e vinha um kit com miniaturas e mapas. Acho que nunca chegou a rolar aqui no Brasil, mas você pode baixar as aventuras do site da RPGA.

  6. monipadial disse:

    Bem, eu me divertir muito nessa sessão onde finalmente a Calima passou em testes de diplomacia e foi útil ao grupo, foi uma sessão que teve de tudo. mal posso esperar a próxima sessão.

  7. ReyOoze disse:

    Enfrentar um Sharn Doidivano no dia de Finados, seria um presságio aos jogadores?
    AHAHA

    Eu dei uma parada com a minha campanha até depois do casamento. Provavelmente só voltaremos ano que vem.
    Mas realmente, parece coincidencia, quanto mais niveis os jogadores galgam mais choronas eles ficam. Aliás, o choro foi uma das razões, um dos empurrõezinhos que eu precisava pra pedir um break e ir cuidar do casório.

  8. PedroSerrano disse:

    Eu não vou dar nome aos bois, mas tá lá no Monster Manual que a raça dos Bugbear tem grande afinidade com muco, odeia bolas gigantes e é extremamente dramática.

  9. PedroSerrano disse:

    Eu não vou dar nome aos bois, mas tá lá no Monster Manual que a raça dos Bugbear tem grande afinidade com muco, odeia bolas gigantes e é extremamente dramática.

    Ah sim, e agora que temos uma halfling no grupo dá pra dizer com certeza que Second Chance é mó legal.

  10. É até compreensível que os jogadores fiquem mais "sensíveis" com relação aos seus personagens quando eles já estão em níveis mais elevados. O fato de muito tempo e energia já ter sido gasto nos seus "bonecos" faz com que eles levem o bem estar de seus personagens a um patamar de prioridade tão elevado que qualquer ameaça mais significativa se torna motivo para choradeira e pânico. "Não quero que Obark, o bárbaro morra! Eu e ele já passamos por tanta coisa juntos… Não é justo!"

  11. SamuelDW disse:

    ainda nao tive tempo de ler, mas concerteza lerei

    porem, continuo com minha campanha flooder:

    GRAVEM AS SESSOES DE JOGO E POSTEM PRA GENTE (assim como o do vozes)

Os comentários estão encerrados.